0

Porsche Taycan é uma obra-prima de design e tecnologia

Primeiro carro 100% elétrico da Porsche, o novíssimo Taycan brilha na pista com as nervosas versões “Turbo” e “Turbo S”, de 625 cavalos

9 nov 2020
07h00
atualizado em 21/11/2020 às 10h58
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Porsche Taycan Turbo: versão intermediária custa R$ 809.000 e tem 460 cv de potência.
Porsche Taycan Turbo: versão intermediária custa R$ 809.000 e tem 460 cv de potência.
Foto: Porsche / Divulgação

O Porsche Taycan não é apenas o primeiro carro elétrico da prestigiosa marca alemã. Ele é um divisor de águas na enxurrada de veículos elétricos que invade o mundo do automóvel. O Taycan foi além naquilo que um carro elétrico pode entregar, em termos de tecnologia e desempenho. Tivemos oportunidade de dirigir o Porsche Taycan no autódromo Velo Città e ele brilhou. Muito.

O Taycan tem um aspecto visual parecido com o do Porsche 911, mas não é tão esportivo nem tão bonito. Trata-se de um cupê, mas é de quatro portas, para quatro ou cinco pessoas, como o Porsche Panamera. Na verdade, o novíssimo Porsche Taycan situa-se entre o 911 e o Panamera. 

O Taycan 4S, versão mais acessível, custa R$ 589.000, portanto é R$ 20.000 mais caro que o 911 Carrera (de entrada) e R$ 60.000 mais barato que o Panamera 4S E-Hybrid (também de entrada, mas eletrificado).

Porsche Taycan tem duas entradas de ar verticais no para-choque para evitar turbulência nas rodas.
Porsche Taycan tem duas entradas de ar verticais no para-choque para evitar turbulência nas rodas.
Foto: Porsche / Divulgação

Mas o Taycan 4S não estava presente no test-drive oferecido pela Porsche no Velo Città. Só estavam lá as duas versões mais nervosas do elétrico: Taycan Turbo, de R$ 809.000, e Taycan Turbo S, de R$ 979.000. Apesar dos nomes “Turbo” e “Turbo S”, os Taycan mais potentes não utilizam turbocompressor, pelo simples fato de que são carros com motores elétricos. O nome herdado dos modelos equipados com motores térmicos, a combustão interna, é apenas uma questão de marketing, para facilitar aos clientes da Porsche a identificação das versões mais potentes.

Vale a pena, portanto, conhecer primeiro as diferenças entre cada versão do Porsche Taycan.

Versão Potência Over-
boost
Torque  0-100
km/h
4S 435 cv 530 cv 640 Nm 4s0
Turbo 625 cv 680 cv  850 Nm 3s2
Turbo S 625 cv  761 cv 1.050 Nm 2s8

Todas as versões do Porsche Taycan contam com dois motores elétricos -- um na dianteira e outro na traseira. Até aí, nada demais. Porém, como mostram os números acima, as três configurações oferecem potência extra, overboost, chegando a entregar 90 cavalos a mais. Mesmo sendo um carro elétrico, com o torque 100% disponível o tempo todo, o Taycan tem controle de largada, proporcionando acelerações brutais -- impressionante na versão Turbo (3,2 segundos para ir de 0 a 100 km/h) e simplesmente absurda na Turbo S (2,8 segundos de 0 a 100). 

Dotado de overboost, motor elétrico do Taycan Turbo passa de 460 para 625 cavalos de potência.
Dotado de overboost, motor elétrico do Taycan Turbo passa de 460 para 625 cavalos de potência.
Foto: Porsche / Divulgação

Os carros elétricos costumam ter a transmissão com apenas uma velocidade. O Taycan, não. O motor dianteiro está acoplado a uma transmissão simples, mas o motor traseiro tem câmbio de duas velocidades. Assim, a Porsche conseguiu aumentar o torque nas arrancadas e, quando o carro atinge 90 km/h, a segunda marcha entra automaticamente.

Volante do Taycan traz o botão de controle do modo de direção, como os Porsche convencionais.
Volante do Taycan traz o botão de controle do modo de direção, como os Porsche convencionais.
Foto: Porsche / Divulgação

O tão celebrado sistema “One Pedal Drive” (dirigir com apenas um pedal), que permite ao motorista configurar o carro elétrico para frear quando tira o pé do pedal do acelerador, dispensando pisar no pedal de freio, não foi adotado pela Porsche. Segundo o fabricante alemão, esse sistema desequilibra a dianteira do carro e compromete seu comportamento dinâmico. 

A Porsche quebrou os paradigmas do carro elétrico. Por isso, não apenas dispensou o “One Pedal Drive” como dotou o Taycan de enormes discos de freios de cerâmica. Mesmo assim, em 90% de sua utilização, os freios mecânicos não serão acionados, mas sim o freio motor, regenerando energia para a bateria.

Porsche Taycan tem bancos de couro esportivos e oferece bom espaço até para quem vai atrás.
Porsche Taycan tem bancos de couro esportivos e oferece bom espaço até para quem vai atrás.
Foto: Porsche / Divulgação

É necessário ter freios poderosos para segurar um carro que pode passar de 2,3 toneladas. Velocidades altas são atingidas em qualquer pisada mais bruta no pedal do acelerador. Para chegar a 200 km/h, bastam 10,6 ou 9,8 segundos, a bordo do Taycan Turbo ou do Taycan Turbo S, as retomadas de velocidade são muito vigorosas e o motorista é jogado para trás no banco -- o carro leva menos de 2 segundos para ir de 80 a 120 km/h nessas duas versões. A máxima é de 260 km/h.

O Taycan não é um esportivo como o 911. Mas é muito equilibrado. A Porsche partiu do zero em sua construção. As baterias são colocadas no assoalho do carro. A distribuição de peso -- um eterno problema do 911, que precisa ser compensado com equipamentos eletrônicos -- não foi problema para o Taycan, que usa um motor dianteiro e outro traseiro, conseguindo uma proporção de peso frente/traseira de 49/51. A Porsche se deu ao luxo de montar o motor número 1 “abraçando” o eixo dianteiro, para deixá-lo mais baixo e construir uma frente baixa e alongada.

A aerodinâmica é um item importantíssimo do Taycan. Seu coeficiente de arrasto (Cx) é de apenas 0,22. Para além disso, o para-choque dianteiro tem duas entradas de ar verticais nas extremidades com o objetivo de reduzir a turbulência nos pneus da frente. Na traseira, como o carro não tem escapamento, a Porsche criou um enorme difusor que quase atravessa o carro de lado, direcionando melhor o ar que passa por baixo da carroceria, melhorando o downforce e, assim, acentuando a estabilidade nas curvas.

Sistema de freios pode ter discos de cerâmica, pois o carro pesa 2,3 toneladas e chega a 260 km/h.
Sistema de freios pode ter discos de cerâmica, pois o carro pesa 2,3 toneladas e chega a 260 km/h.
Foto: Porsche / Divulgação

Quem anda atrás num Porsche Taycan não fica em ambiente claustrofóbico. Nos bancos da frente, o passageiro tem uma cópia da tela multimídia bem à sua frente. São duas telas de 10,9” -- uma acima do console central, outra na frente do passageiro. Mas o conceito é o mesmo do 911, ou seja, quase tudo voltado para o motorista.

Posição de dirigir perfeita, volante grande, na altura do peito, e um painel de instrumentos totalmente digital. Botões foram eliminados ao máximo. Controle das luzes e das suspensões são apenas táteis, nas duas extremidades do painel. Ao centro, três círculos com as informações mais importantes do carro, como velocidade, entrega de potência e status da bateria. O painel é ligeiramente côncavo, de 16,8”, favorecendo ainda mais a interação com o motorista.

Uma pequena alavanca do lado direito tem as funções do câmbio (P, R, N e D), enquanto a partida fica do lado esquerdo, num botão de apertar. Também é possível ligar o carro apenas posicionado a pequena alavanca de câmbio em D (Drive). O carro, claro, é muito silencioso e desliza no asfalto. Tem uma capacidade incrível de fazer curvas, com pneus muito largos, suspensões a ar com três câmaras e carroceria bem baixa.

Taycan tem um comportamento dinâmico exemplar porque a Porsche dispensa o sistema "One Pedal Drive".
Taycan tem um comportamento dinâmico exemplar porque a Porsche dispensa o sistema "One Pedal Drive".
Foto: Porsche / Divulgação

Em vários aspectos o Porsche Taycan pode ser considerado o melhor carro elétrico do mundo. A tensão de sistema de 800 volts é oriunda do Porsche 919 que ganhou algumas edições das 24 Horas de Le Mans. A Porsche utiliza motores elétricos do tipo síncrono, que tem carga permanente e melhor reprodutibilidade da potência máxima. Trata-se de um motor mais caro para ser produzido, mas, como sabemos, isso não é problema para os clientes da Porsche, que não se importam com o preço, desde que recebam o que há de melhor.

Segundo a Porsche, a maior eficiência desse motor ocorre devido ao melhor enrolamento dos fios de cobre. A bateria padrão do Taycan Turbo e  do Taycan Turbo S é de 93 kWh. Para o Taycan 4S é de 79 kWh, mas o cliente pode optar pela bateria de 93 kWh, pagando mais. Quanto maior a capacidade da bateria, maior será a autonomia do carro com uma carga. Entre os modos de direção, o Taycan tem o Range, que limita a velocidade entre 90 e 140 km/h, para melhorar o alcance. Os outros modos são Normal, Sport, Sport Plus e Individual.

Painel de instrumentos digital é uma tela de 16,8" com curvatura e dispensa a tradicional cobertura.
Painel de instrumentos digital é uma tela de 16,8" com curvatura e dispensa a tradicional cobertura.
Foto: Porsche / Divulgação

O Taycan vem com um carregador doméstico de série de 11 kW, que faz uma recarga completa em cerca de 9 horas. Opcionalmente, a Porsche oferece um carregador de 22 kW, que faz a recarga completa em 4 horas e meia. Além disso, junto com a Audi e a Volkswagen, a Porsche está implantando uma rede de carregamento rápido em São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte e Brasília. Até o final de 2022 serão 29 estações de 150 kW e uma de 300 kW,m ambas carregando 80% da bateria de maneira rápida, em torno de 30 minutos.

Todas as versões do Porsche Taycan têm alcance superior a 400 km. Segundo o fabricante, o Taycan 4S de pode rodar de 333 a 407 km com a bateria padrão e de 386 a 463 km com a bateria Plus. O Taycan Turbo tem alcance de 381 a 450 km, enquanto o Taycan Turbo S oferece autonomia entre 388 e 412 km. Como num carro com motor a combustão interna, o consumo de energia está relacionado à forma de dirigir do motorista. Quanto mais potência usa, mais o carro elétrico consome energia. É difícil resistir aos encantos do Porsche Taycan.

Os números

  • Preço: R$ 809.000
  • Motor: 2 elétricos
  • Potência: 460 cv (625 cv com overboost)
  • Torque: 850 Nm
  • Câmbio: 2 marchas AT
  • Tração: 4x4 permanente
  • Comprimento: 4,963 m
  • Largura: 1,966 m
  • Altura: 1,381 m
  • Entre-eixos: 2,900 m
  • Peso: 2.305 kg
  • Pneus: 245/45 R20 (d) e 285/40 R20 (t)
  • Porta-malas: 447 litros
  • Carga útil: 575 kg
  • Bateria: 93 kWh
  • Aceleração 0-100 km/h: 3s2
  • Velocidade máxima: 260 km/h
  • Consumo cidade: 8,3 km/l
  • Consumo estrada: 8/6 km/l
  • Alcance: 381 a 450 km
  • Emissão de CO2: 0 g/km

Veja também:

Porsche Taycan, o carro elétrico que é uma obra-prima
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade