PUBLICIDADE

Doncic cala fãs dos Celtics na NBA House em noite de atropelamento dos Mavericks

Franchise player recebe ajuda de Kyrie e coadjuvantes, e Dallas ainda sonha com o milagre do 1-156, por Rafa Prado

15 jun 2024 - 08h10
Compartilhar
Exibir comentários
Luka Doncic foi a grande estrela do  Dallas Mavericks
Luka Doncic foi a grande estrela do Dallas Mavericks
Foto: Kevin Jairaj-USA TODAY Sports / Reuters

Sextou, Terra Cestamos, e a NBA House nunca esteve tão lotada. Ao menos não nas Finais da temporada atual. Pouco menos de duas horas para o jogo e quem quisesse estacionar o carro teria que optar por vagas lá na "Conferência Leste" do estacionamento, tomando muito cuidado com a presente e dominante torcida verde - ampla maioria mais uma vez nas dependências do Parque Villa-Lobos, em São Paulo.

Assine NBA League Pass, por R$39,99, e veja os jogos na hora que quiser, em português, e acesse a cobertura completa, documentários e todas as estatísticas em tempo real!

Já na área interna do evento, o visível recorde de público desta temporada dava conta de uma torcida nitidamente ansiosa pelo ainda muito próximo décimo oitavo título da franquia de Tatum, Brown e cia.

Seria o início de mais uma noite de festa para os discípulos de Bill Russell e Larry Bird?!

Não.

>>> Bola que sobe

Assim que a partida começou no American Airlines Center, em Dallas, o público presente no Parque Villa-Lobos teve, por metade do primeiro quarto, a impressão que estava no Parque do Ibirapuera. Uma dupla de cada lado e é isso. Tatum & Brown vs. Kyrie & Luka Doncic. Sim, ninguém além dos quatro pontuou até ali. Quando os coadjuvantes enfim resolveram jogar, os Mavs abriram 13 pontos - com todos pontuando ao melhor estilo Celtics - que ironia. Parcial de 34 a 21 para os donos da casa.

No segundo quarto, Doncic mostrou porque é o Batman dos Mavericks e, ao lado de Irving [o Robin], comandou as principais jogadas dos Mavs, bem mais ligados e intensos na partida. Destaque ainda para o bom trabalho do banco de Dallas, principalmente com Dante Exum [10 pontos], on fire e autor de duas bolas de três que levaram o ginásio à loucura. No fim do primeiro tempo, 27 a 14 no segundo quarto e 61 a 35 [!] no placar, maior diferença sofrida pelos Celtics na era Mazzulla.

A amasso categórico resultou em um silêncio profundo da torcida do Boston na NBA House! Já os poucos torcedores dos Mavs desfilavam sorridentes, quase todos portando a pesada camisa 77 de Luka Doncic.

A equipe de Dallas voltou para a segunda metade da partida no mesmo ritmo: forte defensivamente e pegando fogo no ataque. Jaylen Brown e Jayson Tatum foram bem marcados. Ofensivamente os mandantes foram quase impecáveis, alternando jogadas no garrafão e bolas de três. Com show de Irving, a vantagem chegou a ser de 36 pontos e o duelo foi para a última parcial com o placar em 92 a 60.

O quarto final foi protocolar e, como de costume em jogos previamente decididos, os jogadores reservas receberam minutagem, e parte do público deixou o evento. Não em Dallas, mas sim em São Paulo...

A sequência de cestas de Tim Hardaway Jr, do Dallas Mavericks, levou o ginásio texano à loucura. A vantagem dos mandantes chegou a ser de 45 pontos [!!], mas o duelo terminou com o placar de 122 a 84.

Três a um na série.

Apesar da ajuda do banco, Luka Doncic foi o destaque com sobras. O esloveno marcou 29 pontos, foi o cestinha do duelo e anotou 5 rebotes, 5 assistências e 3 roubos de bola. Kyrie Irving fechou o jogo com 21 pontos, 6 assistências e 4 rebotes. Além de Oxum, Gafford, com 7 pontos e 4 rebotes; Dereck Lively II, com double-double de 11 pontos e 12 rebotes; e P.J. Washington, com 6 pontos e 2 rebotes, também foram decisivos para a vitória.

Pelos Celtics, partida bem abaixo dos principais nomes do time. E se antes do jogo surgiu a informação de que Kristaps Porzingis estava liberado para jogar, o fato acabou não se comprovando, já que o Porzingão da Massa não pisou em quadra.

Tatum e Brown não brilharam como de costume, com o primeiro anotando somente 15 pontos, com 5 rebotes, 3 assistências, 1 roubo e 2 tocos. Já o camisa 7 anotou 10 pontos, 2 rebotes e 1 assistência. Termômetro nos primeiros duelos, e principalmente no jogo anterior, Jrue Holiday demorou quase um tempo para marcar os primeiros pontos dele na noite, anotando 10 pontos, 3 rebotes e 2 assistências.

"Holiday de calça jeans molhada e hibernando hoje...", reclamava o exigente torcedor dos Celtics em frente ao telão principal da NBA House.

Era o fim do sextou verde. Festa adiada.

>>> O milagre do 1-156

Com a vitória no Texas, os Mavericks forçam o jogo 5, que acontece na próxima segunda-feira (17), no TD Garden, em Boston. A situação ainda é delicada, já que se quiser conquistar a Liga mais uma vez, Dallas terá que vencer todos os três jogos restantes (dois fora de casa) e atingir algo jamais alcançado na história da Liga em 156 tentativas: virar um 3 a 0.

O sonho do 4 a 0 ficou pelo caminho e a "varrida" não veio. Resta saber agora se o mar verde, em São Paulo e no mundo, vai comemorar a aguardada retomada de liderança de "Larrys" [O'Brien] sobre o rival de Los Angeles, ou se vai começar a temer de fato aquela que pode ser a maior virada da história da NBA.

E a maior pipocada também...

A gente se vê no jogo 5.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade