0

Lusa perde no Canindé para o Avaí e chega à sétima rodada sem vencer

19 ago 2014
23h45
atualizado em 20/8/2014 às 07h14

O torcedor da Portuguesa parece não ter mais esperanças nesta Série B. Os 728 pagantes no Canindé nesta terça-feira são prova disso, mas a melhor explicação é o futebol apresentado pela equipe. Em mais um compromisso em casa, o time rubro-verde voltou a decepcionar, foi derrota pelo Avaí, por 3 a 1, e agora chega ao sétimo jogo sem vitória na competição nacional.

O novo capítulo do calvário vivido pelos lusitanos começou a ser construído no segundo tempo, com Diego Felipe de cabeça. O estreante Djalma ainda fez acender uma luz no fim do túnel, empatando a partida para a Lusa, mas em menos de um minuto o Avaí voltou a ficar à frente do placar: Revson acertou um belo chute de fora da área e marcou o segundo. Nos acréscimos, Roberto fez o terceiro.

Cada vez mais próxima da Série B do Campeonato Brasileiro, a Portuguesa permanece com 13 pontos, e já está a cinco do primeiro time que está fora da zona de rebaixamento. Na próxima rodada, em situação desesperadora, o time rubro-verde volta a jogar no Canindé, diante do líder Ceará, na tarde do próximo sábado.

O Avaí, por sua vez, em fase totalmente distinta, segue na briga para voltar à primeira divisão nacional. O time catarinense chegou aos 30 pontos com a vitória desta terça-feira e agora ocupa a terceira colocação. Para manter o bom desempenho, o time catarinense conta com o apoio do torcedor na próxima rodada, contra o Santa Cruz, no estádio da Ressacada, também no sábado.

Início mais uma vez desanimador

Silas decidiu manter a mesma equipe que conquistou um ponto diante do ABC em Natal, na última rodada, mas a aposta do treinador para ver a Portuguesa se recuperando na Série B não deu resultado. Os poucos torcedores que compareceram ao Canindé nesta terça-feira não se animaram com o que viram nos primeiros minutos: apesar da necessidade da vitória, a Lusa pouco conseguia criar.

O primeiro time a assustar, aliás, foi o Avaí, com Willen, que tirou tinta do travessão em chute de longa distância. Depois disso, a Portuguesa passou a se impor, apesar de ainda ar espaço no contra-ataque. O time da casa chegou com Perigo em chute de Jean Mota e quase abriu o placar com Serginho, que recebeu o cruzamento da direita e errou o desvio de cabeça, mesmo sem marcação dentro da área.

A vontade rubro-verde, no entanto, não era o suficiente. Sem técnica, a Portuguesa passou a ver o Avaí melhorar e quase marcar com Pablo, também na bola aérea, que perdeu a melhor chance do primeiro tempo. Anderson Lopes também assustou no ataque catarinense e Rafael Santos fez boa defesa. O jogo, porém, continuava fraco e o torcedor já contava com o intervalo para ver algo melhorar.

Desfecho ainda pior

Sem resultados efetivos ao longo dos 45 minutos iniciais, Silas resolveu mudar para a etapa complementar. Dinélson, que pouco apareceu na criação lusitana, deu lugar a Djalma, e o meia, que fazia sua estreia com a camisa rubro-verde, quase abriu o placar em chute de longa distância no primeiro lance. Era o sinal de como seria a postura de uma desesperada Portuguesa diante do seu torcedor.

A equipe mandante não tinha outra opção, precisava partir para o ataque, e por isso Serginho passou a dar mais trabalho pela ponta esquerda. Caio Mancha, por sua vez, quase marcou após falha da zaga, mas demorou muito e desperdiçou o presente catarinense. A falta de qualidade, porém, voltou a falar mais alto, e a Portuguesa foi deixando de pressionar o Avaí com o passar do tempo.O time catarinense passou a se aproveitar do espaço dado para chegar ao ataque e na primeira chance clara parou no goleiro Rafael Santos. A segunda oportunidade, porém, não foi desperdiçada. Em cobrança de escanteio, o zagueiro Diego Felipe se antecipou ao arqueiro rubro-verde, desviou de cabeça na pequena área e inaugurou o placar, para desespero da torcida no Canindé.

A derrota parcial fez com que a Portuguesa voltasse a pressionar, e, apesar da falta de qualidade, a vontade demonstrada deu resultado: aos 39, o estreante Djalma aproveitou o cruzamento da esquerdo e desviou para o fundo das redes. Não deu tempo, porém, de comemorar, já que, no minuto seguinte, Ravson acertou o chute de longe e voltou a colocar o Avaí na frente. Nos acréscimos, Roberto fechou a conta.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade