7 eventos ao vivo

Teste: Chevrolet Montana Sport ainda usa base do Corsa

Fabricada sobre a plataforma do antigo Corsa de 1994, a picape usa motor 1.4 e carrega 765 kg, mas pode melhorar

4 out 2019
16h31
atualizado em 5/10/2019 às 12h19
  • separator
  • 0
  • comentários

O modelo atual da Chevrolet Montana foi lançado em 2010, com visual herdado do Agile e motor 1.4 flex de 99 cv de potência. Apesar das mudanças no projeto da cabine, a picape chegou com a mesma plataforma utilizada no Corsa desde 1994, o que a torna muito defasada em relação a outros carros da atualidade.

O visual da Chevrolet Montana ainda é o mesmo de 2010.
O visual da Chevrolet Montana ainda é o mesmo de 2010.
Foto: Divulgação

Uma das provas disso é a ergonomia ruim, demarcada pelo volante e pedais desalinhados, por exemplo. Além disso, os engates do câmbio manual de cinco velocidades são ásperos e imprecisos. 

Quando ao assunto é segurança, a Chevrolet Montana também não consegue disfarçar o projeto defasado. Itens como controles eletrônicos de tração e estabilidade e airbags laterais não estão disponíveis nem como opcional. De série, a picape só oferece os obrigatórios airbags frontais e freios ABS. 

CHEVROLET MONTANA SPORT 1.4
ITEM CONCEITO NOTA
Desempenho médio 2
Consumo bom 3
Segurança médio 2
Conectividade médio 2
Conforto médio 2
Pacote de série básico 1
Usabilidade médio 2
VEREDICTO MÉDIO 2,0

No quesito desempenho, a Montana também deixa a desejar, principalmente quando a caçamba está carregada. A direção hidráulica deveria ser mais precisa para melhorar o conforto em dias de trabalho e a estabilidade em viagens rodoviárias.

A capacidade de carga da caçamba é uma das principais qualidades do carro. A Chevrolet Montana é capaz de suportar até 765 kg (a maior da categoria). O volume do compartimento da também é bastante grande (1152 litros) e só perde para a Fiat Strada (1220 litros).

A caçamba tem a maior capacidade de carga da categoria.
A caçamba tem a maior capacidade de carga da categoria.
Foto: Divulgação

Entre as três picapes pequenas comercializadas no Brasil, a Chevrolet Montana é a que tem menor volume de vendas, sendo comercializada em apenas duas versões: a LS, de entrada, e a Sport, topo de linha.

A lista de equipamentos de série da versão avaliada (Sport) inclui itens como sensor crepuscular, chave canivete, piloto automático, indicador de trocas de marcha, iluminação no porta-luvas, regulagem de altura do banco do motorista e rodas de alumínio aro 16’’.

Por ser cabine simples, a Montana acomoda 1.152 litros e só perde para a Fiat Strada (1.220 litros).
Por ser cabine simples, a Montana acomoda 1.152 litros e só perde para a Fiat Strada (1.220 litros).
Foto: Divulgação

O que é novo

  • O motor 1.4 flex passou por algumas modificações em 2016.
  • Freio de baixo arrasto e pneus verdes também foram incrementados na linha 2017.

O que nós gostamos

  • Capacidade de carga da caçamba (765 kg).
  • Volume caçamba (1.152 litros).
  • Visibilidade traseira.

O que pode melhorar

  • Ergonomia.
  • Engates do câmbio.
  • Estabilidade.
  • Desempenho.
  • Itens de segurança.
  • Não há opção de cabine dupla nem estendida.
  • Faltam sensores de estacionamento traseiros e iluminação no compartimento de carga, nesta versão mais cara.
O interior utiliza volante com base achatada e apliques em cinza para tentar disfarçar a idade do projeto.
O interior utiliza volante com base achatada e apliques em cinza para tentar disfarçar a idade do projeto.
Foto: Divulgação

Os números

  • Motor: 1.4 flex
  • Potência máxima: 99 cv a 6.000 rpm (g/e)
  • Torque máximo: 127 Nm a 3.200 rpm (e)
  • Câmbio: 5 marchas MT
  • Comprimento: 4,514 m
  • Largura: 1,700 m 
  • Altura: 1,572 m  
  • Entre-eixos: 2,669 m 
  • Peso: 1.136 kg
  • Pneus: 195/55 R16 
  • Caçamba: 1.136 litros
  • Carga útil: 765 kg
  • Tanque: 49 litros
  • 0-100 km/h: 10s4
  • Velocidade  máxima: 170 km/h
  • Consumo cidade: 11,3 km/l (g) 
  • Consumo estrada: 12,6 km/l (g) 
  • Emissão de CO2: 113 g/km 
  • Modelo avaliado: 2019

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade