0

Clube de lâminas de barbear acha espaço no mercado online

Três empreendedores abriram negócio na internet para driblar a concorrência no comércio tradicional

15 dez 2015
09h00
  • separator
  • 0
  • comentários

Encontrar nichos de mercado pouco explorados é uma das dicas para quem pensa em abrir uma loja na internet. No caso da Home Shave Club, vender online foi a solução para entrar em um segmento já ocupado por outras marcas no varejo físico tradicional: o de lâminas de barbear. “Seria até burrice da nossa parte querer competir onde uma única marca domina 80% do mercado”, diz um dos sócios da empresa, Arthur da Costa, 27.

Um dos kits da Home Shave Club
Um dos kits da Home Shave Club
Foto: Divulgação

Em meados de 2013, ele e mais dois sócios, Lúcio e Felipe, perceberam o sucesso do clube de assinaturas de lâminas Dollar Shave Club nos Estados Unidos. O modelo de negócios era atraente, mas o trio ainda tinha resistência em implantar algo parecido no Brasil. Até que um vídeo divulgado pela empresa norte-americana chamou a atenção dos empresários: “Eles tiveram 15 mil assinaturas em 48 horas”, lembra Arthur.

Durante 10 meses, eles experimentaram produtos até optarem por uma fabricante coreana. O site foi ao ar em agosto do ano passado e hoje a empresa entrega em mais de 60 cidades e 15 Estados no país. O faturamento cresce a uma taxa média de 30% ao mês.  

Arthur e os sócios se inspiraram no formato estrangeiro para criar a Home Shave Club. Os clientes podem assinar pacotes mensais, bimestrais ou trimestrais, e recebem as lâminas em casa.

Clube virtual
A ideia por trás do negócio é tentar envolver os clientes em uma experiência de compra exclusiva, como se participassem mesmo de um clube, de uma confraria. Além das lâminas de barbear, a Home Shave entrega a seus membros informes, agenda de eventos e conteúdo voltado para o público masculino.
 
“Comprar lâminas geralmente não é um processo prazeroso. É chato e cansativo. É muito mais agradável receber na porta da sua casa. O que pensamos em fazer foi basicamente isso: sair do canal tradicional, ir para o canal online e melhorar a experiencia de compra dos clientes”, explica Arthur.

Com pouco mais de um ano de mercado, a empresa está em negociação com investidores (por esse motivo não informaram quantidade de clientes e faturamento), e os planos para 2016 são de crescimento. “Nosso plano é fechar essa rodada de investimentos, melhorar a plataforma do site e investir em marketing”, completa Arthur.

Fonte: Canarinho Press
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade