PUBLICIDADE

Escritor periférico que vendeu sozinho 10 mil cópias lança livro sobre identidade

'Ao contrário dos meus outros títulos, ele é mais leve, mas tem a sonoridade que o livro merecia ter e estou muito feliz que este título faça jus à história', diz Wesley Barbosa

7 jun 2023 - 08h10
(atualizado em 9/6/2023 às 16h53)
Compartilhar
Exibir comentários

No novo romance "Pode me chamar de Fernando" (Ed. Numa), Wesley Barbosa, 33 anos, conta sobre como as experiências da vida podem impactar a formação de cada pessoa. A produção mostra as lembranças e desafetos do personagem Fernando.

Wesley Barbosa
Wesley Barbosa
Foto: Júnior Imigrante/ Divulgação/ NUMA Editora / Estadão

O rapaz é criado somente pelo pai, que ao contrário do esperado, despreza o filho. Sem ter conhecido a mãe, o personagem começa a se questionar algumas coisas, inclusive o próprio nome.

"'Pode me chamar de Fernando' é um livro sobre identidade e que tem muito a ver comigo no sentido de eu não ter conhecido o meu pai. Eu queria falar sobre este buraco que fica quando não temos este tipo de referência. O título se baseia numa fala, porque o personagem também ainda está aprendendo a se reconhecer no mundo", diz Wesley.

O Estadão já contou a história de Wesley Barbosa, escritor de periferia que vendeu mais de 10 mil cópias de seus livros anteriores de forma independente.

"Ao contrário dos meus outros títulos, ele é mais leve, mas tem a sonoridade que o livro merecia ter e estou muito feliz que este título faça jus à história", ele completa.

A produção foi desenvolvida em duas semanas, em Itapecerica da Serra, cidade natal de Wesley. A escrita foi feita despretensiosamente. Ele não fazia ideia de que seria publicada por uma editora. "O bom é que o lugar foi favorável, pois eu só consigo escrever no silêncio. Prefiro o total silêncio; e, embora as minhas histórias surjam do caos da vida."

A obra está em pré-venda. E o quinto livro do autor, lançado pela editora Numa, e será a primeira produção a ser veiculada em livrarias, já que, seus outros livros foram feitas em editoras independentes.

Apesar da novidade, que deixou Wesley feliz, o escritor garante que suas outras publicações já chegam em todo território nacional, pois ele faz suas próprias vendas online por meio do Instagram.

Pode me chamar de Fernando já está disponível para venda
Pode me chamar de Fernando já está disponível para venda
Foto: Divulgação/NUMA Editora / Estadão

Depois da conclusão de cada obra, o escritor relata que fica um sentimento de vazio. "Nós que escrevemos não sabemos quando virá inspiração para um novo livro. Escrever é um vício, e sempre estamos à espreita de uma palavra que possa ser o gatilho para um novo enredo, novos personagens e trama", explica.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade