PUBLICIDADE

Startup Teachy recebe R$ 8 mi para levar inteligência artificial para sala de aula

Edtech quer otimizar o tempo do professor no preparado das aulas e na correção de provas e exercícios

7 jul 2023 - 14h21
Compartilhar
Exibir comentários

A startup brasileira Teachy levantou um investimento de R$ 8 milhões para levar a inteligência artificial (IA) generativa para auxiliar professores. O aporte é liderado pelo fundo NXTP e conta com a participação da Roble Ventures.

A edtech oferece uma plataforma tecnológica que usa a IA generativa para agilizar a elaboração e correção de exercícios. A solução também dá ao professor acesso a conteúdos de fontes confiáveis para que possam preparar suas aulas e manter seus conhecimentos atualizados. Segundo a startup, a plataforma economiza até 80% do tempo do professor.

"Existimos para ajudar e melhorar o uso do tempo do professor. Mais da metade do tempo do professor é gasto em corrigir provas e planejar aulas", afirma Pedro Siciliano, CEO da Teachy, que fundou a startup ao lado do sócio Fábio Baldissera.

Siciliano conta que conquistou os investidores com a proposta de levar a IA a um mercado na América Latina composto por cerca de 7 milhões de professores.

A captação do investimento da Teachy acontece no estágio pré-seed, ou seja, quando o negócio ainda está em fase de desenvolvimento. A plataforma da empresa pode ser usada gratuitamente por professores e, após um limite de utilização, é cobrada mensalidade de cerca de R$ 20. A plataforma foi testada por 100 professores e três escolas de diferentes regiões do País. Hoje, cerca de 500 professores estão cadastrados no serviço online.

"A proposta da empresa é que a IA seja uma aliada dos profissionais de educação, e não uma ferramenta para substituí-los em sala de aula."Temos que usar a IA da forma correta, com o professor sempre no centro da aprendizagem. Ele faz toda a diferença na sala de aula, porque é ele que pode mudar a vida dos alunos. A IA deve ajudar o professor a ser mais eficiente fora da sala de aula. Não queremos o professor corrigindo pilhas de exercícios 300 vezes. Queremos que ele tenha mais renda e se dedique a mudar a vida dos alunos", diz Siciliano.

Com o aporte, o plano da Teachy é chegar a 10 mil professores usando a plataforma dentro de um ano.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade