0

Globo em estado de alerta com eventual soltura de Lula

Ex-presidente planeja protestar diante do prédio da emissora contra a cobertura jornalística do envolvimento dele na Lava Jato

21 out 2019
09h25
  • separator
  • 0
  • comentários

Na noite de 24 de outubro de 2014, o então prédio da Editora Abril, na Marginal Pinheiros, em São Paulo, foi alvo de vandalismo.

Lula deixa explícito o desejo de confrontar Bonner e a Globo pela cobertura jornalística de seus processos na Justiça
Lula deixa explícito o desejo de confrontar Bonner e a Globo pela cobertura jornalística de seus processos na Justiça
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula e Raquel Cunha/TV Globo

Cerca de 200 manifestantes exaltados picharam o portão, a calçada e o asfalto diante do imponente edifício, além de espalhar grande quantidade de lixo na entrada principal, impedindo a passagem de funcionários e veículos.

O motivo do protesto foi a matéria de capa da edição de Veja daquela semana. A revista afirmava que Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva tinham pleno conhecimento do esquema de propinas na Petrobras.

Na Globo, há preocupação de que uma manifestação igualmente convulsiva aconteça em frente da sede paulista do canal, no bairro do Brooklin, caso o ex-presidente Lula seja solto.

Nos próximos dias, ele poderá ser beneficiado pelo julgamento da prisão em segunda instância pelo plenário do STF ou por um pedido de habeas corpus a ser decidido pelo ministro Gilmar Mendes.

Em entrevistas na sede da Polícia Federal, em Curitiba, onde está preso desde abril de 2018, Lula disse repetidamente que se sente perseguido e prejudicado pelo jornalismo da Globo.

Deixou evidente a fúria sentida por William Bonner, âncora e editor-chefe do Jornal Nacional, e contestou mais de uma vez a razão de a emissora nunca ter enviado alguém para entrevistá-lo na PF.

Um diretor e alguns jornalistas da Globo, ouvidos pelo blog, admitem temer a ocorrência de novos ataques hostis contra equipes de reportagem do canal, assim como aconteceu nos protestos de rua de 2013 e ao longo de meses seguintes.

Repórteres experientes como Caco Barcellos, Bette Lucchese, Vandrey Pereira e Gabriel Prado (da GloboNews) foram ameaçados durante a cobertura de protestos.

Na época, a canopla de microfone com a logomarca da Globo foi tirada em vários momentos para dificultar a identificação dos profissionais da emissora e, assim, evitar intimidação nas ruas.

Caso Lula cumpra a ameaça, o clima anti-Globo pode recrudescer. Essa antipatia contra a maior e mais influente rede de TV do País vem das duas maiores lideranças políticas do momento: o próprio ex-presidente petista e o atual presidente Jair Bolsonaro.

O líder da esquerda sinaliza que, uma vez fora da cadeia, não exibirá sua versão ‘Lulinha paz e amor’ em possível embate contra o império de comunicação da família Marinho. O clima está tenso desde já.

Veja também:

 

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade