0

Aos 35 anos, Vagner Love carrega esperança de gols do Corinthians no Maracanã

Veterano precisa marcar diante do Flu pela Sul-americana; empate com gols classifica o time alvinegro à semi

29 ago 2019
04h41
atualizado às 04h41
  • separator
  • 0
  • comentários

Depois do empate por 0 a 0 no jogo de ida diante do Fluminense, o Corinthians precisa de pelo menos um gol nesta quinta-feira para se classificar à semifinal da Copa Sul-Americana. Pelo regulamento do torneio, o gol fora de casa vale como critério de desempate. Fazer gols está sob a responsabilidade, principalmente, do atacante Vagner Love, artilheiro da equipe na temporada com 10 gols, ao lado de Gustavo, e artilheiro do time no torneio sul-americano, com quatro.

O atacante de 35 anos viveu fases distintas antes de voltar a ser principal esperança de gols do Corinthians. Embora seja escalado para os principais jogos da temporada, ele sofre a concorrência do argentino Mauro Boselli, que parece ter se adaptado ao futebol brasileiro, e chegou a ser reserva de Gustavo no primeiro semestre.

Isso significa que a condição de titular não chegou pronta. No início do ano, quando foi contratado, Love estava bem na Turquia, mas rescindiu com o Besiktas por causa dos salários atrasados. Pesou também a vontade de defender o clube alvinegro depois de ter ficado três temporadas fora do Brasil: antes do Besiktas, o atacante passou pelo Mônaco e pelo Alanyaspor.

Nos três anos no futebol turco, ele trabalhou com seu próprio preparador físico para fazer treinos complementares. Hoje, em sua segunda passagem pelo clube, Love faz o papel de segundo atacante - em alguns momentos, ele joga até como meia.

O atacante voltou bem fisicamente, mas seu primeiro gol demorou sete jogos sair. Só desencantou diante do Racing, na própria Copa Sul-Americana. Mesmo assim, nunca deixou de ser protagonista. Na final do Campeonato Paulista, contra o São Paulo, fez o gol do título aos 43 do segundo tempo. Foi o herói do tricampeonato. Em 2015, na primeira passagem pelo clube, o atleta teve papel de destaque na conquista do Campeonato Brasileiro e foi vice-artilheiro da competição, com 14 gols.

Decisão por pênaltis

Nesta quinta-feira, Vagner Love tem a obrigação de resolver os problemas de finalização que o time mostrou no jogo de ida. Novo empate por 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Ao longo da semana, o técnico Fábio Carille dedicou boa parte dos treinamentos pensando nesta possibilidade. Na primeira partida, o treinador foi surpreendido. O time carioca adotou duas linhas de quatro atletas mais recuada, jogou bem e sofreu pouco. No Maracanã, o Corinthians terá de sair para atacar, postura que nem sempre executa com eficiência.

"É um estilo de jogo que a gente não tinha enfrentado ainda, peças rodando, sem centroavante, Nenê rodando, foi uma coisa nova. Carille nos passou o que poderia acontecer, mas o excesso de vontade nos atrapalhou de atacar", afirmou Junior Urso em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, no CT Joaquim Grava.

A principal dúvida da escalação é a presença de Pedrinho. O meia treinou na terça-feira (o treino de quarta foi fechado à imprensa) e parece estar recuperado de dores no quadril. Ele deve jogar. O jogador de 21 anos é a principal esperança de criatividade para o time que precisa fazer gols.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade