Tem dentes sensíveis? Então fique longe de morango e pêssego

Conversamos com uma especialista que tirou as principais dúvidas sobre sensibilidade dentária. Confira

10 set 2020
10h00
atualizado em 14/9/2020 às 15h15
  • separator
Foto: Pexels

A hipersensibilidade dentinária, nome técnico da sensibilidade dentária, é uma condição que ocorre quando há a exposição da superfície da dentina, uma camada mais interior dos dentes e que é protegida pelo esmalte dentário. O desgaste dessa estrutura protetora pode ocorrer por diversos fatores, sendo o principal deles a erosão dentária. O esmalte dentário, que protege essas estruturas internas do dente, se sofrer um desgaste excessivo, leva à exposição da área, o que causa a sensação de sensibilidade, além da possibilidade do surgimento de outras condições mais graves. Para tratar sobre o tema, conversamos com a dentista Jéssica Avila Crestane, pós graduada em Ortodontia e gerente clínica da OdontoCompany em São José do Rio Preto/SP. 

O que pode causar a sensibilidade?
Dentre as razões que podem ocasionar esse processo, estão: consumo excessivo de alimentos e bebidas ácidas e uma escovação muito forte e abrasiva. O sintoma mais comum é a sensação incômoda e às vezes dolorida ao consumir alimentos muito quentes, frios ou ácidos. Em alguns casos, o simples ato de respirar ar frio pode levar à sensibilidade sentida.

Existe pessoas com mais propensão à sensibilidade? Por quê?
Sim, algumas pessoas podem sentir maior sensibilidade por defeitos de esmalte dentário. É o caso, por exemplo, de pacientes que consumiram uma quantidade grande de antibióticos quando os dentes permanentes ainda estavam em formação. Outros, por já apresentar danos ao esmalte dentário como erosões ou retrações gengivais.

Qual o tratamento para a sensibilidade?
Normalmente indicamos o uso frequente de cremes dentais para sensibilidade e que seja utilizado como um tratamento mesmo, com uso tópico para as regiões hipersensíveis e não apenas na escovação diária. Outras opções são as aplicações de flúor gel no consultório e, se feito em casa pelo paciente, com as devidas orientações de um cirurgião dentista.

Existem formas caseiras para evitar o problema?
Sim, a boa notícia para quem sofre com esse problema é que dentes sensíveis têm cura e podem ser evitados a partir de simples ações. Como:

a. Escolha uma escova adequada, um modelo mais macio, já que as muito duras podem causar uma limpeza muito abrasiva. É fundamental, também, seguir as recomendações do dentista de higiene bucal.

b. Evite o consumo de alimentos e bebidas ácidas, pois estes podem agravar a condição.

c. Busque ajuda de um dentista se necessário, pois somente um odontologista poderá identificar as causas para o surgimento de dentes sensíveis e o principal tratamento, que pode incluir a resolução de outras doenças relacionadas, como nos casos de retração gengival e doenças periodontais.

Existem alimentos que melhoram e pioram o problema?
A boa alimentação é sempre favorável para a saúde e, no que compete aos dentes, evitar aqueles que prejudicam já é um ótimo caminho. O que vale ficar atento são com os alimentos ácidos, que são mais abrasivos, como abacaxi, acerola, caju, jabuticaba, laranja e limão, morango e pêssego. Para consumi-los, dê preferência para ingerir com água e evitar a escovação logo em seguida. O ideal é aguardar pelo menos 30min para a remineralização do esmalte dentário através da saliva. Além destes, bebidas gaseificadas, como refrigerante, energético, vinho, café e chá não são bem-vindos para quem já sofre com a sensibilidade. Outros alimentos que vale ficar de olho e evitar são produtos derivados do tomate, como molhos e ketchup, açúcar, comida processada, sorvete e massas no geral.

Fonte: FF Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
publicidade