0

Perguntas e respostas: usar máscara de pano divide especialistas

CONTEÚDO ABERTO PARA NÃO-ASSINANTES: Não há comprovação de que as máscaras protegem pessoas saudáveis do vírus e acessórios como lenços e echarpes não são recomendados para este fim

26 mar 2020
05h11
atualizado às 07h05
  • separator
  • 0
  • comentários

A máscara foi um dos primeiros itens a entrar no radar de quem quer evitar o coronavírus, mas especialistas e a Organização Mundial de Saúde (OMS) alertam que deve ser usada por pessoas infectadas, profissionais de saúde ou pessoas que estão cuidando de doentes. No início deste mês, a OMS fez um alerta sobre a diminuição dos estoques de equipamentos de proteção.

Não há comprovação de que as máscaras protegem pessoas saudáveis do vírus e acessórios como lenços e echarpes não são recomendados para este fim. As máscaras de tecido, sugeridas pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e pelo secretário executivo, João Gabbardo dos Reis, dividem os especialistas. Alguns consideram o item diante do desabastecimento e outros afirmam que a proteção não é adequada.

O Estado levantou dúvidas com base em questões enviadas por leitores do grupo EstadãoInforma: Coronavírus, espaço para discussão e troca de informações sobre a pandemia criado pelo jornal no Facebook. As respostas têm como base entrevistas com Elie Fiss, pneumologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz; Jean Gorinchteyn, infectologista do Instituto de Infectologia Emílio Ribas; Paulo Olzon, clínico e infectologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Raquel Muarrek, infectologista da Rede D'or; e também reportagens do Estado e informes da OMS.

As máscaras de tecido são eficazes na prevenção do novo coronavírus?

Não há indícios de que a máscara tenha o potencial de proteger pessoas saudáveis da doença. A recomendação da OMS é para que as máscaras sejam usadas apenas por pacientes infectados, profissionais da saúde e pessoas que estão cuidando dos pacientes. Quem não tem sintomas não deve usar o produto, até para evitar o desabastecimento. Embora as máscaras de tecido tenham sido usadas até por profissionais de saúde há algumas décadas, não é possível saber a eficácia delas para a covid-19, porque não foram testadas para este fim.

O que diz o governo?

Procurado, o Ministério da Saúde recomendou "que a população deixe aquelas (máscaras) aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem usadas pelos hospitais, pelos profissionais da saúde e pessoas que apresentem sintomas". A pasta disse ainda que "a máscara é uma barreira física e pode ser feita de pano por quem não tem outra alternativa". Afirmou que já comprou 60 milhões de unidades de 21 equipamentos de proteção individual (EPIs) e nova compra de 72 milhões está sendo realizada. Em nota, a Anvisa informou que não tem normativa específica que regule a produção de máscaras de tecido. "A Anvisa não recomenda o uso de máscaras de tecido em serviços de saúde para o atendimento dos casos suspeitos ou confirmados de infecção."

Está cada vez mais difícil encontrar máscaras cirúrgicas para comprar, a máscara feita com tecido 100% algodão pode ser usada por pacientes com o novo coronavírus?

As pessoas infectadas devem usar máscaras descartáveis e trocá-las sempre que estiverem úmidas. Alguns especialistas dizem que, na absoluta falta de máscaras descartáveis, a máscara de pano até pode funcionar como barreira, mas não é o ideal. O importante é que o paciente infectado permaneça em isolamento, afastando-se do convívio social.

Como as máscaras devem ser colocadas?

É preciso estar com as mãos higienizadas antes de iniciar o processo. A OMS diz que a pessoa deve cobrir a boca e o nariz com a máscara e verificar se não há espaços entre o rosto e o equipamento de proteção. É importante evitar tocar na máscara durante o uso ou só fazer isso com mão limpa.

Como retirar a máscara?

Não toque na frente da máscara. A remoção deve ser por trás, evitando contato com o rosto e as roupas. Faça o descarte imediato em uma lixeira fechada e lave as mãos com água e sabão.

Estou usando máscara. As trocas devem ser feitas de quanto em quanto tempo?

Em uso contínuo, a recomendação é fazer a troca a cada duas horas, mas ela pode ser trocada sempre que estiver úmida. Isso pode variar de acordo com as secreções e com a transpiração do paciente. Em casos de febre, por exemplo, pode ficar úmida mais rápido. Ao ficar molhado, o produto não é mais eficaz.

Posso confeccionar minhas próprias máscaras?

Não. A efetividade dos tecidos para proteger contra a doença é desconhecida e as máscaras vendidas seguem padrões. Por mais que o item funcione para algumas pessoas, como um marcador para evitar tocar o rosto, ela pode fazer com que outras toquem mais a região, principalmente quando vão ajustá-la à face, favorecendo a infecção pela doença.

As máscaras podem ser higienizadas?

No caso das descartáveis, o uso deve ser único. Elas devem ser descartadas após serem usadas. A máscara de tecido até pode ser lavada com água e sabão, mas não é um produto que segue padrões de esterilização. Existem produtos desinfetantes que fazem efeito contra outros coronavírus, como água sanitária, e podem funcionar contra a covid-19, mas testes ainda vão definir isso.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade