PUBLICIDADE

Amber Heard acusa Johnny Depp de tentar destruir sua carreira

Heard mostrou novas gravações e fotos de machucados nesta segunda-feira

16 mai 2022 22h36
| atualizado às 22h55
ver comentários
Publicidade
Foto: Divulgação/Court TV / Pipoca Moderna

O julgamento de difamação movido por Johnny Depp contra sua ex-mulher Amber Heard foi retomado nesta segunda, 16, nos EUA com o final do depoimento da atriz e o começo de seu questionamento pelo advogado de seu ex-marido.

Antes da defesa começar a confrontá-la, Heard mostrou novas gravações e fotos de machucados, e revelou que foi por temer pela própria integridade física que decidiu pedir uma ordem de restrição contra Depp, após uma discussão em que ele a atingiu com um telefone.

"Eu sabia que, se não o fizesse, provavelmente não sobreviveria literalmente", disse Heard. "Eu estava com muito medo de que isso acabasse muito mal para mim."

Eles já estavam separados quando Depp voltou à cobertura em que moravam em 21 de maio de 2016, originando a discussão que levou a polícia a ser chamada. Embora Heard não tenha registrado um boletim de ocorrência naquela noite, ela mais tarde buscou e obteve uma ordem de restrição contra ele.

"Eu queria mudar minhas fechaduras, queria uma boa noite de sono", disse ela, explicando que a segurança do prédio onde moravam "sempre o deixava entrar em casa, não importando o que eu pedisse".

A atriz descreveu uma luta violenta, com Depp segurando seus cabelos depois de atirar-lhe o telefone no rosto e perguntando o quanto tinha machucado "desta vez", situação que foi interrompida pela chegada de uma amiga vizinha e os seguranças do ator, preocupados com a gritaria. A partir daí, Depp teria parado de bater nela e começado a destruir o apartamento. Fotos da destruição foram mostradas ao tribunal.

Herd explicou que não foi ela quem chamou a polícia e se recusou a registrar um boletim de ocorrência para que Depp não fosse preso. "Eu queria proteger Johnny", disse ela. "Eu não queria que ele fosse preso. Eu não queria que ele estivesse em apuros. Eu não queria que o mundo soubesse."

O júri também viu uma série de fotos em que a atriz aparece com o rosto avermelhado. Heard disse que as fotos foram tiradas naquela noite por sua amiga. Outra foto, que ela disse ter sido tirada no dia seguinte, mostrava um pouco de escuridão ao redor do olho e vermelhidão logo abaixo.

Em seu depoimento, Depp admitiu ter jogado um telefone no sofá, mas negou ter acertado em Heard. Seu caso se concentrou em testemunhas que disseram ter visto Heard nos dias após a discussão sem hematomas em seu rosto.

Mas os problemas de Heard não foram "apenas" violência. Ela testemunhou que Depp orquestrou uma "campanha difamatória" com o objetivo explícito de arruinar sua carreira e reputação. O ator teria estimulado abaixo-assinados para tirá-la da franquia "Aquaman" e procurou fazer a Warner desistir de sua escalação.

Heard afirmou que existe uma "máquina de relações-públicas sofisticada" por trás de Depp, que conspira para rotulá-la de mentirosa, resultando em sua dificuldade para arrumar trabalhos no cinema.

"Eu tive que lutar muito para manter minha carreira depois que consegui minha [ordem de restrição contra Depp]", disse Heard ao tribunal. "Perdi oportunidades. Fui dispensada de empregos e campanhas. Lutei para manter meu emprego e a maior oportunidade que tive até hoje, 'Liga da Justiça' e a opção de [estrelar] 'Aquaman'. Tive que lutar muito para ficar na 'Liga da Justiça' porque essa foi a época do divórcio."

Ela ainda revelou que a sequência de "Aquaman", que chega aos cinemas em 2023, quase a cortou, sugerindo que seu papel teria diminuído bastante por causa de Depp.

A declaração representa um contra-ataque ao argumento trazido pelo ator como motivo de seu processo. Depp alega ter perdido seu papel em "Piratas do Caribe" e visto sua carreira ser arruinada por conta de um artigo assinado por Heard para o jornal Washington Post, em que ela se diz vítima de violência doméstica. Por isso, a está processando em US$ 50 milhões por difamação.

Devido à publicidade trazida por esse processo e outro aberto - e perdido - por Depp no Reino Unido, Heard também se diz perseguida e difamada pelo ator, e deu início a seu próprio processo, de US$ 100 milhões, contra Depp.

Depois do almoço, a defesa de Depp foi para o ataque, tentando reverter o quadro pintado pela atriz.

Os dois principais pontos levantados foram a falta de registros da suposta violência prolongada de Depp contra a atriz, resumidos à fotos do último confronto, e o fato dela não ter doado todo o dinheiro do divórcio conforme prometido. Ela respondeu as duas questões com "mulher forte e maquiagem" e "dinheiro comprometido por processos de Depp".

O advogado da defesa também revelou porque Depp tem usado óculos escuros e evitado olhar para a ex-esposa durante o julgamento. Ele prometeu nunca mais deixá-la ver seus olhos.

Amber Heard vai continuar a ser questionada na terça (17/5).

Todo o julgamento está sendo transmitido ao vivo pelo canal americano Court TV, disponível pela internet.

Veja abaixo os novos vídeos do depoimento da atriz.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade