PUBLICIDADE

Rio Grande do Sul e Paraná recebem pacientes de Rondônia

Nesta semana, Porto Alegre e Curitiba já acolheram mais de vinte rondonienses com covid-19

28 jan 2021 14h40
| atualizado às 14h51
ver comentários
Publicidade

PORTO ALEGRE - O Rio Grande do Sul receberá mais 15 pacientes com covid-19 vindos de Rondônia na madrugada desta sexta-feira, 29. Nesta semana, nove pacientes com idades entre 49 e 71 anos, vindos do Estado nortista, foram os primeiros a desembarcar em solo gaúcho, sendo encaminhados para internação no Hospital de Clínicas e Nossa Senhora da Conceição, ambos em Porto Alegre.

Pacientes com covid-19 estão sendo transferidos nesta semana
03/06/2020
REUTERS/Amanda Perobelli
Pacientes com covid-19 estão sendo transferidos nesta semana 03/06/2020 REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Reuters

O RS está preparado para receber 50 pacientes de Rondônia, onde leitos de covid-19 estão lotados. Eles vão chegar em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), com custos arcados pelo governo federal, e devem passar por uma triagem ao desembarcar. Em seguida, serão levados a hospitais de Porto Alegre e Canoas em ambulâncias básicas e avançadas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), além de um micro-ônibus da Brigada Militar.

O acolhimento de pacientes vindos de outras localidades ocorre no momento em que o Rio Grande do Sul apresenta melhora nos índices relativos ao coronavírus, em comparação a outros Estados como Amazonas e Rondônia, que tentam manejar o colapso do sistema de saúde. Nesta quinta-feira, 28, o governador gaúcho Eduardo Leite (PSDB) informou que a ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva é de 75,2%, enquanto nos leitos fora de UTI, de apenas 22%.

Os rondonienses serão encaminhados para leitos clínicos. O RS dispõe, hoje, de aproximadamente 5 mil vagas nessa modalidade. "Vivemos em um país que é uma federação. Com razão, racionalidade, coração e solidariedade, se impõe um dever de atendermos regiões que não conseguem enfrentar esse momento adverso", destacou Eduardo Leite.

Os profissionais que estão ajudando nesses hospitais serão monitorados com testes RT-PCR para verificar qualquer possibilidade de transmissão e o monitoramento genético nos casos confirmados. Todos os pacientes serão mantidos em isolamento, inclusive em relação a outros pacientes de covid já hospitalizados. Se houver piora do quadro, eles serão transferidos para leitos de UTI.

Curitiba, no Paraná, também recebeu 13 pacientes de Rondônia na terça-feira, 26. Dez foram levados para o Hospital Vitória e outros três para o Instituto de Medicina do Paraná, da Santa Casa. Passadas 48 horas de internação, três já apresentaram melhora, entre eles o mais velho, de 79 anos. A Prefeitura de Curitiba disponibilizou um total de 30 leitos para a ajuda humanitária. Não há previsão de chegada de novos pacientes.

Estadão
Publicidade
Publicidade