PUBLICIDADE

Hermila Guedes vive única policial mulher em 'Força Tarefa'

18 abr 2009
08h17 atualizado às 08h22
08h17 atualizado às 08h22
Publicidade



Para enfrentar seu novo papel em

Hermila Guedes atua em 'Força-tarefa'
Hermila Guedes atua em 'Força-tarefa'
Foto: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias / TV Press

Força Tarefa

, seriado policial da Globo, Hermila Guedes teve de se livrar de alguns preconceitos. Ela irá interpretar a Sargento Selma, única mulher dentro da corporação, e braço direito do Tenente Wilson, interpretado por Murilo Benício.

Juntos na corregedoria, eles usam a inteligência como meio de desvendar crimes cometidos por policiais corruptos. A atriz, que nunca gostou de nada relacionado ao gênero policial, se rendeu aos filmes hollywoodianos de ação para compor sua personagem. "Para dar credibilidade ao papel, fui atrás de alguns livros e todos os filmes da locadora que tivessem como enredo mulheres fortes, corajosas e extremamente policiais", garante.

Hermila garante ter tido um pouco de dificuldade para abrir mão de sua vaidade e de se entregar a esse mundo masculino. A atriz teve também aulas de tiro e "workshops" com palestras, que a fizeram conhecer melhor a realidade desses profissionais. Outra polêmica da nova série é a questão social.

Com personalidade forte e atuante, Selma não tem medo de participar das ações policiais promovidas por sua equipe. Isso irá gerar uma polêmica sobre a sexualidade da personagem. "Sou muito 'mulherzinha', mas estou me adaptando a este universo", afirma.

Nome: Hermylla Roberta Pires Guedes.

Nascimento: Em, 27 de novembro de 1980, em Cabrobó, Pernambuco.
Primeiro trabalho na TV: Por toda a minha vida, especial Elis Regina, da Globo.
Atuação inesquecível: "A Hermila do filme O Céu de Suely, de Karim Ainouz".
Interpretação Memorável: "A Hermila foi um personagem que marcou minha carreira".
Momento marcante na carreira: " A divulgação do filme, O Céu de Suely, quando viajei para vários países que não conhecia".
A que gosta de assistir: "A Grande Família e programas da MTV".
A que nunca assistiria: "Programas de autoajuda com auditório".
O que falta na televisão: "Mais programas culturais".
O que sobra na televisão: "Programas com fofocas de famosos".
Ator favorito: João Miguel.
Atriz favorita: Laura Cardoso.
Com quem gostaria de contracenar: Tony Ramos.
Se não fosse ator, seria: "Comecei a fazer faculdade de Letras, provavelmente daria continuidade e seria professora".
Humorista: Chico Anysio.
Novela: "A Gata Comeu, de Ivani Ribeiro".
Cena inesquecível: "Cenas de Heleninha Roitman, interpretada por Renata Sorrah, em Vale Tudo".
Vilão marcante: "Ravengar, vivido por Antônio Abujamra, na novela Que Rei Sou Eu, em 1989".
Personagem mais difícil de compor: "Elis Regina. É difícil fazer um personagem que realmente existiu".
Programas de humor: Friends.
Que novela gostaria que fosse reprisada: "Mais uma vez O Cravo e a Rosa, de Walcyr Carrasco".
Que papel gostaria de representar: "São tantos. Mas me inspirando em um filme que eu vi, Transamérica, gostaria de interpretar um transexual".
Par romântico inesquecível: "Eduardo Moscovis e Carolina Ferraz, em Por Amor".
Com quem gostaria de fazer um par romântico: "Com Rodrigo Santoro".
Filme: Dançando no Escuro, do diretor Lars Von Trier.
Livro: Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez
Autor: Gabriel García Márquez.
Diretor: Karim Ainouz.
Vexame: "Sou muito tímida. Sempre cometo uma gafe quando preciso falar em público".
Mania: "Mexer no cabelo".
Medo: "Perder as pessoas que amo".
Projeto: "Fazer música, adoro cantar".

Fonte: TV Press
Publicidade