Sob chuva, público vibra com Clark e Raça no Ibirapuera

Apesar do tempo ruim, público resiste para ver Raça Cia. de Dança e Michael Clark Company ao ar livre no parque

10 mai 2015
21h48
  • separator
  • 0
  • comentários

Gene Kelly já havia nos mostrado, em 1952, que dança e chuva fazem uma dupla incrível. Mas emocionante mesmo foi ver o público resistir às trovoadas na capital paulistana para ver, ao ar livre, no Parque Ibirapuera, a dobradinha coreográfica da Raça Cia. de Dança e da Michael Clark Company, neste domingo (10), último dia de apresentações da terceira edição do Festival O Boticário na Dança.

Projeção de David Bowie na exibição da Michael Clark Company no último dia de apresentações do Festival O Boticário na Dança. As músicas do inglês serviram de inspiração para a peça
Projeção de David Bowie na exibição da Michael Clark Company no último dia de apresentações do Festival O Boticário na Dança. As músicas do inglês serviram de inspiração para a peça
Foto: Gabriela Portilho / Cross Content

O público recorreu à capas e guarda-chuvas para se proteger e não perder nenhum momento da sensual e vigorosa coreografia “Tango sob Dois Olhares”, da Raça Cia. de Dança. Na plateia, a bailarina carioca Gabriela Velasco, na cidade por motivos profissionais, aproveitou a oportunidade para rever a companhia. “Gostei muito. Até já fiz aula com eles”, justifica ela, que acompanhou outras edições do Festival OBND, no Rio.

A apresentação de “come, been and gone”, da Michael Clark Company encantou a atriz Simone Martins. “Admito meu egoísmo. Só por causa da chuva consegui sentar bem pertinho e ver o Clark, artista que me influencia”, disse. Simone afirmou que “valeu demais” e que a apresentação gratuita foi a única oportunidade que teve para participar do Festival OBND. “Só não vim em outros dias porque os ingressos estavam esgotados.”

Tango e rock
Impecáveis, os bailarinos da Raça Cia. de Dança fizeram uma irretocável abertura da noite. O público se animou e aplaudiu por vezes ao longo da sessão. Os mais eufóricos emitiam gritos de encorajamento – “vai, Raça!” – sinalizando que, apesar da chuva, estavam ali para ver boa dança.

O estilo contemporâneo com forte acento de tango coreografado por Roseli Rodrigues mostrou tanta potência quanto a obra memorável de Astor Piazzolla, a base musical de “Tango sob Dois Olhares”. O figurino elegante – vestidos e salto alto para mulheres, calças e paletós para os homens – conferiu uma atmosfera de baile. A força e a beleza feminina foram cortejadas e exaltadas./

Com a Michael Clark Company, David Bowie não veio só pela trilha sonora de “come, been and gone”. O espetáculo foi uma homenagem ao legado que o roqueiro deixará para as artes. A coreografia abstrata e milimetricamente executada foi ganhando ritmo com os acordes e um vídeo projetado no fundo do palco mostrou Bowie, muito jovem, cantando suas canções.

O coreógrafo Clark dança sozinho em uma cena, ironicamente chamada de “intervalo”, palavra projetada em letras gigantes. Além desta, ele faz uma passagem no palco cuspindo água.

O figurino foi todo composto por segunda pele, que recebem adereços como boleros de couro e a jaqueta listrada de branco e preto, usada por Bowie em 1973, que é uma entre tantas influências do roqueiro no mundo da moda. Sapatilhas de ponta surgem e, no início, o uso de toucas simulam uma peruca com costeletas, bem ao estilo David Bowie.

Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, a apresentação final no Theatro Municipal coube ao Balé da Cidade de São Paulo, que há 12 anos não se exibia na capital fluminense. O grupo levou ao palco duas produções internacionais. 

"Cacti" é uma criação do sueco Alexander Ekman. Desde a estreia, em 2010,  já foi encenada por renomadas companhias, como o Boston Ballet e a Sidney Dance Company. Trata-se de uma crítica do Ekman à crítica especializada de dança, que o atormentava com suas opiniões. 

Já "Cantata" é uma obra do italiano Mauro Bigonzetti, com cores e gestos que remetem à beleza do Mediterrâneo. Sedução, paixão, brigas e ciúmes se revezam no palco. 

Workshops
Mas as atividades do Festival O Boticário na Dança continuam até segunda, no Rio, onde acontecem os dois últimos workshops realizados pelas companhias convidadas. A programação terá Antonio Nóbrega, às 11h, e o Balé da Cidade de São Paulo, às 14h. Os dois eventos acontecem no Teatro Cacilda Becker (Rua do Catete, 338, Rio de Janeiro) e são gratuitos.

Fonte: Cross Content
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade