2 eventos ao vivo

Hora da história: contação para incentivar o hábito desde cedo

23 mar 2018
16h56
  • separator
  • comentários

Na semana em que comemoramos o dia do contador de história, um texto com dicas práticas para tornar a contação mais divertida e incentivar o gosto pelas histórias desde cedo.

Foto: Mãe com Prosa

Dados da leitura no Brasil

Na última pesquisa sobre os hábitos de leitura dos brasileiros (Retratos da Leitura), divulgada em 2016, constatou-se que 44% da população não têm o hábito de ler e 30% nunca comprou um livro. Apesar de crescer a passos de tartaruga, a leitura no Brasil também foi pauta de um recente estudo sobre a crise de aprendizagem, que destacou que os alunos brasileiros levarão pelo menos 260 anos para atingir nível de leitura dos países desenvolvidos

🙁
🙁
Foto: Mãe com Prosa

Mas temos a chance de melhorar essas estatísticas com nossos filhos!

Incentivar o hábito

Para a leitura se tornar um hábito, é preciso inserí-la na idade em que todos os principais hábitos se formam - próximo do primeiro ano. A hora da historinha pode ter o mesmo peso do que a rotina de tomar banho ou escovar os dentes, por exemplo, e é desejável que tenha mais peso do que as telas da TV e do celular.

Aqui em casa, quando minha bebê de dois anos insiste em brincar com um aplicativo de celular, muitas vezes troco essa brincadeira por vídeos de contação de histórias - somos assíduas do canal "Fafá Conta". Acho uma forma divertida de incentivar o hábito para os pequenos, pois o contato visual gera curiosidade com o livrinho.

Dicas da Fafá

Como se tornar um bom contador de histórias?

Um dia fiz essa pergunta para a Fafá, para melhorar minha habilidade em representar as histórias - pois bebês são difíceis de entreter. Ela me deu essas dicas abaixo, para a hora da história ficar ainda mais estimulante e divertida.

*** Antes de tudo, é interessante criar uma rotina para a história. É legal a criança saber que pode contar com esse momento, seja na hora de brincar ou de dormir.

*** Para os bebês menores, o ideal são histórias simples e curtas, pois é impossível prender a atenção por muito tempo. Já os maiorzinhos, para cada fase há assuntos que causam mais interesse, mas geralmente as histórias engraçadas, ou de resoluções inesperadas, conseguem prender a atenção de uma faixa mais extensa. Por exemplo: um assunto como o "pum" sempre é sucesso garantido!

*** Outra forma de estimular a imaginação são os livros de figuras, que permitem criar diferentes histórias toda vez que são "lidos".

*** Solte sua criança interior e não tenha vergonha na hora da contacão! Quanto mais os pais ou cuidadores se soltarem, mais a criança vai curtir.

*** Use e abuse do seu lado artístico criando sons, vozes e expressões. É importante variar o volume da voz de acordo com os acontecimentos, para causar mais emoção. E nessa invenção de sonoridades, a criança pode colaborar criando alguns sons. Já os mais tímidos, podem ser incentivados com perguntas do tipo "ué, o que aconteceu aqui?"

*** Usar objetos e brinquedos é outra técnica infalível. E não há limite para a criatividade! Por exemplo: um garfo pode ser um rei ou rainha; um pregador pode ser um jacaré ou cavalo; um anel pode representar um carro, dois anéis formam um óculos ou um par orelhas; uma bota preta de ponta cabeça se transforma em lobo; uma caixa pode ser uma casa ou guardar um segredo!

*** Se a família está vivendo um momento específico, como o desfralde ou a chegada de um irmão, existem muitos livros bacanas que ajudam a tratar desses e vários assuntos.

Dica final

Vale sempre lembrar: um bom contador de histórias deve fugir dos estímulos externos como celulares, TV ou pessoas em atividades paralelas. Para esse momento ser realmente proveitoso, a atenção deve ser 100% para a criança e para a história.

***Valeu Fafá!

Que a vida seja sempre recheada de boas histórias!

Canal da Fafá: http://youtube.com/fafaconta

Outros textos de Renata Bianchi

Acesse nosso site: www.maecomprosa.com.br

Mãe com Prosa

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade