PUBLICIDADE

Por que o Fiat Argo não vende como seus rivais Polo, Onix e HB20

Com 32 mil vendas a menos do que o líder da categoria, Fiat Argo só não faz mais sucesso porque a Stellantis tem estratégia diferente

8 dez 2023 - 06h00
(atualizado em 13/12/2023 às 11h58)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O Fiat Argo, com 61.500 vendas, ficou na 4ª colocação dos hatchbacks mais vendidos do país, devido a fatores como preço, motor turbo disponível em outros modelos da marca e tamanho do veículo.
Fiat Argo
Fiat Argo
Foto: Stellantis / Guia do Carro

O Fiat Argo é um bom carro e vende bem, mas só teve um momento de brilho em sua história. Foi durante a pandemia, quando o Chevrolet Onix ficou 5 meses sem produção e o Fiat Argo se tornou o hatch mais vendido do país. Hoje, o Argo se acomodou no 4º lugar. Mas nem por isso deixa de ser uma ótima compra racional, pois é bom de dirigir, é prático, versátil e tem multimídia superior.

Com 61.500 vendas, o Fiat Argo está bem distante do líder da categoria, VW Polo, que já acumula 93.246 vendas, segundo a Fenabrave. O Chevrolet Onix com 91.204 e o Hyundai HB20 com 79.278 também disputam a liderança da categoria. Mas, por que o Fiat Argo não vende tão bem quanto seus rivais?

Dos quatro hatches citados, o Fiat Argo é o mais barato. Ele atua numa faixa que vai de R$ 81 mil a R$ 98 mil, com uma opção de câmbio automático por R$ 94,4 mil. Veja abaixo a faixa de atuação dos cinco hatches mais vendidos.

  • Fiat Argo - R$ 81 mil a R$ 94,4 mil
  • Hyundai HB20 - R$ 82,9 mil a R$ 120,4 mil
  • Chevrolet Onix - R$ 85,3 mil a R$ 115,2 mil
  • VW Polo - R$ 87,3 mil a R$ 150 mil

O fato de ser o mais barato, por incrível que pareça, é ruim para o Argo, pois ele deixa de atuar na faixa dos consumidores mais endinheirados, que efetivamente estão comprando carros. O Argo é o único dos quatro hatches que não tem motor turbo em sua linha.

Novamente, por que? Se quisesse, a Fiat poderia equipar o Argo com o motor 1.0 turbo, que já está disponível nos modelos Pulse, Fastback e Strada. Mas a Fiat “não pode”. Por que? A razão se chama Stellantis, ou mais exatamente Peugeot 208.

Fiat Argo
Fiat Argo
Foto: Stellantis / Guia do Carro

Na visão da Stellantis (dona das marcas Fiat e Peugeot), o Peugeot 208 é um carro mais competitivo para brigar no patamar superior do segmento B-Hatch. Por isso, ele custa de R$ 90 mil a R$ 115 mil e tem motor turbo. Embora esteja ainda mais longe da liderança, o Peugeot 208 já acumula 25.994 vendas.

Somando Fiat Argo e Peugeot 208, a Stellantis tem 87.494 registros no segmento B-Hatch, portanto apenas 3,7 mil a menos do que o Chevrolet Onix e 2,2 mil a mais do que o Hyundai HB20.

Há outro motivo para o Fiat Argo ficar dentro de uma caixinha na distante 4ª posição da categoria: seu tamanho. Quando surgiu no mercado, em 2017, com 3,998 m de comprimento, o Argo supoerava em tamanho o VW Gol (3,895 m), o HB20 (3,925 m) e o Onix (3,933 m). Também era maior do que o Peugeot 208 (3,975 m).

Mas todos os rivais tiveram novas gerações e/ou foram substituídos. Portanto, o Fiat Argo agora é o único desses cinco que tem menos de 4 m de comprimento. São diferenças mínimas, mas isso influi no posicionamento dos carros. Compare abaixo.

  • Novo Onix - 4,163 m
  • Novo Polo - 4,074 m
  • Novo 208 - 4,055 m
  • Novo HB20 - 4,015 m
  • Argo - 3,998 m

O Fiat Argo, portanto, único que não ganhou nova carroceria, desempenha um papel dentro da Stellantis: serve de ponte entre o Fiat Mobi (subcompacto que já emplacou 66 mil unidades até novembro) e o Peugeot 208. Na soma dos três, a Stellantis tem 153.527 vendas. Não parece mal, embora o Argo esteja sendo sacrificado neste momento.

Peugeot 208 Turbo: por que você deve (mesmo) conhecer este carro:
Guia do Carro
Compartilhar
Publicidade
Publicidade