PUBLICIDADE

Buffon explica falha com Brasil e diz: "não me escondo atrás do vidro"

26 jun 2013 18h32
| atualizado às 19h35
ver comentários
Publicidade
<p>Buffon admitiu que falhou no gol de falta do Neymar</p>
Buffon admitiu que falhou no gol de falta do Neymar
Foto: Bruno Santos / Terra

“Não sou nunca alguém que se esconde atrás do vidro”. A declaração de Gianluigi Buffon explica bem como é a postura do goleiro. Capitão e segundo jogador que mais atuou pela seleção italiana, Buffon voltou a ser questionado nesta quarta-feira sobre a atuação contestada que teve na derrota por 4 a 2 para o Brasil, no último sábado. Sem se exaltar, ele confirmou a falha no gol de falta do Neymar e falou em recomeçar diante da Espanha, na semifinal da Copa das Confederações.

Confira todos os vídeos da Copa das Confederações

“Fiz também coisas muito boas, mas sei que podia fazer melhor”, disse, acerca da derrota para o Brasil. “Quando um goleiro toma gols é só isso o que se olha nos 90 minutos. Não penso que isso seja a verdade ou a medida certa de julgamento. Infelizmente minha função é tão ‘ingrata’ que às vezes você pode ser surpreendido, mesmo se não é comum”.

Segundo sua própria avaliação, Buffon fez uma competição “muito boa” até os “60min da partida contra o Brasil”. Foi aproximadamente nesse instante que ele sofreu o gol de falta de Neymar, que desempatou para 2 a 1 a partida disputada na Arena Fonte Nova.

“Depois claramente estraguei um pouco os nossos planos. Errei na falta de Neymar, mas essa é a vida, esse é o esporte. Somos grandes o suficiente para saber que temos sempre uma outra partida depois. Espero a partir de amanhã (quinta-feira) recomeçar junto aos meus companheiros para poder alcançar um resultado que talvez possa parecer inesperado na véspera”, completou, admitindo que o favoritismo para a semifinal, a ser disputada no Estádio Castelão, é da Espanha.

Buffon, 35 anos e 131 partidas pela seleção italiana, deve se tornar em 2014 o único jogador italiano a disputar cinco Copas do Mundo. Ainda na entrevista desta quarta-feira, concedida antes do treino de reconhecimento do gramado do Castelão, o atleta da Juventus projetou que, em termos de goleiros, a Itália pode estar tranquila durante um longo período de tempo.

“Penso que a Itália esteja criando uma reserva muito importante, com goleiros jovens que dentro em breve escreverão páginas importantes na história do futebol italiano e mundial”, afirmou Buffon. Na Copa das Confederações de 2013, seus reservas são Federico Marchetti (30 anos, da Lazio, que tem nove jogos pela seleção) e Salvattore Sirigu (26 anos, do Paris Saint-Germain, que tem seis jogos pela seleção).

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade