PUBLICIDADE

Primeiras impressões: BYD Shark começa com o pé direito

Já dirigimos o novo BYD Shark, primeira picape híbrida da marca, que oferece 430 cv e promete colocar fogo na briga das picapes no Brasil

20 mai 2024 - 06h30
Compartilhar
Exibir comentários
BYD Shark
BYD Shark
Foto: BYD/Divulgação

Depois de movimentar o mercado brasileiro com os elétricos Dolphin e Dolphin Mini, a BYD quer entrar com tudo no segmento de picapes médias. E o primeiro passo foi dado na última semana, com a apresentação da nova picape Shark na Cidade do México (México). O Guia do Carro já teve um primeiro (e breve) contato com o BYD Shark, que deve chegar ao Brasil entre agosto e setembro deste ano. 

E para se aventurar no segmento de picapes, a BYD parece ter buscado inspiração nos modelos da linha F-Series da Ford, que são líderes de vendas há décadas no mercado americano. Na dianteira, o BYD Shark traz faróis de LED interligados por uma barra horizontal, uma solução semelhante à adotada pelo Ford F-150 Lightning.

Novo BYD Shark
Novo BYD Shark
Foto: BYD/Divulgação

Na lateral, os para-lamas são bem destacados. A carroceria conta com linhas retas, e na traseira, as lanternas de LED também são interligadas pela tampa da caçamba, que tem abertura convencional. O conjunto agrada visualmente, e passa a sensação de robustez para a picape, que é um pouco maior do que as atuais picapes médias. 

São 5,45 m de comprimento e 1,97 de largura, e entre-eixos de 3,26 m. De acordo com a BYD, o tamanho extra se traduz em mais espaço interno, ainda mais com o piso traseiro reto (sem túnel central) e os bancos em inclinação maior – e menos retos do que as concorrentes. 

BYD Shark
BYD Shark
Foto: BYD/Divulgação

Por falar em interior, o acabamento é um dos detalhes do novo BYD Shark. Há materiais emborrachados em toda a parte superior do painel e nas portas dianteiras e traseiras, algo raro no segmento de picapes médias. Já o painel digital tem tela de 10,25", enquanto a central multimídia giratória de 12,8" tem Android Auto e Apple CarPlay. Ambas as telas contam com o mesmo sistema operacional e a interface dos demais carros da BYD.

O nosso rápido test-drive no BYD Shark pela Cidade do México incluiu um pequeno trecho de alguns quilômetros em uma região movimentada da capital mexicana, o que não possibilitou um contato maior com a picape. A direção elétrica poderia ser um pouco mais direta, enquanto a suspensão tem ajustes firmes. No entanto, foi possível perceber que a Shark não economiza em potência e nas acelerações, o que é um ponto bem positivo.

BYD Shark
BYD Shark
Foto: BYD/Divulgação

Isso é mérito do conjunto híbrido plug-in da Shark, que é formado por um motor 1.5 turbo a gasolina e dois motores elétricos. Juntos, eles oferecem 430 cv e levam a picape de 0 a 100 km/h em apenas 5,7s. O alcance total chega a 840 km no ciclo chinês, sendo 100 km de autonomia elétrica. A BYD também destaca que a picape pode servir como fonte de energia para diversos aparelhos. 

A tração é integral nas quatro rodas e conta com um sistema inteligente, que ajusta a distribuição de torque entre as rodas dianteiras e traseiras de forma automática, conforme a necessidade do terreno. A caçamba tem capacidade para até 1.450 litros, e leva até 835 kg de carga. Já a capacidade de reboque é de até 2.500 kg.

BYD Shark
BYD Shark
Foto: BYD/Divulgação

O novo BYD Shark estreia a nova plataforma DMO (Dual-Mode Off-Road), que é exclusiva para carros híbridos da BYD com foco em fora-de-estrada. Portanto, a picape não deve ganhar uma versão elétrica inicialmente. De acordo com a BYD, a escolha se deve pelo fato de picapes serem utilizadas em locais remotos e em situações mais severas, nas quais pode não haver a infraestrutura necessária para um carro elétrico.

O novo BYD Shark será um carro de alcance global, e será lançado primeiro no México, chegando posteriormente aos demais mercados da América Latina. No México, ela será vendida em duas versões, com preços entre R$ 275 mil e R$ 295 mil. Já no Brasil, os preços da nova picape ainda não foram revelados, mas ela deve chegar ao mercado entre agosto e setembro deste ano.

No entanto, para efeito de comparação, os preços do SUV Song Plus em terras mexicanas são bem próximos aos aplicados no Brasil. Com isso, existe a chance do BYD Shark chegar ao Brasil com valores próximos aos R$ 300 mil ou R$ 350 mil. Caso a marca resolva apostar em preços agressivos, o BYD Shark parece ter cacife para mexer com o mercado de picapes médias no Brasil. Aguardamos (ansiosos) pelas cenas dos próximos capítulos.

Guia do Carro
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade