5 eventos ao vivo

Três SUVs que vão infernizar a vida do Jeep Compass em 2021

Está acabando a “moleza” para o Compass, líder sem rival direto desde 2016. Taos, Corolla Cross e Bronco Sport vêm aí. Conheça os três!

4 jan 2021
05h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Jeep Compass: líder absoluto dos SUVs médios com mais de 52 mil vendas no ano passado.
Jeep Compass: líder absoluto dos SUVs médios com mais de 52 mil vendas no ano passado.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Quatro anos e meio depois de ter iniciado sua produção no Brasil, o Jeep Compass finalmente terá rivais direitos em 2021. Desde 2016, o máximo que o SUV médio fabricado em Goiana (PE) enfrentou foram carros importados em pouco volume e caros, como o Chevrolet Equinox e o Ford Territory. Agora vai ser diferente: Ainda no primeiro semestre chegarão ao Brasil os novíssimos Volkswagen Taos (produzido na Argentina), Toyota Corolla Cross (fabricado no Brasil) e Ford Bronco Sport (feito no México).

Nenhum deles será capaz de tirar a liderança do Jeep Compass, que fechou o ano da pandemia com mais de 52 mil unidades emplacadas, mas vão incomodar. O Compass não perderá a hegemonia porque é o único que contará com duas opções de motor (flex e diesel), duas opções de tração (4x2 e 4x4) e duas opções de câmbio automático (seis e nove marchas). Mas sofrerá ataque em várias frentes, o que transformará sua vida tranquila num pequeno inferno.

Bronco Sport colocará a Ford na briga pelo mercado de SUVs médios no país.
Bronco Sport colocará a Ford na briga pelo mercado de SUVs médios no país.
Foto: Ford / Divulgação

Veja a seguir as armas dos três SUVs desafiantes -- Volkswagen Taos, Toyota Corolla Cross e Ford Bronco Sport -- para dar algumas mordidas no bolo de vendas que o Jeep Compass, por enquanto, domina praticamente sozinho, na categoria de SUV-C, ou seja, utilitário esportivo médio.

Volkswagen Taos

O Volkswagen Taos será o primeiro SUV da marca alemã que será fabricado na Argentina para toda a região. Com esta apresentação, a empresa segue uma série de novos modelos na América Latina sob a estratégia da "ofensiva SUV". O carro está em fase final de pré-produção na nova linha de montagem que a Volkswagen Argentina possui em General Pacheco, em Buenos Aires.

Volkswagen Taos: design espetacular na dianteira, com filete de LED cortando a grade.
Volkswagen Taos: design espetacular na dianteira, com filete de LED cortando a grade.
Foto: VW / Divulgação

O Taos será posicionado acima do T-Cross e usará apenas o motor 1.4 TSI de 150 cv de potência e 250 Nm de torque. Muito moderno, este motor tem turbocompressor e injeção direta de combustível. Porém, nos EUA, o Taos usará um motor 1.5 TSI de 160 cv, uma evolução do 1.4 TSI. O câmbio será automático de seis marchas e a tração será 4x2 (dianteira).

O carro tem um design espetacular na grade dianteira, cortada não por um filete cromado, mas sim por um incrível linha de luz de LED que liga as pontas das assinaturas dos faróis (também de LED). Ao centro, o novo logotipo da Volkswagen. Na grade inferior, a colmeia é cortada por uma peça horizontal em black piano que acompanha o desenho do para-choque. O desenho é extremamente requintado.

Nas laterais destacam-se as caixas de roda “quadradas” com os cantos arredondados e para-choques “musculosos”. Na traseira, o Volkswagen Taos reverte a tendência de uma linha inteiriça que une as duas lanternas (com LED, nos SUVs mais sofisticados) e adotou uma solução mais convencional. As duas lanternas são bem grandes e avançam na tampa do porta-malas. A assinatura de LED se repete em forma de flecha com a ponta invertida.

O Taos também conta com a mais recente tecnologia de iluminação da marca, chamada IQ. Light. Ela permite que os faróis de LED tenham alcance maior e mais amplo nas laterais. Também inclui assistentes inteligentes para a direção, como o “Dynamic light assist”, que ajusta o facho dos faróis para evitar ofuscamento de outros motoristas. Por último, a “Luz de conversão dinâmica” acende de acordo com o ângulo de direção que o motorista aplica ao volante.

Taos será o primeiro SUV da Volkswagen produzido na Argentina para a região.
Taos será o primeiro SUV da Volkswagen produzido na Argentina para a região.
Foto: VW / Divulgação

As rodas têm um design incrível. Elas formam um duplo desenho. Olhando as partes polidas (e escuras), a roda lembra uma flor desabrochada; olhando somente a parte preta, lembra um asterisco. As rodas têm cinco furos e 18” na versão topo de linha. Além disso, a parte central é envolvida por um círculo, formando uma roda dentro da própria roda.

No interior, a disposição horizontal transmite a sensação de espaço e coloca à vista do motorista uma “ilha digital”, segundo a definição da Volkswagen, composta pelo Active Info Display e pelo novo sistema de infotainment VW Play. Os materiais “soft touch”, segundo a Volks, e as inserções em couro no painel complementam a ideia de sofisticação. O ambiente terá possibilidade de programação de 10 cores.

Toyota Corolla Cross

O inédito Corolla Cross é produzido na plataforma do novo Corolla e chega para ocupar um lugar deixado pelo RAV4, que cresceu demais em tamanho. O SUV médio tem linhas exóticas na parte frontal. A enorme grade dianteira lembra a frente do novo Hyundai HB20, rejeitado por boa parte do público brasileiro. Embora tenha o nome Corolla, o novo SUV japonês tem um design totalmente desconectado do sedã..

Toyota Corolla Cross: frente exótica será o primeiro desafio para conquistar o brasileiro.
Toyota Corolla Cross: frente exótica será o primeiro desafio para conquistar o brasileiro.
Foto: Toyota / Divulgação

Lançado antes na Tailândia, o Corolla Cross chegou em quatro versões -- três híbridas e uma convencional. O Corolla Cross de entrada usa motor 1.8 a gasolina de 140 cv (6.000 rpm) e 177 Nm (4.000 rpm). O câmbio é CVT-i7 e o tanque tem 47 litros. O Corolla Cross híbrido tem motor 1.8 a combustão de 98 cv (5.200 rpm) e 142 Nm (3.600 rpm) acoplado a um sistema elétrico. A entrega total de potência é de 122 cv e o câmbio é o E-CVT. Nessa configuração, o Corolla Cross é capaz de fazer 23,3 km/l de gasolina, por isso o tanque tem apenas 36 litros.

No Brasil, além da versão híbrida 1.8, haverá também o motor 2.0 aspirado flex de 177 cv já usado pelo sedã Corolla. O câmbio é automático tipo CVT de 10 marchas, sendo a primeira com engrenagem e as demais continuamente variáveis por meio de polias.

O carro é razoavelmente elevado, com 161 mm de vão livre. Ele mede 4,460 m de comprimento, 1,825 m de largura e 1,620 m de altura. A distância entre-eixos é de 2,640 m. O espaço interno do Corolla Cross é bom e o porta-malas tem capacidade para 487 litros (contra 410 do Compass).

Corolla Cross será produzido no Brasil porque o Toyota RAV4 ficou muito grande e caro.
Corolla Cross será produzido no Brasil porque o Toyota RAV4 ficou muito grande e caro.
Foto: Toyota / Divulgação

Por dentro, o Toyota Corolla Cross terá quadro de instrumentos digital em tela de 7” e o display central de 9”, compatível com Apple CarPlay. O ar-condicionado é dual zone. O SUV japonês tem vários sistemas de segurança e freios a disco nas quatro rodas (ventilados na dianteira). A maioria das versões do Corolla Cross tem rodas de 17” (pneus 215/60), mas a topo de linha é equipada com rodas de 18”.

Ford Bronco Sport

É preciso diferenciar o Ford Bronco do Bronco Sport. O Bronco tem duas ou quatro portas e lembra o Jeep Wrangler. O Bronco Sport é um SUV de quatro portas, mais tradicional, e produzido em carroceria monobloco, que oferece melhor dirigibilidade do que os veículos com carroceria sobre chassi. O Ford Bronco Sport será importado do México.

O carro foi apresentado nos EUA com duas opções de motor. O das versões de entrada é 1.5 EcoBoost de 184 cv de potência (6.000 rpm) e 258 Nm de torque (3.000 rpm). A outra opção é o 2.0 EcoBoost de 248 cv (5.500 rpm) e 372 Nm (3.000 rpm). Os dois motores são turbinados com injeção direta, mas o 1.5 tem três cilindros e o 2.0 tem quatro. Para o Brasil, é mais provável a vinda do 1.5 de 184 cv, pois o Jeep Compass mais potente (2.0 turbodiesel) tem 170 cv. O câmbio é automático de oito marchas com borboleta.

Ford Bronco Sport virá do México, país que tem livre comércio com o Brasil.
Ford Bronco Sport virá do México, país que tem livre comércio com o Brasil.
Foto: Ford / Divulgação

O Ford Bronco Sport tem um visual bem interessante. As linhas do carro são quadradas e retas. O SUV americano tem muita “personalidade”, com 28 pequenas entradas de ar horizontais na grade, divididas por uma faixa na qual aparece a marca “Bronco”. Nas extremidades do nome, dois frisos horizontais bem estreitos cortam os faróis redondos ao meio. Uma solução de design marcante!

Apesar de a marca Ford não aparecer no carro, é quase certo que no Brasil o Bronco terá o logotipo Ford agregado. Nas laterais, as proteções das caixas de rodas também são diferentes do usual. O apelo off-road é o forte do carro. 

O Bronco Sport é um pouco maior do que o Compass. Ele tem 4,387 m de comprimento, 1,783 m de altura e 2,670 m de distância entre-eixos. A Ford divulgou a largura somente com os espelhos (2,088 m). O vão livre do solo fica entre 198 e 201 mm, dependendo da versão. Os ângulos de entrada e de saída são de 21,7o e 30,4o, respectivamente. Esses valores mudam com pneus maiores. 

Bronco Sport chega com tração 4x4 para ser a resposta da Ford ao Jeep Compass a diesel.
Bronco Sport chega com tração 4x4 para ser a resposta da Ford ao Jeep Compass a diesel.
Foto: Ford / Divulgação

A tração integral é outro atrativo do Ford Bronco Sport. O sistema tem bloqueio dos diferenciais e vetorização de torque, podendo enviar toda a força para uma das rodas traseiras. O carro tem capacidade de imersão de 60 cm. A central multimídia é a Sync 3 com display tátil de 8”. Vários sistemas eletrônicos estão disponíveis, como o Ford Co-Pilot360, frenagem com detecção de pedestres, frenagem pós colisão, piloto automático adaptativo e outros. Os pneus standard são 225/65 R17, com 225/60 R18 opcionais.

Quem venderá mais?

Com este ataque direto, é possível que o Jeep Compass não consiga repetir a marca de 52 mil emplacamentos obtida em 2020. Porém, como o mercado sofreu por causa da pandemia no ano passado e está em recuperação, a Jeep vai tentar repetir a dose este ano. Resta uma dúvida: dos três desafiantes, qual venderá mais? O Toyota Corolla Cross tem a vantagem da credibilidade do sedã, mas a Volkswagen já conseguiu colocar o T-Cross no topo dos SUVs compactos e tentará brilhar também com o Taos. Quanto ao Bronco Sport, dependerá muito das ambições da Ford na questão do preço -- se vier bem posicionado, pode surpreender. Façam suas apostas!

Versão Trailhawk a diesel, para off-road forte, é um dos diferenciais do Jeep Compass.
Versão Trailhawk a diesel, para off-road forte, é um dos diferenciais do Jeep Compass.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Veja também:

Mercedes GLB 200, um SUV de 7 lugares com motor 1.3
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade