PUBLICIDADE

Festivais de inverno de Minas Gerais tomam as ruas das cidades

10 jul 2009 - 15h23
(atualizado às 18h05)
Compartilhar

Dizem que, como em Minas não tem mar, os mineiros pegam o rumo do bar. Porém, no período mais frio do ano, o estado tem muito mais a oferecer do que os famosos botequinhos do bairro Savassi, na região central da capital Belo Horizonte. É justamente no período do inverno que algumas cidades mineiras têm muito a oferecer ao turista. Espetáculos gratuitos pelas praças afora, teatro de rua, cortejos musicais que sobem e descem ladeiras levando atrás quem vier pela frente. Toda essa efervescência cultural dos festivais de inverno chega para aquecer as temperaturas amenas de julho e agosto pelos quatro cantos do estado.

Grupos de teatro, dança e música espalham-se por Ouro Preto e Mariana nos festivais de inverno
Grupos de teatro, dança e música espalham-se por Ouro Preto e Mariana nos festivais de inverno
Foto: Divulgação


» Veja fotos
» vc repórter: mande fotos e notícias

» Chat: tecle sobre o assunto

Homenagem ao Clube da Esquina
Ouro Preto e Mariana, cidades históricas bem próximas a Belo Horizonte, realizarão o Fórum das Artes 2009, juntamente com a Universidade Federal de Ouro Preto. Este ano, o homenageado será o Clube da Esquina, movimento musical do início dos anos 60 que evidenciou, a produção cultural de Minas Gerais para o Brasil e para o mundo.

Alguns dos seus integrantes farão apresentações musicais ao longo da programação do festival, que começa no dia 8 e segue até o dia 26 do mês de julho. Fernando Brant, Lô Borges, Tavinho Moura, Beto Guedes e Milton Nascimento marcarão presença.

A extensa agenda cultural de shows, palestras, mostras de cinema, exposições artísticas e peças de teatro terá como abertura um cortejo com vários grupos artísticos de dança e música, dentre eles o tradicional Zé Pereira dos Lacaios - bloco de Carnaval mais antigo da cidade, fundado ainda no século XIX.

Outros destaques são as mostras de cinema 100 anos de Carmem Miranda, com alguns filmes protagonizados pela cantora, e Cine Clube da Esquina, com filmes contemporâneos do movimento musical e que influenciaram seus integrantes, como O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla, Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha, e Jules e Jim, do cineasta francês François Truffaut.

Palco das apresentações é atração à parte
Mais do que apenas ir às apresentações, uma ótima dica é aproveitar para visitar os espaços utilizados pelos eventos, em sua maioria importantes pontos turísticos. A exposição O chão da terra, que tem sua abertura marcada para sábado, dia 11 de julho, às 9h, por exemplo, ocupará a histórica Casa de Câmara e Cadeia de Mariana, enquanto o concerto na Catedral Basílica da Sé, no domingo, dia 12, às 12h15, será realizado nessa que é uma das igrejas mais belas do Brasil. Com altares ricamente ornados, ela possui um tesouro do nosso patrimônio histórico: um imponente órgão Arp Schnitger, construído na Alemanha em 1701, e enviado a Mariana como presente da Coroa Portuguesa.

Em Ouro Preto haverá diversas apresentações musicais no elegante Teatro Municipal, de 1770, que até mesmo os imperadores D. Pedro I e D. Pedro II tiveram a honra de visitar. Para escutar uma boa música enquanto os olhos se enchem de beleza com essa arquitetura, fique de olho na programação pelo site www.festivaldeinverno.ufop.br.

Relembrando Grande Otelo
Um pouco mais ao sul do estado, a cidade mineira de São João Del Rei também terá o seu Inverno Cultural. Organizado pela Universidade Federal de São João Del Rei, o festival prestará uma homenagem ao ator Grande Otelo. A palestra Faces de Grande Otelo no cinema e a exposição Grande Otelo: Identidades em Trânsito prometem relembrar esse que foi um dos mais populares artistas do cinema brasileiro.

Sua memória também será regatada no lançamento da sua biografia, seguido de palestra com o seu autor, Sérgio Cabral, e por meio de um musical inspirado na vida do comediante. Êta Moleque Bamba!, com direção de André Paes Leme, vai recriar a trajetória pessoal e artística do ator e será apresentado no charmoso Teatro Municipal, edifício de 1893 que possui uma belíssima fachada em estilo neo-clássico. Shows ao ar livre com as cantoras Mart'nália e Vanessa da Mata completam as atividades previstas no calendário do festival, que vai do dia 11 de julho até o dia 19.

Volta ao passado
Ao caminhar à noite na região do centro histórico de São João Del Rei, a poucos metros do Palco Inverno, onde vão acontecer os shows, fique atento a um detalhe: a iluminação das ruazinhas dá uma ideia ao visitante de como era a cidade no passado. Uma caminhada partindo do Largo do Carmo até o Largo do Rosário, sem dúvidas, renderá boas fotografias dos casarões iluminados apenas pelos lampiões. Mais informações pelo site www.invernocultural.ufsj.edu.br.

Localizada mais ao norte do estado, Diamantina é também um convite para o turista viajar no tempo, lá para o período do Brasil Colônia. Nessa época mais conhecido como Arraial do Tijuco, o vilarejo prosperou com a mineração de diamantes e pedras preciosas. Seu conjunto arquitetônico é famoso por ser um dos mais bem conservados do país, o que garantiu ao município o título de Patrimônio Cultural da Humanidade em 1999.

Este ano, o Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais irá trabalhar o tema Traduções. A programação prevê intervenções com artistas da Argentina, França e Portugal através de conferências e espetáculos musicais, bem como adaptações brasileiras de temas estrangeiros para dança e teatro.

A Mimulus Cia de Dança apresentará na sexta-feira, dia 24, às 19h e às 22h, o espetáculo Dolores, inspirado nas cenas e nas trilhas dos filmes do diretor espanhol Pedro Almodóvar. Outro destaque da programação é a apresentação no domingo, dia 26, às 20h, da nova montagem teatral do premiado Grupo Galpão. A peça Till, A Saga De Um Herói Torto, foi baseada em histórias anônimas em torno de um personagem da época da Alemanha feudal.

Artistas locais também participarão das festividades, sobretudo na área de música, já que a cidade possui uma enorme tradição nessa área. Pelos becos e ruas não é difícil esbarrar num grupo tocando uma seresta ou ouvir de longe uma banda ensaiando.

A abertura do festival, então, será um concerto para Diamantina, a ser realizado no dia 19 de julho, às 21h, com a presença de mais de 100 artistas diamantinenses homenageando a cidade com composições de autores locais. O Festival de Inverno da UFMG começa no dia 19 e vai até o dia 30 de julho. Informações pelo site www.ufmg.br/festival.

Saideira jazzística
A saideira deste intenso mês de festivais em Minas ficará por conta do Savassi Jazz Festival, em Belo Horizonte, dias 30 e 31 de julho, 1º e 2 de agosto. Realizado na região central da capital mineira, famosa por sua vida noturna, a Savassi promete se transformar numa pequena versão do French Quarter, em Nova Orleans. Durante os três primeiros dias de festival (já na sua 7ª edição), cafés e bares da região promovem shows com artistas nacionais e internacionais.

Na Praça da Savassi haverá um palco com apresentações de quinta a sábado e, no domingo, dia do encerramento, quatro palcos serão montados em dois quarteirões da Rua Antônio de Albuquerque (entre a Rua Sergipe e a Praça da Savassi). DJs e jazzistas vão se revezar na programação que começa às 13h e termina às 22h. Informações pelo site www.savassifestival.com.br.

Fonte: Especial para Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra