PUBLICIDADE

Fifa e Interpol discutem segurança a ser adotada durante a Copa do Mundo do Catar

Tema é motivo de preocupação na entidade máxima do futebol, que terá apoio do governo local e também das Nações Unidas

23 mai 2022 17h57
| atualizado às 17h57
ver comentários
Publicidade

Segurança foi a pauta de uma conferência na qual fizeram parte o Comitê de Operações de Segurança e Proteção do Comitê Supremo para Entrega e Legado, neste domingo, em Doha, como preparativos para a Copa do Mundo do Catar, a ser disputada entre 21 de novembro e 18 de dezembro.

Com a intenção de delinear a prontidão do Catar para ser sede de um torneio seguro e promover uma maior cooperação entre os órgãos de aplicação da lei no país e em todo o mundo, o evento tem a participação de mais de 40 delegações representando os países classificados para o Mundial, além de representantes das Nações Unidas, Fifa, Ministério da Defesa, Ministério do Interior, Força de Segurança Interna, Interpol e Europol.

Organismos internacionais se reúnem em Doha para discutir segurança na Copa do Mundo do Catar
Organismos internacionais se reúnem em Doha para discutir segurança na Copa do Mundo do Catar
Foto: Divulgação / Estadão

Estarão em análise uma visão geral do torneio, avaliação de risco de segurança, planejamento de segurança, procedimentos de segurança nas instalações do torneio, requisitos de segurança cibernética, comunicação e cooperação com parceiros internacionais.

O presidente do Comitê de Operações de Segurança e Proteção, Abdulaziz Al Ansari, disse, em seu discurso de abertura, que "a conferência é a realização de prolongados esforços de coordenação entre diferentes partes e conquistas de segurança que reafirmam o compromisso assumido de realizar a edição mais segura da Copa do Mundo até hoje".

O dirigente prosseguiu: "O Estado do Catar está pronto para sediar o maior evento esportivo do mundo. Nosso país goza dos mais altos níveis de segurança, reforçados por um serviço policial de classe mundial. O Catar ocupa o primeiro lugar em todos os indicadores de segurança global, incluindo uma taxa de criminalidade excepcionalmente baixa. Nossa capacidade de sediar eventos seguros de grande escala foi comprovada mais recentemente durante a pandemia do covid-19, onde conseguimos gerenciar com sucesso várias medidas de saúde e segurança simultaneamente".

Helmut Spahn, diretor de Segurança da Fifa, também participou da abertura e destacou que o nível de integração e parceria alcançado com o Comitê de Operações de Segurança e Proteção da Fifa para a Copa garante que o torneio será entregue com os mais altos padrões de segurança.

Spahn confirmou que "a participação nesta conferência confirma a importância da coordenação e cooperação entre os órgãos internacionais de aplicação da lei".

Estadão
Publicidade
Publicidade