3 eventos ao vivo

Pontapé da vacinação pelo mundo privilegiou hospitais

Ministério quer realizar cerimônia para a próxima terça-feira, 19, na sede da presidência em Brasília

14 jan 2021
05h10
atualizado às 07h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A primeira dose da vacina contra a covid-19 em diferentes países do mundo foi aplicada em unidades de saúde. Hospitais e instituições médicas foram os locais mais escolhidos pelos governos para dar o pontapé da vacinação, imunizando com frequência idosos e profissionais da área da saúde. No Brasil, o Ministério da Saúde planeja um evento no Palácio do Planalto na próxima terça-feira, 19. Mais de 50 países já começaram a vacinar contra a doença até agora.

Brian Pinker, 82, recebe vacina Oxford/AstraZeneca contra Covid-19 em Oxford
04/01/2020 Steve Parsons/Pool via REUTERS
Brian Pinker, 82, recebe vacina Oxford/AstraZeneca contra Covid-19 em Oxford 04/01/2020 Steve Parsons/Pool via REUTERS
Foto: Reuters

No dia 8 de dezembro, circulou o mundo a imagem da senhora Margaret Keenan, de 91 anos, recebendo a primeira vacina aplicada no Reino Unido, e também a primeira dose no Ocidente aplicada após os estudos clínicos. O evento ocorreu no Hospital da Universidade de Coventry. Nos Estados Unidos, a enfermeira Sandra Lindsay foi a primeira a ser imunizada, ação que ocorreu no Centro Médico Judeu de Long Island, em Nova York.

O Estadão mostrou que no caso do Brasil o evento está sendo preparado na sede da presidência, o Palácio do Planalto, em Brasília. A ideia é realizar a primeira imunização no País na próxima terça-feira, 19, data em que governadores devem estar em Brasília para participar de reunião com o ministro Eduardo Pazuello. "Brasil imunizado, somos uma só nação" é o slogan planejado para a cerimônia, que ainda não foi confirmada.

Entre os grandes países, o único a adotar uma postura similar foi a Indonésia. Nesta quarta-feira, 13, o presidente Joko Widodo foi a primeira pessoa do país a receber a vacina, uma dose da Coronavac. A Sinovac, laboratório responsável pelo desenvolvimento da vacina, também havia desenvolvido testes no país, além dos estudos realizados no Brasil, na Turquia e na China. Por aqui, o presidente Jair Bolsonaro já antecipou que não pretende se imunizar.

Outro chefe de Estado que recebeu a primeira vacina foi o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. Ele recebeu a vacina ao vivo na televisão e a aplicação ocorreu no Centro Médico Sheba, em Ramat Gan, próximo a Tel-Aviv. O país segue avançando rapidamente na imunização da sua população, que tem um total de 8 milhões de habitantes; quase dois milhões deles já receberam a primeira dose.

Outro local comum para a aplicação da primeira dose da vacina tem sido os asilos de idosos, em razão da concentração de pessoas mais vulneráveis à doença. Na Alemanha, umas das primeiras a receberem o imunizante foi uma senhora de 101 anos em um asilo de Halberstadt, a oeste de Berlim. Nos Países Baixos, um asilo também recebeu a primeira vacina do país, aplicada na enfermeira Sanna Elkadiri.

Na Argentina, o início da campanha ocorreu de forma simultânea e privilegiou os hospitais. O evento com o ministro da Saúde, Ginés González García, ocorreu no Hospital Posadas, em Buenos Aires. E no México, a enfermeira María Irene Ramírez foi a primeira pessoa do país a ser imunizada, evento que ocorreu no Hospital Rubén Leñero, na Cidade do México.

Veja também:

Coronavírus, 1 ano depois: de 'pneumonia desconhecida' a quase 2 milhões de mortos
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade