0

Mercado aumenta projeção para o PIB de 2019 depois do resultado do 2º trimestre

Economistas acreditam que Copom vai continuar com os cortes na Selic, que deve fechar 2019 em 5% ao ano

2 set 2019
10h26
  • separator
  • 0
  • comentários

BRASÍLIA - Na esteira dos dados mais recentes do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, a expectativa de crescimento da economia em 2019 passou de 0,80% para 0,87%, conforme o Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 2, pelo Banco Central. Há quatro semanas, a estimativa de alta era de 0,82%.

Para 2020, o mercado financeiro manteve a previsão de alta do PIB em 2,10%. Na última quinta-feira, 29, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB do segundo trimestre de 2019 subiu 0,4% em relação ao primeiro trimestre, acima do esperado pelo mercado.

No fim de junho, o BC havia atualizado, por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), sua projeção para o PIB em 2019, de alta de 2,0% para elevação de 0,8%.

A previsão para o IPCA, o índice oficial de preços, no fim de 2019 desacelerou de alta de 3,65% para elevação de 3,59%. Há um mês, estava em 3,80%. A projeção para o índice em 2020 seguiu em 3,85%. Quatro semanas atrás, estava em 3,90%.

A estimativa dos economistas está abaixo do centro da meta de 2019, de 4,25%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto porcentual (índice de 2,75% a 5,75%). Para 2020, a meta é de 4%, com margem de 1,5 ponto (de 2,50% a 5,50%).

As projeções mais recentes do BC, considerando o cenário de mercado, apontam para inflação de 3,6% em 2019 e 3,9% em 2020. Elas constaram na ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), realizado no fim de julho. Na ocasião, o colegiado reduziu a Selic, a taxa básica de juros, de 6,50% para 6,00% ao ano.

Os economistas acreditam que Copom vai continuar com os cortes na Selic, que deve fechar 2019 em 5% ao ano. A projeção para a taxa no fim de 2020 permaneceu em 5,25% ao ano.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade