PUBLICIDADE

Motociclismo

Pramac apresenta motos de Martín e Zarco para temporada 2023 da MotoGP

Primeira da fila das equipes satélites da Ducati, a Pramac foi a quarta equipe a apresentar o layout que vai exibir na pista neste ano. Equipe de Johann Zarco e Jorge Martín será a única entre as privadas da casa de Bolonha que terá a mesma moto de Francesco Bagnaia e Enea Bastianini

25 jan 2023 - 14h16
Compartilhar
Exibir comentários
A moto da Pramac em 2023
A moto da Pramac em 2023
Foto: Pramac / Grande Prêmio

Após Yamaha, Gresini e Ducati, foi a vez de a Pramac aproveitar a quarta-feira (25) para mostrar ao mundo as Desmosedici com que Jorge Martín e Johann Zarco vão encarar a temporada 2023 da MotoGP. Prioritária entre as equipes privadas da fábrica de Bolonha, a estrutura agora chefiada por Gino Borsoi será a única a contar com as motos do ano, já que Gresini e VR46 terão as máquinas do ano passado.

Ainda que tenha fechado 2022 como a melhor das equipes satélites da MotoGP, é fato que a Pramac teve um pouco do brilho ofuscado pela Gresini, especialmente por causa da forma de Enea Bastianini. Ainda assim, a equipe tem uma dupla muito forte com Martín e Zarco.

A dupla da Pramac segue a mesma em 2023
A dupla da Pramac segue a mesma em 2023
Foto: Pramac / Grande Prêmio

Relacionadas

Com data da Aprilia, MotoGP atualiza calendário provisório de lançamentos de 2023
Ducati apresenta Desmosedici de Bagnaia e Bastianini para defesa do título da MotoGP
Quanto ganham os pilotos da MotoGP? Marc Márquez lidera lista de salários em 2022

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Mais experiente entre os dois pilotos, Johann segue perseguindo a vitória, mas é um piloto regular e alguém em quem a Ducati, especialmente, pode confiar. Uma prova disso veio em 2022, quando o francês optou por não atacar Francesco Bagnaia em uma disputa pelo pódio para não expor o italiano que brigava pelo título.

Desde que subiu na Desmosedici, Zarco tem sido mais competitivo, mas ainda falta um passo para tentar entrar na briga pelo título. Moto para isso ele vai ter. Resta trabalhar nele mesmo.

Do outro lado dos boxes, Martín é alguém de velocidade reconhecida. Dono de cinco poles em 2022, o espanhol é cercado de expectativas pelo novo formato sprint, já que as corridas mais curtas devem privilegiar quem larga na frente. Ao menos aos sábados.

A moto da Pramac em 2023
A moto da Pramac em 2023
Foto: Pramac / Grande Prêmio

No entanto, Jorge precisa trabalhar é na cabeça. Ao longo do ano passado, ficou claro que o piloto de Madri não é o melhor estrategista do pedaço. O #89 está sempre disposto a ir para o tudo ou nada, o que pode ser ótimo para quem quer vencer corridas, mas não agrega valor na classificação, nem do Mundial de Pilotos e, muito menos, do Mundial de Construtores. Daí uma das razões dele ter sido preterido pela Ducati na disputa contra Bastianini.

Martín precisa fazer escolhas inteligentes. E precisa começar a fazê-las logo. Com o número alto de pilotos que a Ducati tem e com a moto competitiva que todos eles tem em mãos, são os detalhes que fazem a diferença. E é justamente neles que o campeão de 2018 da Moto3 está pecando.

A Pramac vai para 2023 com um novo chefe e um duo forte. E com a moto do ano, tem tudo para retomar os holofotes que teve de compartilhar com a Gresini no ano passado.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Compartilhar
Publicidade
Publicidade