5 eventos ao vivo

Localiza lança assinatura de carro para pessoa física e pequenas e médias empresas

Serviço terá planos de até 48 meses com veículos novos, que podem rodar 4,5 mil quilômetros por mês; empresa calcula economia de até 30% ao ano na comparação com o custo de ter um carro

18 set 2020
11h43
atualizado às 13h47
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

De olho nas oportunidades do modelo de contratos de locação mais longos, que se mostraram resilientes em períodos de crise, assim como a tendência na sociedade de escolher o uso em detrimento da posse de um bem, a Localiza lançou nesta sexta-feira, 18, o Localiza Meoo, sistema de assinatura de carros 0 km, com planos de até 48 meses com veículos que podem rodar 4.500 km por mês.

A aposta é conquistar o consumidor com a redução de até 30% nos custos em relação à compra de um carro, além do fim de burocracias como manutenção, desvalorização e venda posterior.

Localiza
Localiza
Foto: Divulgação / Estadão

Mesmo com a pandemia, o grupo avançou com o projeto, que estava no radar da empresa há cerca de quatro anos. "Observamos nossos clientes. Quando apresentávamos nossos produtos para as empresas grandes, as pessoas físicas ficavam muito interessadas, perguntavam se podiam contratar também", disse João Andrade, diretor executivo de Gestão de Frotas da Localiza.

Empresas menores, com frota potencial de até 10 carros, também estão no radar do Meoo, que se baseou em iniciativas consolidadas na Austrália e Europa.

Por se tratar de um mercado novo, é difícil estimar o potencial de clientes. O grupo destaca, entretanto, que a frota de automóveis na garagem das empresas no Brasil hoje está na casa de 5 milhões de unidades. Desse total, cerca de 2,8 milhões estão com empresas com menos de 10 carros. "Quando falamos de carros para pessoa física é um mercado muito maior. Se pensarmos nos últimos cinco anos, foram 10 milhões de carros vendidos", disse.

Os valores para o aluguel variam de acordo com prazo, quilometragem por mês e modelo. Provocado a dar uma estimativa, Andrade disse que um veículo 1.0, em um contrato de 48 meses, com manutenção, seguro para terceiros e documentação, fica na casa dos R$ 1 mil por mês.

A aposta da empresa é conquistar os motoristas pela ausência de burocracia e custo reduzido. "Calculamos uma economia de até 30% ao ano se compararmos com o custo de ter um carro", disse.

A empresa se inspirou também em sistemas de assinatura, como o Netflix, que mudou completamente a indústria cinematográfica e deu um xeque-mate nas locadoras de filme.

Depois do pior da pandemia, a Localiza já começou a ver uma retomada nas locações no fim do segundo trimestre e julho, segundo a empresa, já atingiu a normalidade.

O novo negócio pega carona no segmento de gestão de frotas, que se mostrou resiliente durante períodos de crise por se tratar de contrato mais longo. Enquanto a frota média alugada no setor de aluguel de carros caiu 8% no segundo trimestre deste ano na comparação anual, para 108 mil unidades, a gestão de frotas apresentou alta de 14,4% em igual comparação, para 58,6 mil unidades.

Em tempos de isolamento, a empresa usou de tecnologia para chegar ao cliente, que terá de entrar em contato com a Localiza Meoo pelo site ou outra plataforma oficial, selecionar o modelo e escolher o período de contrato. A proposta será assinada eletronicamente e, após a aprovação, o veículo é entregue no local escolhido.

Em um primeiro momento, o grupo vai atender 600 municípios no País, que concentram mais de 80% da frota circulante do Brasil. Foi criado um aplicativo para que o usuário faça toda a gestão do carro, como manutenções, acompanhamento de condutores, gerenciamento de multas e clube de benefícios.

O novo serviço não é direcionado aos motoristas de aplicativos, como Uber e 99. "O comportamento do motorista de aplicativo é diferente. Ele roda muito com o carro. Ele precisa de mais flexibilidade e os contratos têm duração menor", disse Andrade, destacando o serviço Driver da empresa, direcionado à categoria.

Veja também:

Flagrado com dinheiro na cueca, Chico Rodrigues pede afastamento do Senado por 90 dias
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade