0

Sua majestade, o futebol

A França é bicampeã em final com gol contra, golaço, VAR, lambança e Mbappé

15 jul 2018
15h10
atualizado às 15h11
  • separator
  • 0
  • comentários

Que final de Copa! Os deuses do futebol capricharam no enredo. A favorita França foi dominada no início do jogo e os croatas até marcaram primeiro, só que do lado errado. Um gol contra de Mandzukic, que desviou a falta cobrada por Griezmann.

Quer mais? Teve golaço de Perisic, em chute cruzado de esquerda, fulminante para empatar. Só que o mesmo Perisic ressuscitou o VAR, que estava sumidão no mata-mata. Griezmann bateu o pênalti para colocar a França na frente outra vez.

Estava sentindo falta do Mbappé?

Mbappé marca o quarto gol da França e comemora
Mbappé marca o quarto gol da França e comemora
Foto: Michael Dalder / Reuters

Ele até tentou no primeiro tempo, mas foi no segundo que ele começou a se soltar, puxando os contra-ataques pela direita. Em uma dessas jogadas, tocou para Griezmann, que ajeitou para Pogba tentar duas vezes até fazer o terceiro.

Sim, também teve Modric, incansável e talentoso, que foi eleito depois do jogo como o melhor da Copa. Um prêmio que a Fifa tem transformado em uma espécie de consolação para os vice-campeões.

Voltando aos campeões. Faltava um gol de Mbappé e ele veio, claro, de fora da área, com a habitual categoria. O melhor jogador de fato na Copa da Rússia também saiu com o troféu de revelação.

Com 4 x 1 no placar, a Copa estava definida, mas se você sentiu falta de uma lambança, ela veio com o bom goleiro Lloris, que tentou driblar Mandzukic e permitiu que o atacante também fizesse um gol a favor.

Jogadores da França erguem o troféu da Copa do Mundo 15/07/2018  REUTERS/Dylan Martinez
Jogadores da França erguem o troféu da Copa do Mundo 15/07/2018 REUTERS/Dylan Martinez
Foto: Reuters

Talvez você quisesse que o centroavante Giroud tivesse desencantado. Bom, aí já seria pedir demais até para os deuses do futebol.

Muito se falou do cansaço dos valentes croatas, que disputaram três prorrogações, antes de enfrentarem os franceses. Ora, eles se cansaram mais, porque não conseguiram vencer no tempo normal.

O título ficou em boas mãos e a bola agradece por ter sido tão bem tratada pelos pés de Modric, Griezmann, Pogba e Mbappé, o segundo mais jovem a fazer gol em uma final de Copa, só perdendo para Pelé.

Viva a França e viva o futebol!

Veja também:

 

Fonte: Blog A Copa no sofá   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade