PUBLICIDADE

Ford quer ser líder no mercado de picapes com a Nova Ranger

Em seu balanço de fim de ano, Ford anuncia que vai crescer “dois dígitos” em 2024, com mais lançamentos de SUVs, picapes e vans

5 dez 2023 - 20h06
(atualizado em 13/12/2023 às 11h10)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Através do ano vitorioso em 2023 no Brasil, a Ford pretende crescer em dois dígitos no próximo ano, aumentando o volume de lançamentos nos segmentos de picapes, SUV e vans para alcançar o liderança no segmento de picapes. Pode-se esperar novos modelos, entre eles o Mustang GT e possivelmente um elétrico F-150 lightining, além de aumento da capacidade da fábrica mexicana.
Novo Ford Ranger: vencedor do Prêmio Trend Car 2024 na categoria Pick-up
Novo Ford Ranger: vencedor do Prêmio Trend Car 2024 na categoria Pick-up
Foto: Ford / Guia do Carro

A Ford teve um ano vitorioso no Brasil em 2023, com 9 lançamentos, alta rentabilidade na venda de seus carros e unânime aprovação da Nova Ranger. Agora, a marca estadunidense quer crescer “dois dígitos” no próximo ano, aumentando o volume por meio de novos lançamentos nos segmentos em que atua: picapes, SUV e vans.

Mais do que isso: segundo Daniel Justo, presidente da Ford América do Sul, o objetivo é se tornar líder do segmento de picapes. “Líder numa das categorias?”, perguntamos. “Não, líder no segmento de picapes”, disse Justo.

Ele não revelou quando. Mas, para se tornar líder geral no segmento de picapes seria necessário derrotar o Fiat Strada e o Fiat Toro. Por isso, de acordo com algumas fontes, é possível que Justo esteja se referindo mesmo às picapes tradicionais, de carroceria sobre chassi. Portanto, podemos esperar mais versões ou séries especiais para a Nova Ranger, vencedora do Prêmio Trend Car 2024 na categoria Pick-up.

Novo Ford Mustang 2024
Novo Ford Mustang 2024
Foto: Ford / Guia do Carro

Antes disso, entretanto, provavelmente ainda em janeiro, a Ford deve lançar no Brasil o novo Mustang GT, que estava previsto para este ano, mas teve que ser adiado. O Ford Mustang GT foi renovado nos Estados Unidos e deve chegar ao Brasil com 492 cv e 565 cv do motor 5.0 V8 com câmbio manual de 6 marchas e um pacote de alta performance. Se essa configuração for confirmada, será um “sport car” para encantar puristas.

Quanto às picapes, ainda em 2024 é possível que a caminhonete elétrica Ford F-150 Lightining faça sua estreia no Brasil, pois a montadora seguirá investindo também no segmento de veículos elétricos.

“Foco absurdo em excelência”

Daniel Justo disse que em 2024 a Ford Brasil terá “foco absurdo em excelência de produtos e serviços” e que tem “ambição de evoluir a velocidade de atendimento” na rede de concessionárias. O objetivo é crescer mais de 10%, expandir a rede de distribuição e lançar mais carros nos segmentos SUV, Pick-up e Ford Pro (vans e furgões).

Rogélio Goldfarb, vice-presidente da Ford América do Sul, disse que os 9 lançamentos de 2023 trouxeram inovação para cada segmento: primeira van automática (Transit), primeira picape híbrida (Maverick), salto tecnológico (Nova Ranger), SUV esportivo elétrico (Mustang Mach-E) e picape de alta performance “de verdade” (Ranger Raptor).

Daniel Justo disse que 85% dos trabalhadores na Engenharia da Ford Brasil estão envolvidos com projetos globais, portanto a empresa produz e vende tecnologias, faturando em dólares. 

A importação de dois modelos produzidos no México (Maverick e Bronco Sport) também pode aumentar de volume, porque a fábrica mexicana aumentou sua capacidade produtiva e atualmente já tem volume suficiente para atender tanto o mercado da América do Norte quanto o da América do Sul.

Ford e Governo da Bahia  

A Ford também informou, por meio de nota, que nesta terça-feira, 5, a reversão da propriedade da fábrica de Camaçari, na Bahia, “foi finalizada com êxito, o que significa que a partir de agora o imóvel pertence totalmente ao Governo do Estado da Bahia”. 

“A Ford enaltece a parceria com o Estado nesse processo, que foi conduzido com o objetivo de viabilizar o crescimento econômico e social para a comunidade baiana”, encerra a nota.

Kardian em debate: por que a Renault precisa de um novo SUV compacto:
Guia do Carro
Compartilhar
Publicidade
Publicidade