Anticoncepcionais, os novos inimigos da saúde bucal?

13 nov 2017
11h00

O surgimento da pílula anticoncepcional, há seis décadas, promoveu uma série transformações sociais, como o avanço na liberdade feminina e o respeito aos direitos reprodutivos. Mas o método de controle de natalidade também produziu efeitos sobre o corpo das mulheres, sendo que muitos deles só foram descobertos nos últimos anos.

Foto: Shutterstock.com

Este é o caso da influência das pílulas na saúde bucal. Pesquisas recentes comprovaram que os hormônios estão diretamente relacionados com doenças nas gengivas, e por isso o uso deste método, que aumenta os níveis de estrogênio e/ou progesterona no organismo para prevenir a gravidez, também impacta na boca.

Esta relação foi comprovada a través de uma pesquisa realizada nos Estados Unidos e publicada pelo Journal of Periodontology, que estudou a saúde bucal de um grupo ativo de mulheres com idade entre 20 e 35 anos que estavam tomando pílulas anticoncepcionais e outro controle que não utilizava este método contraceptivo.

De acordo com a pesquisa, o grupo ativo apresentou uma maior porcentagem de mulheres com gengivas retraídas, sangramento gengival e gengivas inflamadas do que o grupo controle.


Em outro estudo realizado no Canadá, os problemas periodontais foram significativamente maiores nas mulheres que usaram anticoncepcionais orais em comparação com aqueles que usaram outras formas de controle de natalidade.

Esses resultados não significam que as mulheres devem parar de usar este método revolucionário de controle de natalidade, mas sim que devem consultar seu dentista de confiança regularmente prevenir doenças bucais e aprender sobre as melhores maneiras de cuidar da saúde bucal.

Fonte: FF Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.

compartilhe

publicidade
publicidade