PUBLICIDADE

Os 5 lugares da América Latina eleitos patrimônios da humanidade — 1 deles no Brasil

Sítio Burle Marx, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, foi um dos locais que recebeu láurea; com inclusão, Brasil passa a ter 23 bens inscritos na Lista do Patrimônio Mundial.

30 jul 2021 05h01
ver comentários
Publicidade
Sítio Burle Marx, no Rio de Janeiro, foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, braço da ONU para educação e cultura
Sítio Burle Marx, no Rio de Janeiro, foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, braço da ONU para educação e cultura
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

A Unesco, o braço da Organização das Nações Unidas (ONU) para educação e cultura, declarou 33 novos locais como patrimônio mundial, sendo 5 deles na América Latina — incluindo o sítio Burle Marx, no Brasil.

O lugar, de 400 mil metros quadrados, em Guaratiba, na zona oeste do Rio de Janeiro, foi comprado pelo paisagista em 1949. Ele viveu na casa, onde pintou quadros e reuniu coleções de artes e plantas. Ao todo, são 3,5 mil espécies.

Burle Marx usava o espaço como ateliê, criando um estilo que influenciou paisagistas ao redor do mundo.

"A Unesco escolheu os locais recém-adicionados por seu significado cultural, histórico ou científico. Com a nova inclusão, o Brasil passa a ter 23 bens inscritos na Lista do Patrimônio Mundial, registro dos bens considerados como portadores de valor universal excepcional para a cultura da humanidade", diz a agência da ONU em seu site. 

Além do sítio Burle Marx, quatro locais na América Latina também receberam a láurea. São eles: a Igreja de Atlântida (também conhecida como Igreja do Cristo Obrero), no Uruguai; o complexo arqueoastronômico de Chankillo, no Peru, o assentamento e a mumificação artificial da cultura Chinchorro, na região de Arica e Parinacota, no Chile e o Conjunto Franciscano do Mosteiro e a Catedral da Nossa Senhora da Assunção de Tlaxcala, no México.

Confira abaixo mais detalhes sobre cada um deles:

Brasil — Sítio Roberto Burle Marx

O local retrata o projeto de sucesso realizado há mais de 40 anos pelo arquiteto, artista e paisagista Roberto Burle Marx (1909-94), que buscou criar uma "obra de arte viva" e um "laboratório de experimentações botânicas e paisagísticas", "valendo-se da vegetação nativa e inspirando-se nas ideias do movimento modernista".

O projeto, iniciado em 1949, é um jardim paisagístico representativo dos elementos essenciais do estilo único de Burle Marx.

O jardim se caracteriza por suas formas sinuosas, pela exuberância de suas extensas plantações, pelo arranjo arquitetônico de sua vegetação, pelo uso de espécies botânicas tropicais e pela incorporação de elementos artísticos típicos do folclore popular.

Este é o primeiro jardim tropical moderno a ser inscrito na Lista do Patrimônio Mundial da Unesco.

Observatório Solar de Chankillo, no Peru
Observatório Solar de Chankillo, no Peru
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Peru — Complexo Arqueoastronômico de Chankillo

Localizado ao norte da costa central do Peru, no Vale do Rio Casma, esse sítio arqueológico (500-200 a.C.) possui um conjunto de construções edificadas em uma paisagem desértica e uma série de características naturais que, juntas, funcionam como um calendário solar perfeito, usando marcadores que permitem observar o movimento do sol ao longo do horizonte por todo o ano.

O local inclui um Templo Fortificado, o Observatório, o Espaço Público Cerimonial e as Treze Torres Cúbicas que sinalizavam a trajetória solar e que estão dispostas em uma fileira que se estende ao longo do topo de outra colina.

Completa a lista a montanha Cerro Mucho Malo, indicador natural complementar das 13 torres.

Acredita-se que o templo era dedicado ao culto ao sol e a presença de um local de observação em cada lado do alinhamento norte-sul das torres permitia determinar os pontos de nascente e poente do sol no horizonte ao longo do ano.

Igreja de Cristo Obrero e Nossa Senhora de Lourdes, em Atlántida, Uruguai
Igreja de Cristo Obrero e Nossa Senhora de Lourdes, em Atlántida, Uruguai
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Uruguai — Igreja de Atlântida, obra do engenheiro Eladio Dieste

A Igreja de Atlântida, com seu campanário e seu batistério subterrâneo, está localizada em Estación Atlántida, a 45 km de Montevidéu.

O complexo da igreja, inspirado na arquitetura religiosa cristã primitiva italiana e medieval, foi inaugurado em 1960.

Vista aérea do Observatório Solar de Chankillo, no Peru
Vista aérea do Observatório Solar de Chankillo, no Peru
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

A igreja, de planta retangular com nave única, apresenta paredes onduladas características que suportam uma cobertura igualmente ondulada, constituída por uma sequência de abóbadas gaussianas em tijolo armado desenvolvida por Eladio Dieste (1917-2000).

Como aponta a Unesco, "a igreja constitui um exemplo eminente das notáveis conquistas formais e espaciais da arquitetura moderna na América Latina durante a segunda metade do século 20".

"E incorpora a busca pela igualdade social com um uso sóbrio dos recursos."

Cultura Chinchorro desenvolveu mumificação 3 mil anos antes do que Egito
Cultura Chinchorro desenvolveu mumificação 3 mil anos antes do que Egito
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Chile - Assentamento e mumificação artificial da cultura Chinchorro

A cultura Chinchorro desenvolveu a mumificação 3 mil anos antes do que o Egito.

Localizado na região de Arica e Parinacota, o local é composto por três componentes: Faldeo Norte del Morro de Arica, Colón 10, ambos na cidade de Arica, e Foz de Camarones, em um ambiente rural cerca de 100 km mais ao sul.

Juntos, eles oferecem um testemunho de uma cultura de caçadores-coletores marinhos que residiam na árida e hostil costa norte do Deserto de Atacama, no extremo norte do Chile, de cerca de 5450 a.C. a 890 a.C.

O local é a mais antiga evidência arqueológica conhecida de mumificação artificial de corpos com cemitérios contendo corpos mumificados artificialmente e alguns que foram preservados devido às condições ambientais.

Ali foram encontradas ferramentas feitas com materiais minerais e vegetais, bem como instrumentos simples de osso e concha que permitiram a exploração intensiva dos recursos marinhos.

O local, aponta a Unesco, "constitui um testemunho único da complexa espiritualidade da cultura chinchorro".

Conjunto franciscano do mosteiro e catedral de Nossa Senhora da Assunção em Tlaxcala, México
Conjunto franciscano do mosteiro e catedral de Nossa Senhora da Assunção em Tlaxcala, México
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

México — mosteiro franciscano e catedral de Nossa Senhora da Assunção de Tlaxcala

O mosteiro franciscano e a catedral de Nossa Senhora da Assunção em Tlaxcala, México.

O complexo é uma extensão do sítio "Primeiros mosteiros do século 16 nas encostas do Popocatepetl", inscrito na Lista de Patrimônios Mundiais da ONU em 1994.

Foi construído entre 1537 e 1540 após a aliança entre os espanhóis e os tlaxcalanos.

O local inclui o mosteiro e a catedral de Nossa Senhora da Assunção e faz parte do primeiro programa de construção iniciado em 1524 para a evangelização e colonização dos territórios do norte do México.

O complexo é um dos primeiros cinco mosteiros fundados por frades franciscanos, dominicanos e agostinianos, e um dos três que ainda existem.

A extensão, diz a Unesco, "contribui para uma melhor compreensão do desenvolvimento de um novo modelo arquitetônico que influenciou tanto o desenvolvimento urbano quanto as construções monásticas até o século 18".

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade