0
TV

Hermila Guedes vive única policial mulher em 'Força Tarefa'

18 abr 2009
08h17
atualizado às 08h22



Para enfrentar seu novo papel em

Hermila Guedes atua em 'Força-tarefa'
Hermila Guedes atua em 'Força-tarefa'
Foto: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias / TV Press

Força Tarefa

, seriado policial da Globo, Hermila Guedes teve de se livrar de alguns preconceitos. Ela irá interpretar a Sargento Selma, única mulher dentro da corporação, e braço direito do Tenente Wilson, interpretado por Murilo Benício.

Juntos na corregedoria, eles usam a inteligência como meio de desvendar crimes cometidos por policiais corruptos. A atriz, que nunca gostou de nada relacionado ao gênero policial, se rendeu aos filmes hollywoodianos de ação para compor sua personagem. "Para dar credibilidade ao papel, fui atrás de alguns livros e todos os filmes da locadora que tivessem como enredo mulheres fortes, corajosas e extremamente policiais", garante.

Hermila garante ter tido um pouco de dificuldade para abrir mão de sua vaidade e de se entregar a esse mundo masculino. A atriz teve também aulas de tiro e "workshops" com palestras, que a fizeram conhecer melhor a realidade desses profissionais. Outra polêmica da nova série é a questão social.

Com personalidade forte e atuante, Selma não tem medo de participar das ações policiais promovidas por sua equipe. Isso irá gerar uma polêmica sobre a sexualidade da personagem. "Sou muito 'mulherzinha', mas estou me adaptando a este universo", afirma.

Nome: Hermylla Roberta Pires Guedes.

Nascimento: Em, 27 de novembro de 1980, em Cabrobó, Pernambuco.
Primeiro trabalho na TV: Por toda a minha vida, especial Elis Regina, da Globo.
Atuação inesquecível: "A Hermila do filme O Céu de Suely, de Karim Ainouz".
Interpretação Memorável: "A Hermila foi um personagem que marcou minha carreira".
Momento marcante na carreira: " A divulgação do filme, O Céu de Suely, quando viajei para vários países que não conhecia".
A que gosta de assistir: "A Grande Família e programas da MTV".
A que nunca assistiria: "Programas de autoajuda com auditório".
O que falta na televisão: "Mais programas culturais".
O que sobra na televisão: "Programas com fofocas de famosos".
Ator favorito: João Miguel.
Atriz favorita: Laura Cardoso.
Com quem gostaria de contracenar: Tony Ramos.
Se não fosse ator, seria: "Comecei a fazer faculdade de Letras, provavelmente daria continuidade e seria professora".
Humorista: Chico Anysio.
Novela: "A Gata Comeu, de Ivani Ribeiro".
Cena inesquecível: "Cenas de Heleninha Roitman, interpretada por Renata Sorrah, em Vale Tudo".
Vilão marcante: "Ravengar, vivido por Antônio Abujamra, na novela Que Rei Sou Eu, em 1989".
Personagem mais difícil de compor: "Elis Regina. É difícil fazer um personagem que realmente existiu".
Programas de humor: Friends.
Que novela gostaria que fosse reprisada: "Mais uma vez O Cravo e a Rosa, de Walcyr Carrasco".
Que papel gostaria de representar: "São tantos. Mas me inspirando em um filme que eu vi, Transamérica, gostaria de interpretar um transexual".
Par romântico inesquecível: "Eduardo Moscovis e Carolina Ferraz, em Por Amor".
Com quem gostaria de fazer um par romântico: "Com Rodrigo Santoro".
Filme: Dançando no Escuro, do diretor Lars Von Trier.
Livro: Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez
Autor: Gabriel García Márquez.
Diretor: Karim Ainouz.
Vexame: "Sou muito tímida. Sempre cometo uma gafe quando preciso falar em público".
Mania: "Mexer no cabelo".
Medo: "Perder as pessoas que amo".
Projeto: "Fazer música, adoro cantar".

Fonte: TV Press
publicidade