PUBLICIDADE

Anitta afirma que gravações de sua casa foram apagadas após ser intimada pela Justiça

Alegação foi feita em processo movido por uma fã idosa após o lançamento do documentário "Anitta - Made In Honório"

6 nov 2023 - 17h05
Compartilhar
Exibir comentários
Artista esteve presente no Met Gala 202
Artista esteve presente no Met Gala 202
Foto: Reprodução/Instagram/@anitta

Anitta informou à Justiça do Rio de Janeiro que não consegue fornecer as gravações do circuito interno de sua residência em um processo movido por uma fã idosa após o lançamento de seu documentário "Anitta - Made In Honório". Ela alega que o equipamento automaticamente substitui as gravações anteriores ao registrar novas imagens, tornando impossível a apresentação do material solicitado no processo. 

A Justiça deu à cantora um prazo de 15 dias úteis para comprovar que as gravações foram perdidas devido ao tempo e à sobreposição das imagens.

"Quanto à apresentação das imagens do circuito interna da ré Larissa [nome verdadeiro de Anitta], determino a essa que comprove, no prazo de 15 dias úteis, a alegação de que as mesmas teriam sido perdidas em razão do decurso do tempo e sobreposição das gravações, a fim de que possa ser reavaliada, em contraditório, a viabilidade da produção dessa prova", determinou o juiz em decisão obtida pelo Terra

O processo é movido pela fã Maria Ilza de Azevedo, mais conhecida como Tia Ilza, que alega ter sido exposta sem o seu consentimento no documentário da artista e afirma que se sentiu constrangida na obra. 

Em janeiro de 2021, após a fã mover o processo, Anitta utilizou sua conta oficial no Instagram para falar sobre a situação: "Sim. Temos autorização de imagem. Boa Noite!", afirmou ela à época.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade