0

Cuiabá vira sensação no estado e mira Série B após conquista histórica

8 mai 2015
18h50
  • separator
  • comentários

No dia 10 de dezembro de 2001, o ex-atacante Gaúcho, que teve passagens por Flamengo e Palmeiras nas décadas de 80 e 90, fundava o Cuiabá Esporte Clube. A agremiação, clube-empresa que inicialmente só disputava torneios de categorias de base, em 2015 vive o melhor momento da sua história, depois de conquistar de forma épica a Copa Verde em cima do tradicional Remo com uma goleada de 5 a 1 - na ida, a equipe havia sido derrotada por 4 a 1.

Além disso, o Dourado, como é conhecido, disputa a final do Campeonato Mato-Grossense na próxima segunda-feira (11), às 15h40 (de Brasília), contra o Operário de Várzea Grande, e tem a chance de garantir o sexto título estadual em 11 participações. Feitos incríveis para um time de 14 anos de existência.

"Trabalho, dedicação e esforço. Isso explica o crescimento do Cuiabá. As pessoas daqui estão sempre envolvidas no trabalho com muita seriedade. É a gratificação, o gosto em fazer futebol que nos movem", contou o presidente Aron Dresch, em entrevista à Gazeta Esportiva.Net.

Fim das atividades e volta triunfante

O clube, que com a conquista do regional contra o Remo garantiu vaga na Copa Sul-Americana de 2016 - feito inédito para um time mato-grossense-, teve de passar por um momento muito difícil em 2006, quando Gaúcho, alegando falta de recursos e envolvido em uma briga com a federação de futebol do estado, decidiu encerrar as atividades do clube, à época já bicampeão estadual. Porém, três anos depois, surgiu a família Dresch, proprietária de uma empresa de borrachas, que comprou o time, transformou-o em clube-empresa e investiu na infra-estrutura, construindo um Centro de Treinamentos.

"Em 2009, compramos o time e transformamos em clube-empresa. Conseguimos recursos financeiros através da empresa da família e construímos centro de treinamento e toda a estrutura clube", disse o mandatário. Dresch também explicou o processo de montagem do elenco atual, que tem como principal destaque o meia Raphael Luz, ex-Goiás, autor de três gols na goleada sobre o Azulino.

"Fizemos o elenco juntamente de um grupo de profissionais: o técnico (Fernando Marchiori), os preparadores físicos, toda a comissão técnica. Sentamos, analisamos e fizemos tudo em conjunto. E acabamos tendo sucesso com a seleção que fizemos", comemorou.

Em 2010, um ano após a aquisição pela família Dresch, o Dourado conseguiu a volta à primeira divisão estadual. Na temporada seguinte, veio o tricampeonato mato-grossense e a vaga na Série D do Brasileirão, onde ficou por um ano e logo garantiu acesso à Série C, divisão que o time disputa até hoje. Nesse meio tempo, o Cuiabá ainda conquistou os estaduais de 2013 e 2014.

Rivalidade

Em Cuiabá, o Dourado tem a concorrência do Mixto, maior campeão e clube mais popular do estado. Porém, o surgimento do jovem rival da capital mato-grossense vem incomodando o Alvinegro, que não conquista um Estadual desde 2008. É o que pensa Aron Dresch, que também comentou sobre a disputa com a tradicional agremiação.

"Sempre há disputa. Para ocupar o espaço de alguém, você tem que lutar, e é o que fizemos. Nesse tempo, viemos de cinco conquistas estaduais, um time de somente 14 anos. Deve ser complicado para eles lidar com essa situação", declarou.

Casa de luxo

O clube manda seus jogos na Arena Pantanal, um dos estádios construídos para a Copa do Mundo de 2014. Dresch definiu  como "gratificante" o fato da equipe poder jogar em um estádio tão moderno, algo que muitos clubes até de primeira divisão não têm a oportunidade.

"É gratificante. A Arena Pantanal é um palco lindo. É inexplicável como treinador, jogador, torcedor e até presidente ver seu time jogando num estádio como esses. Estar lá é realmente emocionante", falou.

Perspectivas e futuro

Ainda neste ano, o Cuiabá Esporte Clube disputa a Série C do Campeonato Brasileiro, além do Campeonato Mato-Grossense e da Copa do Brasil. A possibilidade de conquistar uma trinca de taças vem animando a torcida do Dourado. Para Dresch, o maior objetivo do clube é o acesso à Série B.

"As coisas acontecem à medida que você conquista resultados. Na Série C, vamos tentar fazer uma disputa equilibrada com os outros clubes, e temos como maior objetivo o acesso à Série B. Esse é o projeto do Cuiabá para o ano", avaliou.

Para o jogo final do estadual contra o Operário, o presidente do clube declarou que "a procura por ingressos é grande, mesmo com a partida acontecendo numa segunda-feira". Aliás, o Cuiabá deve ter casa cheia também na próxima quarta (13), às 22h (de Brasília), quando recebe o Vasco pela partida de ida da segunda fase da Copa do Brasil.

No Brasileiro da Série C, o Dourado começa sua jornada em busca do acesso à Segundona daqui a duas semanas, no dia 17 de maio (domingo), às 16h, quando viaja para Goiânia para encarar o Vila Nova no Serra Dourada. Empolgação não deve faltar à jovem e promissora agremiação cuiabana.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade