PUBLICIDADE

Estreias | Indiana Jones, Trolls, Scorsese e as novidades de streaming da semana

8 dez 2023 - 23h33
(atualizado em 9/12/2023 às 10h52)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Divulgação/Disney / Pipoca Moderna

A lista de estreias de streaming da semana reúne sete filmes e três séries novas. A relação destaca longas que estiveram recentemente nos cinemas, de blockbusters como "Indiana Jones e a Relíquia do Destino" e "Trolls 3: Juntos Novamente" ao conceituado "Assassinos da Lua das Flores". Mas também há produções inéditas, como "O Mundo Depois de Nós", além de três obras brasileiras de cinema e TV. Confira abaixo o Top 10 das dicas.

 

FILMES

 

ASSASSINOS DA LUA DAS FLORES | VOD*

 

O novo épico de Martin Scorsese ("O Irlandês") desvenda a história real dos assassinatos da Nação Osage no início do século 20, quando várias mortes ocorreram após descobertas de grandes depósitos de petróleo nas terras indígenas em Oklahoma. A narrativa segue Ernest Burkhart (Leonardo DiCaprio), que se muda para Fairfax, Oklahoma, na década de 1920, para viver com seu tio, William Hale (Robert De Niro), conhecido como King Bill Hale, um influente pecuarista local. Sob a manipulação de seu tio, Ernest se envolve com Mollie (Lily Gladstone), uma mulher Osage, com o objetivo sombrio de herdar os direitos lucrativos de petróleo de sua família, caso os membros de sua família morram.

O drama se intensifica à medida que membros da família de Mollie são assassinados um a um, destacando uma trama maior de ganância e exploração. A complexa rede de mentiras e corrupção é revelada gradualmente, com o envolvimento de vários membros da comunidade que, silenciosamente, consentem ou contribuem para os crimes. A interpretação de Gladstone como Mollie, que enfrenta a dor insuportável da perda enquanto descobre a verdade sobre seu marido e a conspiração em andamento, tem sido apontada como garantida no Oscar 2023.

A colaboração entre Scorsese e seus dois atores favoritos, DiCaprio e De Niro, juntos pela primeira vez num filme do cineasta - após estrelarem separadamente suas obras mais famosas - é um atrativo à parte. E suas cenas são a base da história envolvente, roteirizada por Eric Roth (vencedor do Oscar por "Forrest Gump") e baseado no livro homônimo de David Grann, que mistura crime verdadeiro com elementos de faroeste e consegue prender a atenção do espectador ao longo de suas quase 3 horas e meia de duração. Tão surpreendente quanto a extensão do filme só a vitalidade do diretor de 80 anos, que descobriu um novo terreno visual e dramático para se expressar, mergulhando pela primeira vez nos vastos espaços abertos e na atmosfera dos bangue-bangues clássicos para criar seu primeiro western, com indígenas, pistoleiros, fazendeiros corruptos e homens da lei.

A decisão de filmar em locais autênticos em Oklahoma, proporcionando um pano de fundo realista e engajando comunidades locais no processo, aumenta a autenticidade e a riqueza visual e cultural da produção, que merecidamente arrancou elogios em sua première no Festival de Cannes e atingiu 96% de aprovação no agregador de críticas Rotten Tomatoes.

 

INDIANA JONES E A RELÍQUIA DO DESTINO | DISNEY+

 

A despedida de Harrison Ford do papel de Indiana Jones decepcionou nas bilheterias - como quase tudo que a Disney lançou em 2023 - , mas é uma aventura empolgante, que entrega o que os fãs esperam da franquia. A trama começa com uma impressionante sequência de flashback, ambientada em 1944, que apresenta um Indy mais jovem, graças à tecnologia de rejuvenescimento digital, enfrentando nazistas para se apossar de um artefato crucial, a Antikythera de Arquimedes - um dispositivo de cálculo celestial que no filme tem poderes extraordinários. A história então avança para 1969, onde o agora idoso Dr. Jones, perto de se aposentar e vivendo em um apartamento decadente em Nova York, se vê envolvido em uma última aventura ao lado de Helena (Phoebe Waller-Bridge), a filha de seu falecido parceiro Basil (Toby Jones), e numa corrida com o cientista nazista Jürgen Voller (Mads Mikkelsen) pela tal relíquia.

Dirigido por James Mangold ("Logan"), o filme leva Indy e seus aliados a uma série de locais exóticos, incluindo as estreitas ruas de Tânger e a tumba de Arquimedes na Sicília, cheia de quebra-cabeças à la "Código Da Vinci" e um segredo que desafia a física. O elenco de apoio inclui o retorno de algumas figuras queridas da franquia e a adição de novas, como a personagem de Waller-Bridge, Helena, que desempenha um papel significativo na trama. A história também encontra uma maneira de amarrar as pontas soltas de personagens antigos que haviam desaparecido sem explicação. Mesmo que não seja um clássico como os primeiros longas, sua combinação de nostalgia e ação vibrante proporciona uma despedida digna ao herói - além de superar o capítulo anterior, "Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal", de 2008.

 

TROLLS 3: JUNTOS NOVAMENTE | VOD*

 

Em sua volta às telas, Poppy e Tronco, os personagens dublados em inglês por Anna Kendrick ("A Escolha Perfeita") e Justin Timberlake ("O Preço do Amanhã"), são oficialmente um casal, apelidado de Troppy. Mas conforme ficam mais íntimos, Poppy descobre que Tronco tem um passado secreto: ele já fez parte da boyband favorita dela, BroZone, com seus quatro irmãos Floyd, John Dory, Spruce e Clay. Eles se separaram quando Tronco ainda era um bebê, assim como a família, e Tronco não vê seus irmãos desde então. Mas quando Floyd, é sequestrado, Tronco e Poppy embarcam em uma jornada emocionante para reunir os outros irmãos e resgatá-lo de um destino ainda pior do que a obscuridade da cultura pop.

O detalhe é que essa historia é embalada por uma música do 'N Sync, a boyband nada secreta do passado de Justin Timberlake, que voltou a gravar junta, 20 anos após sua separação, especialmente para a trilha sonora do filme.

A animação também conta com a volta do diretor Walt Dohrn e com um elenco de dubladores que combina cantores e atores, como Camila Cabello ("Cinderella"), Eric André ("The Righteous Gemstones"), Amy Schumer ("Descompensada"), Andrew Rannells ("Um Pequeno Favor"), Troye Sivan ("The Idol"), Daveed Diggs ("Expresso do Amanhã"), Zooey Deschanel ("New Girl"), Kid Cudi ("Não Olhe para Cima") e Anderson Paak ("Grown-ish").

 

MEU NOME É GAL | VOD*

 

A cinebiografia aborda a vida da icônica cantora Gal Costa, focando os anos de 1966 a 1971, que marcam a transformação da tímida Gracinha, que se muda de Salvador para o Rio de Janeiro, na renomada tropicalista. Dirigido por Dandara Ferreira (que escreveu e dirigiu a série documental "O Nome Dela É Gal") e Lô Politii ("Alvorada"), a produção abre com uma cena do show "Fa-Tal" em 12 de outubro de 1971 e, a partir daí, retrocede para mostrar a chegada de Gal ao Rio de Janeiro e seu reencontro com figuras importantes como Caetano Veloso (Rodrigo Lelis), Gilberto Gil (Dan Ferreira) e o empresário Guilherme Araújo (Luis Lobianco). Dando um show verdadeiro no papel principal, Sophie Charlotte não apenas atua, mas também canta as canções no longa.

Para fãs de Gal e da geração da Tropicália, a obra oferece cenas antológicas, que recriam a fase mais rebelde da cantora. Entretanto, a apresentação desconexa de eventos prejudica a narrativa, contexto e até a compreensão da história para quem não é iniciado. A relação de Gal com sua mãe, interpretada por Chica Carelli, e com outros personagens importantes, como Caetano Veloso e Gilberto Gil, é pouquíssimo desenvolvida. Além disso, a participação de Maria Bethânia, interpretada pela codiretora Dandara Ferreira, é tão breve que nada acrescenta à trama.

Na comparação com outras cinebiografias musicais brasileiras, o longa se destaca por evitar os clichês mais comuns, focando-se em um período específico e crucial na carreira de artista, em vez de passar correndo por toda a sua vida. Embora nem assim consiga aprofundar questões importantes, a luta por autonomia da cantora ganha destaque, explorando suas relações e desafios em um período turbulento da história brasileira. Além disso, o filme confirma Sophie Charlotte como uma das melhores atrizes brasileiras da atualidade. Podem esperá-la nas premiações de melhores do ano.

 

O MUNDO DEPOIS DE NÓS | NETFLIX

 

O thriller psicológico, que mergulha nas profundezas de um apocalipse iminente, é uma viagem tensa e sombria pelos medos contemporâneos, desde a dependência da tecnologia até a desintegração social. A narrativa segue Amanda (Julia Roberts) e Clay (Ethan Hawke), um casal do Brooklyn que busca uma pausa da rotina agitada, levando seus filhos para uma casa de campo em Long Island. A tranquilidade é interrompida pela chegada inesperada do proprietário da casa (Mahershala Ali) e sua filha, que buscam refúgio após um apagão em Nova York. O que começa como uma comédia de costumes, rapidamente se transforma em um cenário maior e mais ameaçador, onde a falta de comunicação e estranhos fenômenos naturais sugerem um desastre global.

Baseada no best-seller de Rumaan Alam, a filmagem de Sam Esmail, conhecido como criador de "Mr. Robot", utiliza técnicas visuais complexas para contar a história, oferecendo respostas concretas às ambiguidades do livro. A adaptação se aprofunda nas tensões raciais e nas divisões de classe, mas estes temas são relevados conforme as famílias enfrentam ameaças desconhecidas. Marcada por uma crescente sensação de desastre, alimentada pela incapacidade de comunicação, o filme oscila entre o suspense e uma observação aguda da malaise contemporânea, destacando-se pelas atuações de Roberts e Ali, que entregam monólogos longos e perturbadores.

 

O PRIMEIRO NATAL DO MUNDO | AMAZON PRIME VIDEO

 

A comédia brasileira gira em torno da família Pinheiro Lima, cuja vida é virada de cabeça para baixo quando um dos filhos deseja que o Natal desapareça. Esse pedido inusitado é atendido, gerando uma série de confusões para todos. O elenco é liderado por Lázaro Ramos ("Ó Pai Ó 2") como Pepê, um professor de história viúvo e pai de duas filhas, e Ingrid Guimarães ("De Pernas pro Ar") como Tina, sua esposa, uma chef de cozinha divorciada e mãe de dois filhos. Juntos, eles embarcam em uma jornada para restaurar a data, suas tradições e o verdadeiro significado do Natal.

A produção se diferencia ao focar no Natal no Brasil, um aspecto raramente explorado em produções de streaming do gênero - uma das raras exceções é "Tudo Bem no Natal que Vem", com Leandro Hassum. Por isso, a comédia busca não só entreter, mas também colocar em destaque símbolos e valores culturais do Brasil na trama. Com direção de Susana Garcia ("Minha Mãe É uma Peça 3") e Gigi Soares ("Novela"), o longa também destaca no elenco Fabiana Karla, Igor Jansen, Theo Matos, Valen Gaspar, Yasmin Londuik, Stella Miranda, Cézar Maracujá, Wilson Rabelo e uma participação especial de Rafael Infante.

 

THE ARCHIES | NETFLIX

 

Esse projeto curioso é uma versão indiana de "Riverdale", que se passa nos anos 1960, é embalada pela música da época e vem com diversas coreografias sincronizadas para confirmar sua procedência de Bollywood. De forma surpreendente, os quadrinhos da Archie Comics são bastante populares na Índia. E, pelo visto, os desenhos animados também, já que a década escolhida para a ambientação do filme é a mesma da época em que a versão animada dos personagens estourou nas paradas de sucesso, com a gravação de "Sugar Sugar".

O teaser traz algumas referências dos quadrinhos clássicos, que também podem ser vistas em "Riverdale", como o icônico restaurante Pop Tate's. Outra curiosidade é que os personagens mantém os mesmos nomes americanos com que se tornaram conhecidos.

O longa tem direção de Zoya Akhtar ("Gully Boy") e foi escrito por Kagti, Akhtar e Ayesha DeVitre ("Kapoor & Sons"). E, com a exceção de Mihir Ahuja ("Candy"), intérprete de Jughead Jones, o elenco central é composto por atores iniciantes.

 

SÉRIES

 

AMERICAN HORROR STORIES 3 | STAR+

 

Criada pelos mesmos idealizadores de "American Horror Story", Ryan Murphy e Brad Falchuck, a série derivada se diferencia da anterior por apresentar uma história de terror diferente a cada episódio - em vez de uma trama única por temporada como a atração que a originou. Na 3ª temporada são apenas quatro episódios.

Em "Tapeworm", uma modelo em ascensão não mede esforços em sua busca por sucesso, num enredo que aborda a temática da autoimagem e dos sacrifícios em nome da fama - Lisa Rinna, conhecida por sua participação em "Real Housewives of Beverly Hills", é a estrela deste episódio. Os demais também trazem temas atuais e provocativos. "Daphne" explora a relação entre humanos e tecnologia ao narrar a história de um dispositivo de inteligência artificial que se afeiçoa ao seu usuário. "Organ" traz a tona o horror em um encontro às cegas que toma um rumo sinistro. E "Bestie" explora a busca por conexão de uma jovem após a perda da mãe, num mundo cada vez mais digital.

 

A ORIGEM 2 | GLOBOPLAY

 

A série de terror explora um tema recorrente no gênero: a cidadezinha da qual, uma vez que se entra, não se consegue mais sair. Alguns exemplos deste nicho incluem "Under the Dome", adaptação de Stephen King, e "Wayward Pines", produzida por M. Night Shyamalan.

Criada por John Griffin, que antes disso só tinha escrito um episódio da nova versão de "Além da Imaginação" (The Twilight Zone), a trama acompanha uma família de férias que, ao optar por um atalho na estrada, vê-se presa num looping que a leva sempre à mesma cidadezinha em ruínas. Logo, fica claro que todos os moradores do local encontram-se presos naquele local. Enquanto os residentes mais antigos, liderados pelo xerife vivido por Harold Perrineau, lutam para manter o senso de normalidade e buscar uma saída, eles também enfrentam ameaças que vem da floresta circundante à noite.

A 2ª temporada começa com a chegada de um novo grupo de pessoas a bordo de um ônibus, que acabam presas ao viajar pela estrada que leva à cidade. Além disso, túneis misteriosos são descobertos sob a cidade.

A direção é do premiado Jack Bender (também de "Lost"), que também divide a produção com os irmãos Russo (diretores de "Vingadores: Ultimato"). Já o elenco ainda destaca Catalina Sandino Moreno ("The Affair"), Eion Bailey ("Band of Brothers") e Hannah Cheramy ("Van Helsing").

 

A HISTÓRIA DELAS | STAR+

 

A nova série brasileira se concentra nas complexas relações entre mães e filhas, explorando as heranças sociais, culturais e emocionais que elas compartilham. A trama começa quando Isabel (interpretada por Letícia Spiller), uma mulher da alta sociedade, e sua filha Ana Rosa (Bia Arantes) são forçadas a mudar para a casa de Marta (Cris Vianna), sua ex-babá que agora é dona de seu próprio negócio. Essa mudança ocorre devido a uma decisão judicial relacionada à prisão do marido de Isabel. Essa nova configuração familiar gera um turbilhão de emoções e conflitos, pois todas as partes envolvidas têm anos de expectativas frustradas e ressentimentos acumulados.

A chegada de Isabel e Ana Rosa na casa de Marta perturba a vida de Ana Jasmim (Emma Araujo), a filha de Marta, que agora precisa conviver a contragosto com as novas moradoras. À medida que a história se desenrola, as personagens enfrentam questões delicadas do passado e são forçadas a repensar suas relações e encontrar novos papéis em suas vidas. Os episódios expõem ciúmes, julgamento, culpa, competição e raiva, mas também aborda, a gratidão e o fortalecimento dos laços familiares.

Além disso, "A História Delas" aborda a questão racial e os desafios específicos enfrentados pelas mulheres negras na sociedade. As personagens principais, interpretadas por atrizes renomadas do cenário brasileiro, trazem à tona as complexidades e nuances dessas relações interpessoais e sociais em um contexto contemporâneo. A série é criação do argentino Sebastián Borensztein ("Um Conto Chinês") e tem direção geral de Pablo Uranga, que este ano concorreu ao Emmy Kids com "Quintal TV" (Canal Futura) na categoria de programas infantis.

 
Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Compartilhar
Publicidade
Publicidade