PUBLICIDADE

Jamie Oliver incentiva população pobre a comer melhor em novo projeto

Chef incentiva o consumo de mercados locais para evitar o desperdício de comida

27 ago 2013 19h48
| atualizado às 19h48
ver comentários
Publicidade
<p>O britânico Jamie Oliver pretende mostrar que é possível se alimentar bem com um orçamento limitado</p>
O britânico Jamie Oliver pretende mostrar que é possível se alimentar bem com um orçamento limitado
Foto: Getty Images

O chef britânico Jamie Oliver está promovendo seu novo projeto de TV, o programa Jamie's Money Saving Meals (Refeições Baratas de Jamie), no qual espera incentivar as pessoas menos favorecidas socialmente a se alimentarem melhor.

Em entrevista à Radio Times, ele demonstrou perplexidade sobre o fato de a maioria dos britânicos pobres preferir gastar seu dinheiro com alimentos de pior qualidade, como o fast food. As informações são do site do jornal britânico The Guardian.

Jamie contou que passou bastante tempo em comunidades pobres e observou que os hábitos alimentares incluem itens pouco nutritivos e caros. “A coisa mais fascinante para mim é que sete a cada 10 famílias pobres escolhem o caminho mais caro para hidratar e alimentar as suas famílias. As refeições prontas, os alimentos de conveniência”, pontuou.

O chef, que fez campanha em escolas britânicas no ano de 2005, pede que as pessoas deixem de comprar em grandes redes de supermercado para apostar em quantidades menores e nos mercados locais. Ele acrescenta que a Grã-Bretanha tem muito a aprender com a Itália e a Espanha sobre a compra de produtos frescos e sobre como comer bem um orçamento limitado.

Jamie afirma, ainda, que mais pessoas prestariam atenção às suas contas no mercado se soubessem que, depois de uma hipoteca, a quantidade de dinheiro gasta com supermercado é o maior investimento financeiro de suas vidas.

Ele acrescenta também, durante a entrevista, que  algumas pessoas são mais fiéis a um determinado supermercado do que a “qualquer religião ou marca”. Além disso, ele explica que os mercados acabam fazendo com que o consumidor compre em excesso, já que as ofertas vêm em pacotes de 200 g ou 400g; diferente dos mercados menores, onde as pessoas podem comprar apenas o que vão consumir no jantar e, com isso, evitam o desperdício.

O chef incentiva as pessoas a olharem para outras culturas para aprender a comer com um orçamento limitado. "Alguns dos alimentos mais inspiradores do mundo vêm de áreas onde as pessoas têm dificuldades financeiras. O sabor vem de um corte barato de carne, ou algo que é cozido vagarosamente, ou uma textura incrível que foi feita de sobras de pão duro", disse.

De acordo com Imran Hussain, do Child Poverty Action Group, Jamie está certo em dizer que a comida saudável nem sempre precisa ser cara. “As estatísticas oficiais mostram que pais de crianças pobres são menos propensos a oferecer frutas frescas para seus filhos", pontuou. 

&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://culinaria.terra.com.br/infograficos/bom-prato/iframe.htm&amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot; href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://culinaria.terra.com.br/infograficos/bom-prato/iframe.htm&amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;veja o infogr&amp;amp;amp;amp;amp;amp;aacute;fico&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;
Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade