Sorriso metálico? Tire dúvidas sobre o aparelho invisível

Tratamentos ortodônticos modernos e tecnológicos e que passam despercebidos já são realidade

17 jul 2020
10h00
  • separator
Fim do sorriso metálico! Especialista tira dúvidas sobre o aparelho invisível
Fim do sorriso metálico! Especialista tira dúvidas sobre o aparelho invisível
Foto: Pexels

Sabe aquele sorriso metálico que era quase exclusividade de crianças e adolescentes e que acompanhou alguns adultos? Ele nem sempre foi confortável ou de aparência atraente, o que acaba mexendo um pouco com a autoestima das pessoas. Mas esse tipo de tratamento pode ficar no passado: tratamentos ortodônticos modernos e tecnológicos e que passam despercebidos já são realidade.

Segundo o ortodontista Djalma Faria, as pessoas estão aderindo aos aparelhos removíveis, transparentes e semelhantes às plaquinhas de clareamento dental feitos sob medida. “Além da questão estética, o objetivo do tratamento é fazer correções dentárias de forma rápida e sutil” explica o especialista.

Veja algumas dúvidas sobre os alinhadores transparentes:

Quem pode usar?
Não existem contraindicações para o uso dos alinhadores, apenas limitações em relação ao quadro do paciente, já que em alguns casos há a dificuldade de tratar certas irregularidades dentárias que impedem o encaixe. “Pessoas com dentição mista, dentes de leite e permanentes, além de adultos podem realizar o tratamento” explica o ortodontista.

Quanto tempo e como usar?
Para o tratamento ter eficácia, é necessário que o paciente utilize o alinhador 20 horas por dia e troque de duas em duas semanas. Ele pode ser retirado para as refeições, na hora da higienização dos dentes ou em alguma ocasião em que o paciente não se sinta confortável em usar. “Lembrando que  quanto mais tempo passar usando, menor será o tempo de tratamento” reforça o ortodontista.

O alinhador transparente afeta a alimentação?
Diferente dos aparelhos convencionais, não é preciso evitar alguns alimentos duros. Na hora das refeições o aparelho deve ser removido, evitando que se quebre ou machuque a boca do paciente. “A remoção deve ser feita com cuidado e ele deve ser colocado em um local apropriado para que não haja contaminações”, completa o profissional.

Fonte: FF Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
publicidade