PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

'Love bombing': conceito de amor exagerado passa a ser visto como crime

Ministério Público inglês explica que suspeitos podem 'se blindar' e aconselha promotores sobre como agir nesses casos

13 abr 2024 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Ministério Público inglês explica que suspeitos podem "se blindar" e aconselha promotores sobre como agir
Ministério Público inglês explica que suspeitos podem "se blindar" e aconselha promotores sobre como agir
Foto: fizkes

A prática conhecida como "love bombing" - quando há demonstrações exageradas de amor - tem sido cada vez mais identificada em relacionamentos e pode fazer parte de investigações criminais. O conceito, que na tradução livre significa "bombardeio de amor", define um método de manipulação emocional em que o abusador age para ganhar rapidamente a atenção da outra pessoa do relacionamento, por meio de excesso de afeição, causando dependência e sensação de dívida na vítima.

A Crown Prosecution Service (CPS), que seria equivalente ao Ministério Público na Inglaterra e no País de Gales, incluiu a prática em suas diretrizes sobre o que constitui comportamento controlador e coercitivo.

"Durante uma investigação em curso, um suspeito pode então fazer contra-alegações de abuso, argumentar que as suas acções foram em legítima defesa, enganar ativamente a investigação com o seu comportamento e até solicitar ordens de não abuso sexual ou pedir aos tribunais que variem as ordens de restrição para exercer maior controle sobre a vítima", alerta, por meio de um comunicado. 

A agência explica que ao analisarem as provas, os promotores podem ajudar a informar e apoiar os investigadores na construção de um caso robusto. "Estas provas permitirão também uma avaliação precisa do risco, para que possa ser prestado o apoio necessário à vítima". A CPS ainda pede que, ao tomarem uma decisão sobre uma acusação, os promotores considerem como as ações do infrator impactam o comportamento da vítima. 

A promotora-chefe da CPS, Kate Brown, reforça que o impacto do stalking e do comportamento controlador ou coercitivo sobre as vítimas não deve ser subestimado, segundo o artigo publicado no site da própria Instituição.

“Essas ofensas controladoras podem aumentar rapidamente e é por isso que estamos absolutamente comprometidos em processar no limite da lei e sempre buscaremos ordens relevantes para proteger as vítimas", diz. 

Tendência? Veja mulheres famosas que estão viajando sozinhas Tendência? Veja mulheres famosas que estão viajando sozinhas

Conceito deve ser compreendido por todos

Em muitos casos a vítima, iludida pelo abusador, é a última a saber que está passando por love bombing. Para que o comportamento seja identificado, é necessário que além dos promotores, outras autoridades que fazem parte de uma investigação – da polícia à justiça – entendam como funciona e até onde pode chegar.

A comissária das vítimas de Londres, Clair Waxman, defende a realização de treinamentos sobre o tema. "É fundamental que a orientação seja apoiada por formações atualizadas, tanto para a Polícia como para os Procuradores, para os ajudar a identificar melhor o comportamento dos suspeitos, o risco para as vítimas e garantir que as acusações corretas sejam aplicadas nestes casos complexos".

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade