PUBLICIDADE

Carro usado: siga dicas para não comprar um "problema"

Publicidade

Imagine a cena: você se interessa por um veículo usado com preço atraente e, na pressa de fechar o negócio para não perder a oportunidade, adquire um modelo "recheado" de problemas que, na maioria das vezes, poderiam ser verificados antes de a documentação mudar de nome. A primeira orientação da compra de um usado é em relação à documentação.

» Guia 0 km: veja quanto custam todos os carros no Brasil

Verificar documentação é o primeiro passo
Verificar documentação é o primeiro passo
Foto: Getty Images

Francisco Satkunas, engenheiro e conselheiro da Sociedade de Engenheiros da Mobilidade, a SAE Brasil, orienta que a verificação da documentação deve ser feita para ter certeza que o carro não é roubado ou não tem multas. "Do mesmo jeito, o número do chassi deve ser conferido para se ter certeza que não foi alterado", recomenda. Paulo Roberto Garbossa, consultor técnico da ADK Automotive, faz coro dizendo que uma das primeiras atitudes deve ser a verificação da procedência do modelo, além de pedir uma inspeção técnica do veiculo, que ateste sua originalidade, se possível.

Passada esta fase de documentação e chassi, começa a verificação "básica" na parte externa do modelo, do estado geral de conservação. "Observar as junções de portas, capô e porta-malas é crucial para saber se elas estão em uma distância constante. Caso contrário, isso é um indício que a parte foi retirada e colocada, e que o carro passou por um acidente", ensina Alfredo Guedes Júnior, engenheiro da Honda. Satkunas alerta ainda que, se for possível, o interessado deve pedir para levantar o carro e conferir a parte de baixo do modelo, para avaliar desgastes, ferrugem e sinais de corrosão, que podem ser um mau indício.

Em relação à parte mecânica, é indispensável pedir um "test-drive" no carro para verificar se o modelo não puxa a direção para um dos lados, o que significa, entre outras coisas, problemas de suspensão. Chamar um especialista para ajudar a avaliar o carro antes de comprá-lo é quase lei para os especialistas. "Existem muitas práticas que só serão desvendadas por profissionais. Muita gente usa um óleo mais grosso que mascara o desgaste do motor, e consequentemente, a queima de óleo e o ruído produzido por ele. O mesmo acontece com a transmissão. E só um profissional vai identificar isso", completa Guedes.

Confira algumas checagens indispensáveis antes de comprar um usado:

Primeiras atitudes:

- Tenha certeza da procedência do veículo. Se for comprado de um "particular", questione o porquê da venda;
- Em algumas concessionárias, o interessado pelo usado pode pedir uma espécie de avaliação, que documenta todo o histórico do modelo;
- Verifique sempre a documentação. Confira se o modelo está em dia, sem multas, e se o número do chassi é o mesmo do documento;
- Procure saber se o modelo passou por todas as revisões necessárias. Em caso de veículo na garantia, ela pode perder a validade, caso a revisão não tenha sido feita;
- De acordo com especialistas, a compra de um carro, mesmo usado, é algo emocional. Mesmo assim, aja racionalmente e, ao menos, verifique se o modelo escolhido tem a facilidade de peças e se a manutenção é em conta;
- Peça a ajuda de um profissional antes de fechar a compra. Ele pode identificar problemas que seus olhos não enxergam;
- Faça um test-drive. É válido pegar uma rua plana e verificar se o modelo não puxa a direção para um dos lados, o que significa, entre outras coisas, problemas de suspensão.

Na parte externa do veículo:

- Verifique minuciosamente se existem cicatrizes de batidas na lataria. Olhe atentamente se há a diferença do tom da lataria entre um encaixe e outro;
- Se for possível, levantar o carro para ver a parte de baixo dele;
- Fique atento a sinais de corrosão, ainda mais se o modelo for do litoral;
- Confira todos os vidros do automóvel. Marcas de pedrinhas e arranhões no para-brisa são fáceis de tirar. Mas se a trinca tiver um tamanho já significante, vai custar mais caro trocar o vidro;
- Borrachas das portas soltas ou mal encaixadas, e marcas de barro no veículo são indícios de que o mesmo já passou por enchente. A parte eletrônica quase sempre é afetada neste caso, o que desencadeia em vários problemas.
- Pneus também são itens caros. Os relevos mostram se estão gastos. Se sim, é uma boa forma de conseguir um desconto na compra. Não esqueça de verificar o desgaste nos quatro pneus, além do estepe.

Na parte interna do veículo

- Cheque o estado dos bancos dianteiros e traseiros. Se os bancos traseiros estiverem afundados demasiadamente, pode significar que o veículo já foi usado como táxi;
- É importante verificar a altura do pedal da embreagem. Se estiver muito embaixo ou muito em cima, significa que é preciso trocar a embreagem. E isso tem custo alto;
- Verifique o piso do carro. Se estiver molhado, pode ser um indício de vazamento do ar-condicionado ou má vedação. A chuva chega e o aborrecimento vem junto.

Fonte: Terra
Publicidade