1 evento ao vivo

De pênis grande a camisinha, revista lista 14 mitos sexuais

'Homens devem ejacular para sentir prazer' e 'quanto maior o pênis, melhor' são alguns dos pensamentos equivocados sobre sexo

14 jul 2014
20h06
atualizado às 20h07
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Entre os mitos sexuais estão que "sexo é melhor quando se é jovem"
Entre os mitos sexuais estão que "sexo é melhor quando se é jovem"
Foto: Iconogenic/Getty Images

É comum ouvir que "sexo é melhor quando se é jovem", "camisinha tira o prazer" e "mulheres têm menos interesse em sexo que homens". No entanto, essas afirmações não passam de mitos. Confira abaixo 14 pensamentos errados sobre sexo, listados pela revista americana Men’s Health.

Siga Terra Estilo no Twitter

Mito: o sexo é melhor quando se é jovem
Realidade: sexo, quando se é jovem, pode ser mais rápido e mais atlético, mas os adultos mais velhos sexualmente ativos relatam maior satisfação sexual e emocional. "Há menos ênfase nos orgasmos rápidos e mais foco na sensualidade, criatividade e conexão emocional", disse a consultora de educação sexual Melanie Davis.
 
Mito: preservativos tiram o prazer do sexo

Realidade: o preservativo correto pode melhorar o sexo para o casal. Uma pesquisa feita pela luckybloke.com descobriu que 68% dos homens escolhem preservativo de tamanho ou formato errado. Quando encontram um de ajuste ideal, o prazer dispara.
 
Mito: a relação sexual por si só pode levar uma mulher ao orgasmo
Realidade: cerca de 75% das mulheres nunca chegam ao orgasmo apenas por meio do sexo vaginal, elas precisam de estimulação clitoriana direta. "A melhor aposta é usar os dedos ou um vibrador para trazer um pouco de prazer para o clitóris", disse a consultora Melanie.
 
Mito: os homens não são naturalmente monogâmicos, mas as mulheres são
Realidade: "as mulheres são fortemente socializadas para restringir a atração sexual por um cara de cada vez, mas a biologia e a personalidade das mulheres são bem adaptadas a vários parceiros, mais do que as dos homens", disse a especialista em relacionamentos Deborah Anapol.

Mito: as mulheres têm menos interesse em sexo do que os homens
Realidade: isso não é verdade. "As mulheres podem se tornar desinteressadas como resultado de abuso na infância, problemas de relacionamento ou demandas com filhos e trabalho", comentou Deborah. "Mas uma mulher sexualmente satisfeita é uma mulher feliz, amorosa", completou.
 
Mito: os homens devem ejacular para sentir prazer sexual
Realidade: ao perguntar a qualquer homem que aprendeu a separar o orgasmo da ejaculação, ele vai dizer que existem muitos benefícios para o orgasmo não-ejaculatório. Ejacular não é o seu único objetivo, segundo Deborah.
 
Mito: um homem deve ter uma ereção para desfrutar do sexo
Realidade: preliminares não exigem uma ereção e o processo de despertar a mulher e excitá-la pode ser muito prazeroso para o homem, se a mente dele não estiver preocupada com exigências de desempenho, como explicou Deborah.

Mito: quanto maior o pênis, melhor
Realidade: "um pênis grande e uma vagina pequena não são uma combinação feliz. Além disso, saber usar o pênis com habilidade é mais importante do que o tamanho", explicou Deborah.
 
Mito: a maioria dos casamentos não sobrevive a uma traição
Realidade: pesquisas realmente demonstram o contrário até certo ponto. "O tipo mais fácil de affair para se recuperar é o de alta oportunidade/baixo envolvimento dos homens, e o maior desafio é o affair feminino", disse o professor de psicologia e terapeuta sexual Barry McCarth. "A chave para a recuperação é reconstruir a confiança, intimidade e vínculo sexual", completou.
 
Mito: quanto mais próximo o casal fica, melhor será o sexo
Realidade: o tédio é o inimigo maior. Muita intimidade e proximidade pode fazer com que o cônjuge passe a não ver o parceiro de maneira erótica, comentou o terapeuta sexual McCarthy.
 
Mito: menos de 10% das mulheres experimentam dor durante o sexo
Realidade: o número é maior. "Os dados sobre as mulheres indicam que 30% lidam com algum nível de dor sexual", disse o terapeuta McCarthy.
 
Mito: se a mulher não experimentou orgasmo pelo ponto G ou não teve orgasmos múltiplos, é um sinal de inibição sexual
Realidade: cada mulher é diferente. "Objetivos orientados para o desempenho para ter o tipo 'certo' de orgasmo feminino subverte a mulher saudável e a sexualidade do casal, e podem causar disfunção orgásmica secundária", explicou McCarthy. "A aceitação da voz sexual da mulher, incluindo o seu padrão de orgasmo, é mais saudável para a mulher e o casal."
 

Em vez de orgasmo, o item mais importante para a mulher na cama é se sentir desejada
Em vez de orgasmo, o item mais importante para a mulher na cama é se sentir desejada
Foto: Ivan Mladenov/Getty Images

Mito: qualquer homem pode aprender a controlar sua ejaculação
Realidade: alguns caras são mais propensos a rapidinhas. "Se você tiver problemas com duração de mais de um minuto de relação sexual, não é provável que você seja capaz de manter a ereção como uma estrela pornô, não importa quantos exercícios faça", disse o terapeuta sexual Stephen Snyder.
 
Mito: a coisa mais importante para uma mulher na cama é que o homem a leve ao orgasmo
Realidade: as mulheres querem homens que as façam se sentirem desejadas. "Se ela quiser grande técnica, ela pode ter um vibrador. De você, ela quer verdadeira paixão. Se apenas estar perto dela já o excita, mostre isso a ela. As mulheres sonham com isso", falou Snyder.

15 curiosidades sobre o orgasmo 15 curiosidades sobre o orgasmo

Veja também:

De andador, veterano de guerra de 99 anos arrecada milhões para saúde pública britânica
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade