PUBLICIDADE

Chorar com frequência é sinal que algo não vai bem: entenda!

No Setembro Amarelo, especialista aponta que crises de choro são um sinal de que os sentimentos estão à flor da pele

4 set 2021 22h05
ver comentários
Publicidade
Crises de choro podem estar relacionadas com a saúde mental
Crises de choro podem estar relacionadas com a saúde mental
Foto: Shutterstock / Alto Astral

Setembro é amplamente conhecido como o mês de prevenção ao suicídio no Brasil, por conta da campanha Setembro Amarelo. Assim, é importante nos conscientizatmos e estarmos atentos aos diversos sinais que nosso corpo fornece e são diretamente relacionados à saúde mental. E um desses sinais pode ser o ato de chorar.

De fato, algumas pessoas choram mais do que outras e isso é algo que está relacionado à personalidade de cada uma delas. Contudo, será que chorar demais é normal ou pode ser um sinal de alerta que algo não vai bem?

Para o psicanalista e psicólogo Ronaldo Coelho, o choro é sinônimo de sensibilidade, e todos os indivíduos sabem quando estão mais fragilizados em determinadas datas, seja por conta de uma lembraça de algo ou alguém ou até mesmo em momentos de desabafo.

Afinal, quem nunca se sentiu fragilizado ou incapaz em algum momento da vida, não é mesmo? Nesses momentos, o choro comprova que há sentimentos dentro de você, como angústia, tristeza ou raiva, que precisam ser colocados para fora.

Vale mencionar também que mudanças hormonais podem levar a essa fragilidade que clama por atenção. Isos porque alterações nos hormônios acarretam em desregulações que podem deixar a pessoa mais sensível; "inclusive, é uma situação comum para algumas mulheres que sofrem com as alterações do ciclo menstrual", destaca o psicólogo. 

Chorar oom frquência é sinal que algo não vai bem - Shutterstock
Chorar oom frquência é sinal que algo não vai bem - Shutterstock
Foto: Alto Astral

De todo modo, ao Alto Astral, o psicólogo diz que "não há comprovação direta de que quem chora mais tem melhor qualidade de vida e quem chora menos tem complicações de saúde". No entanto, ele ressalta que quanto mais as pessoas conhecem a si mesmas e suas emoções, mais elas tendem a se cuidar, aprendendo a ministrar o sofrimento.

O buraco é mais embaixo...

Coelho lembra que o fato de chorar não pode ser mais importante do que a compreensão sobre o que levou a esse estado emocional naquele momento. "É fundamental compreender os valores de cada coisa durante as experiências que a vida oferece e realizar escolhas que possibilitem cuidar daquilo que realmente faça valer a pena e ter vontade de seguir. Esse processo é que ajuda na qualidade de vida e no cuidado com a saúde", explica o especialista.

Quanto às crises de choro, como o próprio nome aponta, fazem parte daquele momento em que a pessoa está com as emoções à flor da pele. "O choro, neste caso, deve ser tomado como um sinal de que algo importante que requer cuidado e principalmente apoio de um familiar ou amigos para apenas se mostrar presente sem muitas especulações ou questionamentos sobre o estado da pessoa", afirma Coelho.

Por fim, o especialista ressalta que chorar não significa imaturidade ou fraqueza, mas sim que algo não está indo bem. Além disso, o ato pode representar o sintoma de alguma doença, como ansiedade e depressão.

Desse modo, é necessário atenção ajuda especializada para que haja bem-estar mental.

Caso esteja passando por algum momento difícil, não hesite em buscar ajuda. Acesse: www.setembroamarelo.com

  • Saúde mental: o sofrimento gerado pela busca do corpo perfeito
  • Você sabe qual é a importância do autocuidado na sua vida?
  • Ansiedade em crianças e adolescentes: veja como identificar e ajudar seu filho!
  • Transtorno Depressivo Infantil: entenda o que leva uma criança a ter depressão

Fonte: Ronaldo Coelho, psicanalista e psicólogo graduado e mestre pela Universidade de São Paulo (USP), foi professor de Psicologia Médica do curso de graduação de Medicina da UNIFESP e preceptor da Residência Multiprofissional em Saúde, também da UNIFESP.

Alto Astral
Publicidade
Publicidade