0

Bangu pensa em estratégias para chegar à final do Carioca

5 abr 2019
13h05
  • separator
  • 0
  • comentários

O Bangu sabe que vai precisar se impor contra o Vasco neste domingo, às 16h(de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), pelas semifinais do Campeonato Carioca. Afinal de contas, o Cruz-Maltino tem a vantagem de poder empatar. Diante deste cenário os banguenses entendem que um dos caminhos para encurtarem o caminho para a vitória é pressionar a saída de bola do rival.

Na visão do técnico Ado, o Bangu cometeu o erro de se defender em excesso na semifinal da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, quando foi derrotado pelo próprio Vasco no Maracanã. Ele não quer ver a repetição da estratégia.

"Não podemos repetir alguns erros que cometemos contra o próprio Vasco na semifinal da Taça Rio, quando nos defendemos apenas e deixamos de tentar impor o nosso estilo de jogo. Uma de nossas características é apertar a marcação e tentar impedir que o adversário possa jogar. Contra o Vasco neste domingo temos que reeditar este futebol. A nossa equipe respeita demais o nosso rival, mas entendemos que podemos fazer um grande jogo e garantirmos a tão sonhada vaga na final do Campeonato Carioca. Vamos trabalhar muito por isso", avisou o treinador do Bangu, prometendo uma postura ofensiva.

Nesta sexta-feira o elenco do Bangu participou de um trabalho tático. O time para este compromisso diante do Vasco será definido nos últimos treinos da semana, mas Ado deverá manter a base que vem atuando e escalar o time com: Jefferson Paulino, João Lucas, Anderson Penna, Rodrigo Lobão, Dieyson, Felipe Dias, Marcos Júnior, Felipe Adão, Yaya Banhoro, Anderson Lessa e Jairinho. Neste sábado o elenco participa de um treino recreativo. Logo depois, começa o período de concentração para a semifinal.

Campeão carioca nos anos de 1933 e de 1966, o Bangu não chega à decisão do Campeonato Carioca desde 1985. Naquela ocasião o time, que tinha o próprio Ado como jogador, além do ex-atacante Marinho, foi derrotado pelo Fluminense por 2 a 1. Aquele duelo foi marcado por muitas polêmicas envolvendo a arbitragem de José Roberto Wright, que deixou de marcar um pênalti do ex-zagueiro tricolor Vica no artilheiro Cláudio Adão.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade