PUBLICIDADE

São Paulo registra 23,1ºC na madrugada mais quente do ano; veja previsão para os próximos dias

Calor na capital paulista está acima do previsto para o mês de dezembro, de acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura

7 dez 2023 - 21h37
(atualizado às 21h57)
Compartilhar
Exibir comentários
Termômetros da Avenida Paulista marcaram 35ºC em 17 de novembro de 2023, quando São Paulo foi atingida por onda de calor.
Termômetros da Avenida Paulista marcaram 35ºC em 17 de novembro de 2023, quando São Paulo foi atingida por onda de calor.
Foto: Tiago Queiroz/Estadão / Estadão

São Paulo registrou nesta quinta-feira, 7, a madrugada mais quente de 2023. De acordo com dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE), da Prefeitura da capital, os termômetros marcaram uma temperatura média de 23,1ºC. A maior temperatura absoluta, registrada em um único local, foi de 25,3ºC, em Santo Amaro, zona sul da cidade.

O calor desta quinta superou a madrugada de 17 de novembro: 22,5ºC. Naquela semana, o Estado de São Paulo e outras regiões do Brasil foram atingidos por uma onda de calor que elevou as temperaturas em quase todo o País.

De acordo com CGE, a média mínima esperada para dezembro é de 18,7ºC, enquanto a média máxima, 28,2ºC. Até o momento, sete dias após o começo do mês, o órgão meteorológico da Prefeitura registrou números acima do previsto: 20,3ºC de média mínima e 31,8ºC de média máxima.

Para Michael Pantera, meteorologista do CGE, a tendência é de que o calor deve se agravar ainda mais com a chegada do verão - cujo início está marcado para o dia 22, às 00h27 -, e se estender para os próximos meses. O especialista explica que as altas temperaturas, que já são comuns nesta época do ano, estão sendo mais frequentes também em decorrência de um El Niño de alta intensidade, fenômeno que se caracteriza pelo aquecimento das águas da superfície do Pacífico Equatorial.

Extremo, quase uma bomba: 7 curiosidades sobre o El Niño, o 'vilão' do calor Extremo, quase uma bomba: 7 curiosidades sobre o El Niño, o 'vilão' do calor

"Neste ano em especial, os climatologistas apontam um cenário de aquecimento anômalo em quase todas as bacias oceânicas do planeta. Estas condições devem contribuir para temperaturas mais elevadas do que o normal, o que favorece a ocorrência de pancadas de chuva no final das tardes", explica Pantera.

"Essa combinação deve se traduzir em mais dias quentes, inclusive com a formação de ondas de calor, que são dias sucessivos com termômetros acima da média esperada, além de condições para chuvas fortes e até temporais com elevados acumulados em alguns dias", complementa o meteorologista.

De toda a série histórica de dezembro feita pelo CGE, que marca a temperatura de São Paulo desde 2004, a menor mínima média registrada na cidade em dezembro foi de 12,4°C (9 de dezembro de 2018), enquanto a maior máxima média foi de 35,2ºC (31 de dezembro de 2007).

Até agora, choveu menos de 1% do volume esperado para o mês

Ainda segundo o CGE, são esperados 186,3mm de média de índice pluviométrico para São Paulo neste último mês do ano. O volume das precipitações, até o momento, é de 1,5mm, o que representa 0,8% da média prevista.

Sexta-feira deve ser menos abafada

A sexta-feira, 8, deverá ser menos abafada em comparação aos últimos dias. A previsão é de que os termômetros marquem 28ºC de máxima, e 19ºC de mínima. A trégua no calor se deve à propagação de uma frente fria pelo litoral paulista, que pode provocar chuvas mais generalizadas e com a possibilidade de serem de forte intensidade, com raios e ventos que superam os 40 km/h.

No sábado, 9, a frente fria se afasta do litoral paulista, mas os ventos úmidos do oceano causam nebulosidade e chuva fraca, o que deve manter as temperaturas amenas. A previsão é de 17ºC de mínima, e 22º de máxima.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade