PUBLICIDADE

Nvidia inicia testes de dois novos chips de IA para mercado chinês, diz presidente

22 fev 2024 - 09h40
Compartilhar
Exibir comentários

A Nvidia está atualmente oferecendo aos clientes amostras de seus dois novos chips de inteligência artificial destinados ao mercado chinês, disse o presidente-executivo da companhia, Jensen Huang, em uma tentativa de defender seu domínio de mercado no país, agora ameaçado pelas restrições de exportação dos Estados Unidos.

"Estamos experimentando com os clientes agora. Estamos aguardando ansiosamente o feedback dos clientes", disse Huang à Reuters na quarta-feira, em uma entrevista após a divulgação dos resultados trimestrais da Nvidia.

"Esperamos... competir por negócios e, tomara, possamos atender o mercado com sucesso."

Huang não mencionou os nomes dos chips ou dos clientes e a Nvidia não respondeu imediatamente a um pedido de esclarecimento.

O boletim informativo do setor de chips, SemiAnalysis, informou em novembro que a Nvidia estava se preparando para lançar três chips -- H20, L20 e L2 -- para o mercado chinês. Os chips incluem a maioria dos recursos mais recentes da Nvidia para o trabalho de IA, mas tiveram parte de seu poder de computação reduzido para cumprir as novas regras dos EUA, de acordo com a análise do boletim informativo das especificações dos chips.

A Reuters informou no início deste mês que a Nvidia começou a fazer pré-encomendas do chip H20, o mais potente dos três chips destinados ao mercado chinês, e que seus distribuidores estavam fixando o preço no mesmo nível de um produto rival da Huawei.

Esperava-se que o H20 fosse lançado originalmente em novembro, mas foi adiado devido a problemas que os fabricantes de servidores estavam tendo para integrar o chip, informou a Reuters no final do ano passado.

Os negócios da Nvidia na China foram afetados depois que Washington ampliou as medidas de controle de exportação em outubro, o que incluiu mais restrições às remessas de chips avançados da Nvidia para a China.

"Neste último trimestre, nossos negócios diminuíram significativamente, pois... paramos de enviar para o mercado (para a China)", disse Huang durante a chamada de resultados.

Para o quarto trimestre fiscal, que terminou em 28 de janeiro, a Nvidia registrou vendas de 1,9 bilhão de dólares no mercado chinês, que inclui Hong Kong, de acordo com cálculos da Reuters baseados nos resultados da empresa.

Isso representou cerca de 9% das vendas totais, abaixo dos 22% do trimestre anterior, quando a empresa registrou 4 bilhões de dólares em vendas na região.

"Esperamos que este trimestre seja mais ou menos o mesmo. Mas, depois disso, esperamos poder competir por nossos negócios e fazer o melhor que pudermos, e veremos o resultado", disse Huang na teleconferência de resultados.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade