0

Button coloca Alonso como piloto mais completo e Senna o mais rápido

16 out 2017
12h02
atualizado às 12h05
  • separator
  • comentários

Campeão mundial em 2009, Jenson Button está aposentado da Fórmula Um desde 2016. Apesar de ter algumas chances de retornar, como na atual temporada quando substituiu Fernando Alonso no GP de Monaco, o piloto britânico não se mostra empolgado e não deve retomar a função. No entanto, o ex-piloto ainda possui uma forte ligação com o mundo automobilístico.

Em uma prévia de sua autobiografia, que deve ser lançada no dia 19 de outubro, revelada pela BBC, Button não foge das polêmicas e comenta sobre sua parceria com Lewis Hamilton, na McLaren entre 2010 e 2012, e com Fernando Alonso, com quem dividiu equipe na mesma escuderia, entre 2015 e 2016.

Sobre o piloto inglês, Button afirma que apesar de não ter problemas pessoais com Lewis, sabe que o compatriota ficou irritado com sua chegada na equipe. "Pessoalmente, ele estava bem comigo, sem problema algum nessa altura do campeonato, mas você poderia simplesmente dizer que ele estava um pouco irritado", revelou.

Já sobre a parceira com o espanhol, Jenson avalia Alonso como um dos adversários mais completos que já enfrentou, porém afirma que não era o mais rápido, posto dividido por Hamilton e Senna na opinião do britânico.

"Eu diria que, ao longo dos anos, Fernando foi um dos competidores mais difíceis que eu enfrentei, tanto como companheiro de equipe como rival em outras equipes. Lewis era incrivelmente rápido e podia tirar uma volta do bolso, assim, do nada: ele e Ayrton Senna eram os dois pilotos mais rápidos em uma volta, talvez em toda a história. Mas Fernando era o piloto mais completo. Eu saberia, mesmo que o superasse na classificação, que ele ainda seria difícil de vencer em uma corrida. Ele é legal do lado de fora (da pista), realmente afável e acessível, mas, por trás disso, ele é um concorrente muito, muito difícil, que fará qualquer coisa para vencê-lo", avaliou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade