0

Novo Hyundai Creta deve manter design polêmico no Brasil

Visual totalmente renovado do Creta causou espanto inicial, mas já está à venda na Ásia e agora no México. Como será no Brasil?

27 nov 2020
15h56
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Nova geração do Hyundai Creta.
Nova geração do Hyundai Creta.
Foto: Hyundai / Divulgação

As primeiras reações ao design do novo Hyundai Creta foram de espanto. Muitos fãs da marca ficaram chocados com o visual totalmente diferente. Porém, a nova geração do Creta estreou na Ásia e desde o dia 11 de novembro está à venda também no México. No Brasil, o novo Creta deve estrear em 2021. A dúvida sobre o novo visual praticamente não existe mais -- o carro deve mesmo adotar o design da segunda geração.

Diante das reações iniciais em relação ao design do novo HB20, a Hyundai precisou fazer um pequeno retoque na parte dianteira, melhorando a aceitação do carro. Mas o visual do novo Creta é muito mais ousado do que o do HB20. Não apenas pelo novo desenho dos faróis, que têm um formato difícil de ser definido, mas também pela traseira.

Como modificações de design resultam em custos extras, especialistas acreditam que a Hyundai não fará modificações no visual do novo Creta. É possível que faça alguns retoques em frisos e escolha cores sem constraste, mas terá mesmo de encarar o que a marca considera um design global que “irradia confiança e entusiasmo em todos os ângulos”. Isso saberemos quando o carro for colocado à venda para o consumidor brasileiro.

Nova geração do Hyundai Creta.
Nova geração do Hyundai Creta.
Foto: Hyundai / Divulgação

No México, o Creta de segunda geração estreou com motor 1.4 Kappa TGDI de 138 cv (6.000 rpm) e 241 Nm (1.500). Este motor na verdade tem apenas 1353 cm3 de cilindrada e está disponível apenas na versão topo de linha (Limited Turbo) com câmbio automático de sete marchas com dupla embreagem. Com injeção direta de combustível, o Creta Turbo é capaz de capaz 13,2 km/l de gasolina na cidade e 18,2 km/l na estrada.

Há ainda três versões com motor 1.5 aspirado de 113 cv (6.300 rpm) e 144 Nm (4.400). A versão GL é manual de seis marchas; as versões GLS IVT e GLS Premium utilizam câmbio automático tipo CVT. A autonomia das versões automáticas com motor 1.5 é o mesmo na estrada (18,2 km/l) e praticamente a mesma na estrada (13,1 km/l). Com câmbio manual, o Creta 1.5 faz 18,0 km/l na estrada e 11,4 na cidade.

No Brasil, a Hyundai tem atualmente o motor 1.0 turbo de 120 cv e o 1.6 aspirado flex de 123/130 cv (gasolina/etanol). A linha Creta 2021 só está disponível com motor 1.6. O motor 2.0 aspirado flex de 156/166 cv (g/e) parou na linha 2020.

O Hyundai Creta de segunda geração é um pouco maior do que o atual. Ele tem 4,300 m de comprimento (+0,6 cm), 1,790 m de largura (+1 cm), 1,635 m de altura (igual com rack de teto) e 2,610 m de entre-eixos (+2 cm). O espaço interno aumentou, mas o porta-malas ficou menor -- certamente porque o Creta é mais utilizado nas grandes cidades ou em viagens curtas. O bagageiro passou de 431 para 408 litros (-23 litros). A nova geração é cerca de 170 kg mais leve.

No México, todas as rodas são de liga leve, com 16” na versão manual (pneus 205/65) e 17” nas versões automáticas (pneus 215/60). O novo Creta também traz sensor de estacionamento em todas as versões. O interior tem painel de instrumentos de 7”, multimídia tátil de 10,25”, volante multifuncional com base achatada e três modos de condução: Sport, Eco e Comfort. Os preços vão de 343.000 pesos mexicanos (R$ 91.600) a 440.000 pesos mexicanos (R$ 117.500).

 

Veja também:

Mercedes GLB 200, um SUV de 7 lugares com motor 1.3
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade