PUBLICIDADE

Ex-atacante Fabrizio Miccoli é preso na Itália por extorsão

O ex-atleta do Juventus, Fiorentina e Palermo foi condenado a 3 anos e 6 meses de prisão

25 nov 2021 09h50
| atualizado às 10h03
ver comentários
Publicidade
Fabrizio Miccoli
Fabrizio Miccoli
Foto: IPA/Sipa USA / Reuters

O ex-atacante Fabrizio Miccoli, que defendeu Juventus, Fiorentina e Palermo, foi detido na última quarta-feira (24) em Veneza, na Itália, para cumprir pena de três anos e seis meses de prisão por extorsão mafiosa.

Aos 42 anos de idade, Miccoli se apresentou espontaneamente no presídio de Rovigo, no norte do país, para iniciar o cumprimento da pena.

O ex-jogador teria ajudado um amigo a recuperar uma dívida de 12 mil euros através dos seus contatos da máfia, que usaram práticas violentas.

Miccoli também é muito ligado a Mauro Lauricella, filho do chefe mafioso Antonino Calderone, que está preso.

Os investigadores do caso encontraram diversas conversas entre Miccoli e Lauricella. Em algumas delas, o ex-centroavante da seleção da Itália ofendeu o famoso juiz Giovanni Falcone, assassinado pela Cosa Nostra em 1992. O ídolo do Palermo pediu desculpas pelos comentários.

Apelidado de 'Romário de Salento', Miccoli encerrou a carreira em dezembro de 2015, após boas passagens por Palermo, Benfica, Fiorentina e Lecce. Pela Azzurra, disputou somente 10 partidas e marcou dois gols.

Seu último trabalho no futebol foi em julho deste ano, quando foi contratado para ser um dos dirigentes das categorias de base da Triestina. No entanto, renunciou ao cargo poucos dias depois.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade