PUBLICIDADE

Deixe o preconceito contra o chiclete para trás

20 ago 2012 - 08h00
(atualizado às 08h33)
Compartilhar

De vilã a parceira, a goma de mascar mostra cada vez mais benefícios para a saúde bucal. A versão sem açúcar da guloseima já é apontada por especialistas como coadjuvante da dupla escova e fio dental, uma vez que auxilia na higienização dos dentes, por meio do atrito da mastigação.

A goma de mascar mostra cada vez mais benefícios para a saúde bucal, como o auxílio na higienização dos dentes.
A goma de mascar mostra cada vez mais benefícios para a saúde bucal, como o auxílio na higienização dos dentes.
Foto: Shutterstock
Assim, naqueles dias em que a correria impede uma higienização bucal adequada, não é preciso hesitar para lançar mão do chiclete. A maioria das pessoas que faz isso apenas para melhorar o hálito não sabe que, além da goma ajudar a remover os resíduos dos alimentos que ficam na superfície dos dentes, ela estimula o fluxo salivar. Isso faz com que o risco de desenvolvimento da cárie seja diminuído. 
 
O dentista Sigmar de Mello Rode, da Universidade Estadual Paulista, explica que após as refeições, principalmente após a ingestão de açúcares, o pH da boca é diminuído rapidamente (fica ácido), o que favorece o desenvolvimento da cárie dentária. “O estimulo ao fluxo salivar causado pelo consumo da goma de mascar sem açúcar logo após as refeições, pode neutralizar o pH bucal”, afirma. 
 
Porém, Sigmar reforça que a escovação, o uso do enxaguatório e do fio dental são os métodos mais eficazes e principais para a higienização bucal. “A goma de mascar é uma ferramenta a mais para a higienização e não deve nunca substituir a escova e o fio dental”.
 
Combate contra cáries
 
Para quem se lembra da bronca do dentista e dos pais quando viam uma criança mascando chicletes, é difícil de acreditar que agora ele é considerado até um aliado no combate contra as cáries. Isso porque ao mascar uma goma o fluxo salivar é aumentado em até 10 vezes, em resposta aos estímulos gustativos do sabor e mecânico da mastigação. 
 
Segundo Sigmar, essa saliva estimulada contém maior potencial remineralizante, ou seja, contém mais bicarbonato, cálcio e fosfato. “Com composição química diferente da saliva de repouso, a saliva estimulada consegue repor os minerais que são perdidos nos dentes diariamente, o que os torna menos suscetível ao desenvolvimento de cárie”, diz.
 
Tratamentos
 
Alguns dentistas resolveram ceder e utilizar a goma de mascar sem açúcar para tratamento de alguns casos. 
 
- Xerostomia (ausência total da saliva)
 
- Mau Hálito – quando a origem do problema está relacionada ao aumento da produção de compostos malcheirosos pela boca, o aumento da salivação proporcionado pela goma é capaz de eliminar ou diminuir esses substratos.
 
- Problemas de abertura de boca: a utilização da goma de mascar neste caso pode ter um efeito fisioterápico facilitando a reabilitação da abertura normal da boca. 
 
- Inflamação dos músculos da mastigação: o uso da goma pode ser benéfico para minimizar a inflamação e reduzir o edema (inchaço) restabelecendo a musculatura mastigatória e auxiliando na recuperação dos movimentos mandibulares. 
 
- Bruxismo: pode ser adequado o uso de uma goma de mascar para facilitar a diminuição de períodos de tensão e estresse que contribuem para o aparecimento do hábito de ranger os dentes conhecido como bruxismo (hábito noturno) ou briquismo (hábito diurno).
 
“Esses tratamentos devem sempre ser orientados por um profissional”, diz Hugo Roberto Lewgoy dentista da clínica Topdent.
Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra