PUBLICIDADE

Tóquio: cabelos multicoloridos dos atletas chamam a atenção

3 ago 2021 08h14
| atualizado às 15h23
ver comentários
Publicidade

Os cabelos coloridos têm chamado a atenção de quem assiste as competições da  Olimpíada de Tóquio. Em várias modalidades, atletas mostram suas madeixas em rosa, vermelho, azul, lilás, amarelo, laranja. Os fios podem vir numa cor só ou multicoloridos. É só escolher seu estilo.

Leticia Bufoni
Leticia Bufoni
Foto: Reprodução/Instagram / Elas no Tapete Vermelho

Não há nacionalidade nem tipo de esportes. Do skate, com a brasileira Letícia Bufoni, passando pelo atletismo, em várias modalidades, além de tênis, vôlei, entre outros. Colorir os cabelos é, com certeza, uma forma de expressão individual, assim como unhas em nail art, tênis estampados, óculos diferentes, caso os esportes permitam. De qualquer forma, chamam a atenção e, muitas vezes, carregam mensagens.

A corredora canadense Gabriela DeBues-Stafford, assumidamente bissexual, que se classificou para a final dos 1500 metros exibindo seus cabelos em tons de arco-íris, que ostenta desde o começo de junho, quando mudou a cor vermelha para colorida. Em entrevista ao site "Ali - On The Run", ela afirmou: "Eu definitivamente não sou hétero, com certeza. Crescendo e vivenciando homofobia, bifobia e internalizando muito disso, sinto que pessoalmente estou investido no combate à opressão". E seus cabelos são porta-vozes dessa ideia.

Corredora canadense Gabriela DeBues-Stafford
Corredora canadense Gabriela DeBues-Stafford
Foto: Reprodução/Instagram / Elas no Tapete Vermelho

O cabeleireiro e maquiador Max Weber afirmou ao "Elas no Tapete Vermelho", que para se obter resultados como os vistos na Olimpíada, a melhor forma é descolorir os fios e usar tintas boas. "Eu uso a italiana BBcos Pro Color Tribes. Mas antes de descolorir, deve-se fazer o teste da mecha, para ter certeza do resultado", afirmou.

Para isso, segundo ele, deve-se descolorir uma mecha da parte de trás para saber até que ponto é necessário para obter a cor necessária. "Algumas cores não precisam deixar os fios platinados", explicou, ao alertar que, se a pessoa já tem química no cabelo, deve ter cuidado para não comprometer os fios. "O melhor é procurar um profissional", aconselhou.

Confira os looks dos atletas e, se tiver coragem e estilo, inspire-se.

Leticia Bufoni

Uma das marcas registradas da skatista brasileira Letícia Bufoni são os fios cor-de-rosa, puxando para o lilás.

Shelly-Ann Fraser-Pryce

Os fios que lembram fogo da atleta jamaicana Shelly-Ann Fraser-Pryce também estão chamando a atenção nas pistas de atletismo de Tóquio. O efeito pode ser feito com peruca tipo lace ou com tinturas da marca italiana BBcos, que tem essas tonalidades.

Meryem Boz

O azul é o tom que a jogadora de vôlei Meryem Boz, da Turquia, adotou como seu para tingir seus cabelos.

Megan Ripinoe

O lilás é a cor escolhida pela jogadora de futebol americana Megan Ripinoe, que também carrega em seu currículo a luta pelos direitos LGBTIA+.

Naomi Osaka

A tenista japonesa Naomi Osaka, que vive nos Estados Unidos desde os 3 anos, usou tranças com tons vermelhos para se apresentar na Olímpiada. "Para as tranças, o efeito é diferente e feito com com um fio especial na cor desejada, chamado Jumbo", disse Weber.

Tatjana Pinto

A corredora alemã Tatjana Pinto escolheu fios roxos para trançar os cabelos, que exibe na competição olímpica.

Gabriela DeBues-Stafford

A canadense Gabriela DeBues-Stafford exibe os fios em várias cores, levantando a bandeira de orgulho LGBTIA+. Ela mesma tingiu o cabelo em casa, promovendo uma marca de tintas. Veja o passo a passo abaixo.

"Quando eu assumi (a bissexualidade), me senti tão livre e não senti mais a pressão de satisfazer o olhar masculino durante o namoro. O cabelo é forma maravilhosa de auto-expressão, e tendo a liberdade de explorar estilos diferentes e cores brilhantes, sinto-me totalmente autêntica", escreveu na legenda. Ela cortou os cabelos bem curtos em 2017.

Jogadores quenianas de vôlei

A seleção do Quênia, país conhecido pelos seus corredores, também apostou em uniforme colorido para a cerimônia de abertura da Olimpíada, com atitude e looks extrovertidos, que tem tudo a ver com os penteados e cores dos cabelos.

Durante as partidas as jogadoras de vôlei do Quênia, cujo técnico é o brasileiro Luizomar Moura, os cabelos coloridos ou com penteados diferentes também chamam a atenção.

Raven Saunders

A arremessadora de peso americana Raven Saunders, que ganhou medalha de prata em Tóquio, exibe os cabelos cortados bem rente à cabeça em duas cores: roxo e verde. No pódio, a atleta protagonizou a primeira manifestação da Olimpíada de Tóquio. Cruzou os braços no alto em forma de X. Com 25 anos, ela é negra, lésbica e tem falado muito sobre sua luta contra a depressão. Na legenda da foto acima, também escreveu: "Se você é negro, LGBTQIA+ ou com transtorno mental. Isso é para você."

Kiran Badloe

Os homens também têm exibido cores em seus cabelos, como o Kiran Badloe. O atleta de vela holandês, exibiu um corte moicano em formato de seta azul, inspirado no protagonista da série de animação "Avatar: A Lenda de Aang". 

Em seu instagram, ele explicou o motivo: "Esse corte de cabelo é um tributo para o primeiro e único mestre do vento. O avatar, o último dobrador de ar ainda vivo. Eu espero que o espírito desse grande guerreiro me dê poder para navegar bem nesta semana e usar o vento em meu favor. Uma dia, espero me tornar também um mestre do vento, um verdadeiro dobrador de ar". O mestre dos ventos parece que ouviu seu pedido. Kiran foi ouro na categoria RS:X Masculino na Olimpíada de Tóquio.

Elas no Tapete Vermelho
Publicidade
Publicidade