PUBLICIDADE

Tendências gastronômicas para 2024: alimentos sem glúten e à base de planta

Pesquisa feita pelo mercado americano Whole Foods revela quais serão os hábitos gastronômicos em alta no ano que vem

16 nov 2023 - 10h03
Compartilhar
Exibir comentários

Todo ano o supermercado americano Whole Foods faz um estudo elaborado para prever quais serão as tendências gastronômicas do próximo ano. Para chegar aos resultados, a rede analisa o comportamento e consulta um painel de mais de 50 membros, que vão de compradores fiéis a fornecedores. O resultado se torna uma espécie de guia para consumidores e especialistas em culinária e gastronomia ficarem atentos no próximo ano. 

Em 2024, a lista promete que a tendência será o consumo de alimentos mais saudáveis, naturais e sem glúten. Apesar disso, as pessoas se permitirão ter pequenos luxos e gastar com comidas mais caras. 

Confira as 10 previsões do Whole Food Market’s Trends 2024:

Alimentação à base de plantas e natural

Foto: vaaseenaa / iStock

A principal tendência para o próximo ano será o aumento da demanda por alimentos à base de plantas, preferencialmente naturais e integrais, minimamente processados. Em contraste com opções como hambúrgueres de soja, que são vegetarianos, mas frequentemente processados e contêm aditivos, as pessoas estão buscando pratos feitos com vegetais completos, sementes, grãos, folhas e hortaliças naturais.

Cacau 100% em produtos

Foto: vaaseenaa / iStock

Seguindo a mesma linha da alimentação natural, a preferência agora está em produtos que contenham cacau integralmente, em vez de apenas uma proporção ou essência com sabor de cacau. Granolas com cacau 100% e outras opções que não contenham adição de açúcar ou outras substâncias são as escolhas em destaque.

Variedade de pimentas

Foto: thawornnurak / iStock

Os amantes de sabores picantes estão mais dispostos a explorar diferentes pimentas de diversas partes do mundo, ampliando suas experiências gastronômicas.

Alimentos sem glúten

Foto: Daisy-Daisy / iStock

Para aqueles que evitam o glúten por motivos de saúde, a tendência é que haja cada vez mais alimentos e receitas sem glúten. A mudança de paladar está levando a uma preferência por produtos à base de trigo sarraceno, que é ainda mais rico em proteínas do que os alimentos processados sem glúten.

Sustentabilidade na produção de ingredientes

Foto: Dreamer Company / iStock

A crescente consciência ambiental também está influenciando as escolhas culinárias, resultando em uma busca por alimentos orgânicos ou produzidos de maneira mais sustentável, com ênfase na redução do desperdício de água.

Pequenos luxos gastronômicos

Foto: to:sdstockphoto / iStock

Apesar do foco na alimentação saudável, há um aumento na procura por pequenos luxos gastronômicos, como macarons, caviares e outras mini delícias gourmet.

Redução do consumo de cafeína

Foto: grandriver / iStock

Muitas pessoas estão explorando alternativas ao café tradicional para reduzir o consumo de cafeína, buscando descafeinados com infusão de cogumelos e chá verde com probióticos, evitando assim os efeitos estimulantes.

Substituição de peixe por opções vegetarianas

Peixinho-da-horta empanado
Peixinho-da-horta empanado
Foto: É De Casa

Não apenas a carne vermelha, mas os chamados peixes "falsos", feitos com vegetais como cenouras ou cogumelos, estão ganhando preferência entre os consumidores, seguindo a tendência vegetariana.

Evolução do miojo para uma experiência gourmet

Foto: Kritchai Chaibangyang / iStock

O tradicional macarrão instantâneo, símbolo da simplicidade culinária, está evoluindo para versões gourmet, oferecendo uma variedade maior de sabores para os apreciadores da praticidade no preparo.

Produtos para a saúde hormonal

Foto: Kritchai Chaibangyang / iStock

Ingredientes naturais e produtos como chás que auxiliam no alívio de sintomas relacionados à tensão pré-menstrual, menopausa, gravidez e pós-parto estão em alta, refletindo a preocupação com a saúde em geral e a saúde hormonal.

*Vale lembrar que a lista é baseada nas tendências de consumo do mercado norte-americano, que pode ou não refletir no mercado brasileiro

Redação Degusta
Compartilhar
Publicidade
Publicidade