1 evento ao vivo

GP às 10: Líder da F2, Schumacher já tem tudo para conseguir vaga na F1 em 2021

No GP às 10, Gabriel Curty faz um balanço da reta final da temporada 2020 da Fórmula 2, coloca sete pilotos como candidatos ao título e até a vagas na Fórmula 1, mas vê Mick Schumacher um passo adiante

17 set 2020
10h01
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Mick Schumacher segue se aproximando da F1
Mick Schumacher segue se aproximando da F1
Foto: Erick Spalla/Grande Prêmio / Grande Prêmio

Mick Schumacher assumiu a liderança da temporada 2020 da Fórmula 2 e, cada vez mais, parece com o futuro muito bem encaminhado na Fórmula 1. No GP às 10, Gabriel Curty entende que isso deve acontecer já em 2021 e, de quebra, faz uma análise dos adversários do alemão na briga pelo título, indicando que são mais seis na disputa e que todos têm, em maior ou menor escala, chances de F1 no futuro.

Aproveite e siga o canal do GRANDE PRÊMIO no DailyMotion.

Os dez últimos novos vencedores da Fórmula 1

Ao cruzar a linha de chegada no mítico circuito de Monza e vencer de forma incrível o GP da Itália, Pierre Gasly tornou-se o 109º piloto da história a triunfar em uma corrida do Mundial de Fórmula 1. A bordo do carro da AlphaTauri empurrado pelo motor Honda, o francês de 24 anos quebrou uma hegemonia do trio Mercedes-Red Bull-Ferrari que durava desde quando Kimi Räikkönen faturou o GP da Austrália de 2013 com a Lotus, sucessora e, ao mesmo tempo, antecessora da Renault como conhecemos hoje. Gasly entrou para a galeria dos novos vencedores da F1.

Trata-se de uma façanha e tanto. Mas também é verdade que, cada vez menos, a Fórmula 1 conhece novos pilotos vencedores. Desde que Heikki Kovalainen venceu o GP da Hungria de 2008 a bordo da McLaren e tornou-se o 100º homem da história a triunfar em uma etapa do Mundial, somente outros nove competidores triunfaram pela primeira vez. E tudo isso num espaço de quase 11 anos.

Tudo depende muito da ordem de forças e da dinâmica da Fórmula 1 em cada temporada. Naquele 2008, por exemplo, além de Kovalainen e Sebastian Vettel, que assim como Gasly, venceu em Monza a bordo da Toro Rosso, antigo nome da AlphaTauri, Robert Kubica subiu ao topo do pódio pela primeira e única vez na carreira a bordo de uma BMW que despontava como uma das forças daquele campeonato.

Com o passar dos anos e a polarização da Fórmula 1, sobretudo a partir do início da era híbrida de motores, vencer corridas tornou-se praticamente um monopólio de quem corria por Mercedes, Red Bull e Ferrari. Tanto que, entre 2014 e 2019, quatro pilotos provaram o doce sabor da vitória pela primeira vez, e sempre correndo por uma dessas equipes. Até que Gasly quebrou a sequência no último domingo. Tudo isso só representa, ainda que a conquista do francês tenha sido circunstancial, o gigante feito logrado em Monza.

Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade