PUBLICIDADE
Logo do

Procedimentos

Quatro mitos e verdades sobre a extração do siso

Que tal descobrir quatro mitos e verdades sobre esse dente tão polêmico? Separe o fio dental e venha conosco!

19 fev 2021 16h00
Publicidade
Foto: Pexels

O dente do siso, também chamado de terceiro molar, é um dente que ficou para trás na evolução humana, tendo casos até de pessoas nascendo sem ou com eles alinhados. Esses dentes faziam mais sentido há 200 anos, quando os dentes de leite caiam cedo e os molares eram fundamentais para a mastigação. A evolução da higiene bucal fez com que os sisos perdessem propósito.

Que tal descobrir quatro mitos e verdades sobre esse dente tão polêmico? Separe o fio dental e venha conosco!

Devemos tirá-lo o quanto antes – VERDADE
Seu nascimento pode pressionar os outros dentes da arcada dentária, além de ter o risco de inflamação, inchaço e muita dor. A cirurgia é simples e rápida! O procedimento dura entre 30 minutos e uma hora, necessitando de anestesia local e a maior atenção é para recuperação: repouso absoluto e cumprir as ordens do dentista.

A melhor época pra extração é entre 15 e 18 anos – VERDADE
É nesse período que os "dentes do juízo" ainda não nasceram e suas raízes não estão totalmente formadas. Além da recuperação que nessa idade é mais rápida do que quando somos mais velhos.

Eles nascem apenas na adolescência – MITO
Motivo de incômodo para muita gente, os dentes do siso são os últimos molares de cada lado dos maxilares. Enquanto os demais dentes permanentes costumam nascer na infância, os dentes do siso surgem entre os 16 e 20 anos de idade. Por serem os lanterninhas da dentição, pode ocorrer a falta de espaço na boca para acomodá-los. Por isso, recomenda-se que pessoas entre 16 e 19 anos tenham seus dentes do siso examinados para verificar se precisam ser extraídos.

Todo siso precisa ser removido – MITO
Nem sempre os dentes do siso precisam ser retirados. Entre os casos em que a extração é indicada estão ortodôntica, quando o ortodontista precisa de espaço para movimentar os dentes do paciente, inflamação constante no capuz que envolve o dente, formação de cistos e tumores associados ao dente, entre outros.

Fonte: FF Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
Publicidade